SIGEP   COMISSÃO BRASILEIRA DE SÍTIOS GEOLÓGICOS E PALEOBIOLÓGICOS

INFORMAÇÕES E INSTRUÇÕES AOS AUTORES

Ver também DICAS dos editores


DISPOSIÇÕES GERAIS

1 - O objetivo destas instruções é a padronização e sistematização de informações dos artigos científicos em duas versões  (português e inglês), submetidos como capítulos que registram os sítios aprovados pela SIGEP para o INVENTÁRIO do patrimônio natural do País, segundo padrões de formatação e organização básica mínima (tópicos principais obrigatórios adiante indicados), facilitando a localização e  recuperação de dados de interesse do usuário.

2 - Cada capítulo deve versar sobre um único sítio geograficamente definido e que apresente continuidade com consistência tipológica por toda a sua extensão ou, em certos casos, como ocorrências ou afloramentos dispersos, mas próximos (excepcionalmente até 10 km) e da mesma natureza, devendo um dos afloramentos ser selecionado como o principal (mais completo ou representativo) e os outros como satélites. Caso existam sítios análogos ou iguais ao em descrição, mas muito separados geograficamente, eles devem ser considerados sítios distintos. Neste caso, conforme a relevância, é interessante que eles sejam relacionados e comparados de forma sinóptica (tabelas, mapas sintéticos,..) com o sítio que está sendo descrito, mas com vistas a fornecer uma visão de contexto regional de todos esses sítios análogos ou equivalentes.

3 - É fundamental que o autor tenha dados suficientes para definir a origem e evolução do sítio geológico/paleobiológico ou, pelo menos, para propor um modelo a respeito consistente com esses dados, sendo recomendável que o autor principal busque sugestões e a colaboração de outros cientistas que também realizaram pesquisas sobre o sítio, principalmente nas especialidades relacionadas às tipologias principais de modo a se contar com o máximo de sinergia na elaboração do capítulo que irá descrever o sítio para o INVENTÁRIO da SIGEP.

4 - Os autores devem revisar a minuta do artigo, especialmente quanto a : - conteúdo  (deve focar o cadastro do sítio com todos os tópicos obrigatórios); - ortografia e redação simples, clara, objetiva evitando jargões; - qualidade, relevância e clareza das figuras. Os textos devem ser encaminhados, em Word com todas as figuras inseridas e buscando o formato final, ao editor da SIGEP via e-mail ou, excepcionalmente se os arquivos forem muito grandes, em CDROM ou outro dispositivo de alta capacidade. Recomenda-se que, nesta etapa de submissão do artigo, sejam usadas figuras já no tamanho final pretendido, com resolução rebaixada (arquivos menores), mas suficiente para a apresentação na Internet e que a formatação seja em uma coluna, evitando-se montagens das figuras em caixas de texto do Word. Observa-se que a editoração final, tanto para a Internet quanto para impressão em livro, poderá modificar o lay out de acordo com a necessidade, com figuras sendo redimensionadas e reduzidas em até 50%  para melhor disposição tipográfica. Esta versão pre print será analisada pela comissão editorial, podendo ser solicitado aos autores que revisem o trabalho de acordo com os pareceres elaborados.
Afirmativas expressas no artigo, tais como origem de rochas, ambiente geotectônico, idades, etc.., necessitam (1) ser embasadas com fatos e estudos científicos os quais devem ser relatados e, conforme a relevância, detalhados no trabalho ou (2) ser lastreadas em bibliografia onde tais fatos e estudos científicos foram apresentados e detalhados, comprovando as assertivas. 
Recomendações e sugestões para a redação clara e objetiva  e apresentação correta de figuras, tabelas,.. em artigos científicos podem ser encontradas em "Jost,H.; Brod,J.A. 2005. Como redigir e ilustrar textos em geociências. Série Textos, 1; 93pg. Sociedade Brasileira de Geologia, SP", em livro de Pércio de Moraes Branco: "Guia de Redação para a Área de Geociências", editado pela CPRM e pela Sagra-DC Luzzatto, 176 p., Porto Alegre, 1993 e em outros manuais referentes à boa redação de artigos técnicos e científicos (ex.gr.
A arte de redigir um trabalho científico - Scielo Brasil).

5 - Logo após a aprovação final do artigo, as figuras, sem compactação por software gráfico e no tamanho e resolução originais recomendados, devem ser enviadas para o editor da SIGEP em arquivos independentes do texto, identificados pelo numero do sitio e da figura, recomendando-se a manutençao em backup pelo autor para qualquer emergência.

6 - A publicação bilingue na Internet é necessária para registrar em BASE DE DADOS da SIGEP, como inventário de acesso universal, todos os geossítios brasileiros aprovados para  a preservação pela Comissão SIGEP e que foram sugeridos pelos autores como candidatos a constituírem Patrimônio da Humanidade junto à UNESCO. A publicação na Internet não implica em seleção para a publicação em livro sob a égide da SIGEP, assim como a publicação em livro não significa que o sítio será proposto como Patrimônio da Humanidade.
Recomenda-se o envio somente da versão em  português inicialmente, devendo a versão em inglês ser elaborada após a aprovação final do artigo em português. Além de manter o mesmo conteúdo do artigo em português, criteriosa revisão do texto deve ser realizada antes do envio para a comissão editorial lembrando que o objetivo dessa versão em inglês é a divulgação internacional na Internet e a eventual publicação de sítios selecionados em livro. 

7 - A responsabilidade de credenciamento ou autorização de uso de figuras, imagens, dados, etc.. com Copy Right, dentro de cada artigo é da responsabilidade do(s) seu(s) autor(es), devendo, conforme o caso, serem explicitados os créditos pertinentes e datas ou ano de geração na legenda da figura ou no texto do artigo.

8 - A SIGEP vê com bons olhos a elaboração de uma versão com LINGUAGEM POPULAR dos artigos publicados, visando a divulgação do conhecimento geocientífico e o desenvolvimento de uma cultura preservacionista para a sociedade em geral (ver artigos para leigos já publicados). O formato destes artigos para leigos não tem o rigor dos padrões ora apresentados, mas, recomenda-se que, na medida do possível, os tópicos principais de organização sejam os mesmos indicados nestas instruções, com linguagem adaptada para o caso. Neste caso -texto para leigos- sugere-se que seja elaborado, se necessário, um glossário anexo.

TAMANHO, PADRÕES, FORMATAÇÃO

O artigo, incluindo resumo, abstract, texto, figuras e bibliografia, editado em Word e com as figuras, gráficos, etc.. já inseridos na melhor posição do texto, deverá ter até 13 páginas para cada versão (português e inglês) no tamanho A4 (margens 2x2x2x2cm).
Excepcionalmente poderão ser aceitos artigos com mais de 13 páginas, caso as justificativas sejam aceitas pelo corpo editorial.

Não serão aceitos encartes e figuras extrapolando as dimensões especificadas dentro do A4 com margens (25,5 cm de altura x 17 cm de largura). 

Formatação do texto:
Fonte de letra padrão de todo o texto: Garamond;
Nomes em línguas estrangeiras e nomes da taxonomia científica: em itálico.
Corpo do texto: tamanho 11, espaço entre linhas simples e tabulação de 6mm.
Título do capítulo. tamanho 23, negrito;
Subtítulo: tamanho 20, normal;
Número de registro SIGEP: tamanho 12, normal;
Autores: tamanho 12, negrito;
Título e subtítulo em inglês antes do abstract: tamanho 12, sendo o título em negrito;
Abstract, key words e parte bilingue em inglês das legendas: tamanho 10;
Referências bibliográficas, notas explicativas e de rodapé, bem como CV sinótico dos autores: tamanho 9.

Os textos explicativos (legendas/captions), EXTERNOS às figuras, devem ser inseridos no corpo do texto, abaixo da figura. Na versão em português estas legendas externas deverão ser bilingues,  à semelhança do padrão já utilizado nos Volumes I e II de SÍTIOS GEOLÓGICOS E PALEONTOLÓGICOS DO BRASIL. As legendas das figuras em inglês, assim como o Abstract em relação ao Resumo, devem corresponder a versão exata em conteúdo da legenda em português.

Na versão final, após a editoração do artigo (pre print) que deverá ser publicado, inicialmente na Internet, a página terá 17cm x 25,5cm, o texto disposto em 2 colunas com espaçamento entre colunas de 6mm, espaçamento de 1 linha simples, tabulação de 6mm, com margens justificadas. Somente o Título, o Resumo e o Abstract serão apresentados em coluna simples e com margens justificadas. As legendas de figuras maiores também serão apresentadas em uma coluna. Entretanto, recomenda-se o uso de COLUNA ÚNICA em todo o artigo ao ser submetido como minuta, mas aproximando-se o mais possível do formato final com relação ao tamanho das figuras, tabelas etc.. já prevendo formato em duas colunas. 

A hierarquia de títulos e subtítulos e as referências bibliográficas deverão seguir padrão adotado na Revista Brasileira de Geociências, sem numeração e sem letras indicativas do nível hierárquico:

FIGURAS, TABELAS, FOTOS..

Todos os elementos de ilustrações (gráficas, fotográficas, fotomicrográficas, incluindo tabelas, diagramas, pranchas com várias figuras ou fotos associadas,..) devem ser designadas como figuras e numeradas sequencialmente na ordem de sua apresentação no artigo.

Para bem ilustrar o sítio, de preferência nas páginas iniciais do artigo, como Fig. 1, o autor deve apresentar (a) uma foto significativa e de alta qualidade ocupando a totalidade do espaço, sendo esta a situação preferida, (b) duas fotos importantes ocupando a página ou (c) uma composição de fotos/imagens/figuras que configurem uma prancha, desde que esse tipo de representação se justifique pela necessidade da informação a ser ilustrada. No caso de uma única foto de página inteira, sugere-se que segmentos "neutros" da imagem sejam explorados com a superposição de outra(s) imagem emoldurada em tamanho reduzido que venha contribuir para enriquecer a principal, sem comprometê-la, tal como detalhes do objeto enfocado, visadas de outros ângulos ou desenhos esquemáticos. A fotografia de página inteira deve ter bom contraste, recortada/configurada/montada para tamanho útil da página de 25,5 cm (altura) x 17 cm de largura no máximo.

As fotos devem ser significativas, seja pela beleza cênica, no caso de sítios geomorfológicos em especial, seja por representarem adequadamente aspectos relevantes do sítio. Fotos que não atendam estes quesitos não serão aceitas.. serão descartadas.

As figuras que comportarem TEXTOS INTERNOS, na forma de convenções, coluna estratigráfica, simbologia, toponímia e indicação de acidentes de relêvo e outros, devem ser elaboradas em português (para a versão em português) e em inglês (para a versão em inglês).

Letreiros e símbolos  das figuras, de tabelas, etc.. devem ter tamanho e legibilidade suficientes para permitir eventuais reduções de até 50%, lembrando que as figuras, na diagramação final, serão apresentadas com larguras desde ~8cm (texto em duas colunas) até ~17cm (largura total da página) de acordo com a melhor opção de formatação. 

As LEGENDAS das figuras devem ser CONCISAS: evitar legendas muito extensas com observações e informações que fiquem melhor expressas se incorporadas ao texto normal do artigo. Indicar o crédito das figuras, fotos, etc.. (obrigatório caso o copy right não seja de nenhum dos autores do artigo) e, se necessário, o ano da foto. Quando o autor da foto é o próprio autor ou coautor do trabalho, deve ser colocado o nome e sobrenome completos ou o nome abreviado e o sobrenome completo. Por exemplo: em vez de "Foto: Machado" colocar "Foto: Maria Márcia M. Machado" ou "Foto: M.M.M. Machado".

Sugere-se que a chamada de figuras, dentro do texto, seja abreviada para Fig. Ex. "O granulito  apresenta-se bandado (Fig. 5a)."

Não deve ser usada escala numérica nas figuras, somente escala gráfica, pois a editoração gráfica para publicação poderá, de acordo com a necessidade, remanejar os tamanhos e as posições das figuras com relação ao texto. É essencial, assim, que fotos, mapas, fotomicrografias.. tenham escala gráfica ou objeto de referência indicados na própria figura ou foto; alternativamente, as dimensões podem ser explicitadas na legenda.

Evitar nas minutas o uso de caixas de texto e layers do Word na montagem de pranchas de fotos, de figuras combinadas ou não com textos. Usar, nestes casos, programas gráficos (Corel, AI,..) para essas montagens exportando as figuras finais em JPG (fotos) ou GIF. Os arquivos em bitmap (com meios-tons ou fotográficas) devem ser de preferência no formato de aquisição (JPG, BMP, TIF,..) e, assim como as imagens em alto-contraste ou lineart, com boa resolução original (>=300dpi) de captação, sem compactação jpeg ou outra. Para as fotos, usar de preferência cor "verdadeira" (24 bits-RBG); já os mapas e imagens com tons de cinza e em cores chapados podem vir com 256 cores (8bits) e em formato GIF.
Observar que: (1) não adianta aumentar artificialmente a resolução pela reformatação de arquivos com menor resolução e/ou tamanho usando algoritmo matemático ou pela conversão / exportação de arquivo jpg, já com compactação forçada, para, por exemplo, um arquivo TIF com 600dpi, porque a qualidade essencial da imagem não será melhorada; (2) as imagens devem ser enviadas, preferencialmente, em seu formato e resolução originais (aquisição seja por máquina fotográfica digital, por scanner ou outra, normalmente em jpg) ou por exportação de arquivo vetorial (corel draw, adobe..) convertidos para bitmap. Neste caso (exportação de arquivo vetorial), enviar tanto o arquivo bitmap quanto o arquivo vetorial de origem para uso eventual na editoração e diagramação para impressão gráfica.

Após a aprovação do artigo e publicação oficial na Internet, seja em português seja em inglês,  arquivos individualizados de todas as figuras do artigo (fotos, gráficos, mapas,..), nas especificações de resolução original recomendadas e sem compactação, devem ser organizados pelos autores e encaminhados ao editor-chefe, via e-mail ou via postal em CDROM se forem muito grandes. Caso a figura gráfica tenha sido desenvolvida por sistema vetorial (Corel Draw, por exemplo), cópia do arquivo vetorial deve ser enviada tambem. Os arquivos devem ser designados identificando numero do sítio e numero da figura (Ex: Sitio111_Fig5A.gif; Sitio111_Fig5A_Ingles.cdr). Esta norma objetiva a organização e pronta disponibilização do material gráfico de alta qualidade para a futura impressão gráfica.

ORGANIZAÇÃO BÁSICA E OBRIGATÓRIA DO ARTIGO

A organização mínima de cada artigo, correspondente a um capítulo do livro sobre um determinado sítio, é a que segue, podendo ser incorporados outros tópicos de acordo com a importância no estudo do sítio e/ou com as características do sítio (Ex. VESTÍGIOS ARQUEOLÓGICOS):

Título, subtítulo, autoria e informações associadas
O título deve privilegiar nome consagrado e a localização do sítio, sendo o mais conciso possível. Um subtítulo, chamando a atenção para a relevância do sítio, deverá ser proposto pelo(s) autor(es), conforme exemplos que podem ser vistos nos "Sítios Publicados". Não utilizar superlativos (ex. "O maior..", "O mais importante..") no título e somente usar no subtítulo se plenamente justificado.
É importante que título e subtítulo dêem, também, uma idéia clara da tipologia principal do sítio, indicando, se possível, feições ou aspectos geológicos/paleontológicos que o tornam tão destacado.
O título (corpo 23 e negrito) e subtitulo (corpo 20 e normal) são apresentados em fonte Graramond, linhas separadas e centralizados.
Sempre que possível, o título será finalizado por vírgula e abreviatura do Estado (2 letras maiúsculas) e na versão em inglês por vírgula e "State of XXX" sendo XXX o nome do estado por extenso.
Abaixo do subtítulo, em fonte Garamond, normal, corpo 12 ajustados à direita,é apresentada a referência SIGEP xxx , sendo xxx o número único de inventário do sítio.
Logo abaixo, a lista de autores que efetivamente participaram de forma relevante das pesquisas, iniciando pelo autor principal seguido dos coautores, estes em ordem decrescente participação/importância ou em ordem alfabética, todos indicados com os nomes completos (fonte Garamond, corpo 12 ajustados à direita e em negrito). Endereços e e-mails profissionais para contato devem ser apresentados, inicialmente nos trabalhos submetidos, logo abaixo do nome de cada autor.

RESUMO e Palavras-chave
O resumo deve ser conciso com sumária descrição do sítio e de questões abordadas no corpo do trabalho com no máximo  250 palavras. O resumo é apresentado em uma coluna com margens justificadas, fonte Garamond tamanho 11 e é seguido, com espaçamento de uma linha, por Palavras-chave. Listar até 6 palavras-chave relevantes que permitam indexar o artigo sendo em minúsculas e separadas por ponto e vírgula.

ABSTRACT e Key words
Antecedendo o abstract, devem ser apresentados, centralizados, com fonte Garamond tamanho 12 e em linhas separadas, o título (em negrito), e o subtítulo (normal) do capítulo, vertidos do português para o inglês.
O abstract é uma versão para o inglês do exato conteúdo do Resumo; ídem para as Key words com relação às Palavras-chave. Abstract e Key words são apresentados com margens justificadas, em  fonte Garamond tamanho 10

INTRODUÇÃO (INTRODUCTION)
Neste tópico devem ser caracterizadas a tipologia principal e subordinada do sítio (geológico, geomorfológico, paleontológico, etc.),  as justificativas de sua seleção (salientar a importância científica do sítio) e abordados sumariamente aspectos relevantes da sua descoberta e da evolução dos conhecimentos científicos de forma a apresentar informações claras sobre o conteúdo que o leitor verá em detalhes no corpo do artigo;

LOCALIZAÇÃO (LOCATION)
Descrever de forma sumária a localização, nome do local, do município e do estado, abordando aspectos de como acessar a área.
Fornecer as COORDENADAS GEOGRÁFICAS (latitude-longitude) referidas no padrão internacional (N,S,E,W) do centróide do sítio até a precisão de minutos pelo menos.
Esta descrição deve ser complementada por um mapa de localização ("limpo" e claro) com indicação de cidades, vilas, estradas, rios etc.. significativos, podendo ter fundo geológico de tons suaves. Neste pequeno mapa é importante a marcação marginal de coordenadas geográficas  (latitude e longitude), podendo ter malha interna de meridianos e paralelos ou de UTM, e o ponto ou os limites claramente delineados do sítio. A área do mapa de localização pode ser, se necessário, indicada em pequeno mapa esquemático do país, continental ou mundial.

DESCRIÇÃO DO SÍTIO (SITE DESCRIPTION)
Este é o tópico que descreve e apresenta os dados relevantes do sítio, detalhando, principalmente, aspectos descritivos e genéticos relacionados ao sítio. Pode ser subdividido, na dependência da tipologia e de aspectos particulares do próprio sítio, em vários subtópicos (ex. Contexto Geológico, Paleontologia, Arqueologia.. ). É recomendável, na maior parte dos casos, a apresentação de um subtópico inicial sobre o Contexto Geológico complementado por mapa geológico regional esquemático e um subtópico final  para discutir e concluir sobre as questões mais importantes apresentadas na descrição. A geomorfologia, geologia, paleontologia, petrologia, etc.. da área estudada pelo(s) autor(es) deve ser ilustrada com mapa(s) temáticos, coluna geológica, desenhos, croquis, fotos, microfotos, imagens de satélites, .. que sejam essenciais para o entendimento desses pontos relevantes e/ou para bem ilustrar o sítio.

SINOPSE SOBRE A ORIGEM, EVOLUÇÃO GEOLÓGICA E IMPORTÂNCIA DO SÍTIO
(SYNOPSIS ON THE ORIGIN, GEOLOGICAL EVOLUTION AND IMPORTANCE OF THE SITE)
 
Este tópico tem por
objetivo apresentar, em um único local do artigo, uma síntese da história geológica com destaque para os eventos geológicos (e paleobiológicos) que estiveram ligados à formação e à evolução do sítio até a sua presente ocorrência, na medida do possível cronologicamente organizados; breve discussão, sempre que necessária e estimulante, sobre esses eventos é bem-vinda.
Observa-se que esse tópico, apesar de sinóptico, é muito importante e poderá servir de base ou orientação para elaboração de folders e/ou placas descritivas dos sítios protegidos ou a proteger.
A
presentar, na medida do possível em linguagem simples e concisa, com base nos dados disponíveis e de forma sinóptica, a provável origem e evolução do sítio, em seus contextos geológico,  geotectônico, geohistórico, paleogeográfico, paleoambiental, geocronológico,.. locais ou globais, considerados mais relevantes na constituição do sítio, de preferência com boas figuras de ilustração e de fácil entendimento.
Destacar, também, os aspectos já conhecidos e potenciais que tornam o sítio tão importante a ponto de ser sugerido como patrimônio natural da humanidade.
Muitas das figuras e fotos apresentadas em outros tópicos poderão ser referenciadas aqui também para melhor ilustrar o significado científico e importância do sítio.
Assim, este tópico corresponde, praticamente, a uma conclusão sobre a geologia/paleobiologia do sítio tratada em tópico anterior (Descrição do Sítio), e servirá não só a especialistas mas, se possível, também a não-especialistas no assunto, com vistas à imediata divulgação e amplo conhecimento da importância de preservação do sítio.
Estima-se que para este ítem seja suficiente uma página de texto (sem contar eventuais figuras adicionais inseridas) mas, conforme a complexidade evolutiva, poder-se-á ter até duas páginas, finalizando-se com um parágrafo que, também de forma concisa, indique claramente o porquê da importância extraordinária do sítio.
Notar que aspectos descritivos detalhados não cabem aqui; devem ser abordados em outros tópicos, principalmente no da DESCRIÇÃO DO SÍTIO.

MEDIDAS DE PROTEÇÃO (SITE PROTECTION)

Relatar a condição ou estado de conservação em que se encontra o sítio e, se for o caso, a vulnerabilidade do mesmo a atividades de mineração ou de degradação ambiental, informando as leis, atos e dispositivos que porventura regulamentem a sua proteção.
Apresentar, também, sugestões e recomendações quanto à preservação e à conservação, em especial no que se refere ao acesso ou restrição de acesso, ao desenvolvimento do ecoturismo, à boa utilização para as pesquisas científicas, etc..
Sugere-se o desdobramento deste ítem nos sub-ítens abaixo, ao todo ou em parte, no que couber para o sítio que está sendo descrito:

Vulnerabilidade do Sítio a Atividades de Mineração ou Degradação Ambiental
Medidas Atuais (ou Existentes) 
Medidas Previstas (ou Encaminhadas)
Problemas na Implementação das Medidas
Sugestões dos Autores

Neste último subitem o autor deverá recomendar a melhor Área de Proteção do Sítio (ou justificar porque não pode ser apresentada). Complementando esta apresentação da área de proteção no texto, deve ser anexada uma (única) página contendo os seguintes elementos centralizados com bordas normais do artigo, em modo retrato:
1 – titulo em cima: SIGEP xxx (numero) – nome do sítio em maiúsculas, tamanho 14, normal;  
2 – subtitulo “PROPOSTA DA ÁREA DE PROTEÇÃO”  em negrito;
3 – mapa-imagem local (alguma toponímia é interessante), Nv para cima ou marcado, área definida com a poligonal onde são indicados os vértices sucessivos (1,2,3..);
4 – logo abaixo do mapa: lista sequencial/tabela dos vértices da poligonal da área de proteção com suas coordenadas geográficas (latitude – longitude) precisão até o segundo (e UTM’s se julgado necessário);
5 –poucas e concisas linhas justificando a extensão da área abrangida como de proteção;
6- mais abaixo: "Área de proteção proposta por:" nome do(s) responsável (is) pela proposta definindo a área de proteção e data da proposta..“

REFERÊNCIAS (REFERENCES)

Recomenda-se que, antes de enviar as minutas dos artigos para os editores da SIGEP, seja realizada cuidadosa verificação tanto do formato das referências bibliográficas, quanto da consistência entre as indicações no texto e na listagem, de forma que toda citação no texto corresponda a uma referência e toda a referência listada tenha, pelo menos, uma citação no texto.

No corpo do texto os autores são indicados pelo sobrenome em letras minúsculas e ano da publicação entre parênteses; usar o & (e comercial) para as referencias com dois autores (ex. Winge & Danni, 1980) e, no caso de 3 ou mais autores, seguir o sobrenome do autor principal por et al. (Fuck et al., 1977).

Na lista das referências bibliográficas, apresentada em tipo Garamond, corpo 9, a primeira linha do parágrafo é ajustada à esquerda e as demais, com deslocamento de 0,5 cm. Os autores são indicados pelo sobrenome em letras minúsculas, exceto a primeira letra maiúscula, seguido de vírgula e iniciais maiúsculas dos prenomes seguidas de ponto cada uma das iniciais, sem espaços em branco. Tendo mais de um autor, eles são apresentados na ordem de autor principal e co-autores separados por ponto e vírgula e espaço. Não usar & (e comercial) na lista bibliográfica. Ao(s) autor(es) segue-se um espaço em branco,  o ano com 4 dígitos, ponto e espaço em branco antecedendo o título em minúsculas. A referência da edição onde foi publicada, volume, número, páginas etc.. deve seguir o padrão da RBG.
Exemplos:
Cope,E.D. 1886. Stereosternum tumidum, gen. et sp. nov. Procedings American Philosophical Society, 23: 7-15.
Milani,E.J.; França,A.B.; Schneider,R.L. 1994. Bacia do Paraná. Boletim de Geociências da PETROBRÁSRio  de Janeiro, 8(1): 69-82.

CURRICULUM VITAE SINÓPTICO DE CADA AUTOR com foto

Ao fim do artigo deve ser enviada uma sinopse  do currículo atualizado de cada autor com até 120 palavras,  incluindo o nome completo do autor, destacando, se possível, aspectos relacionados com pesquisas em áreas de preservação geológica, juntamente com uma fotografia pequena tipo 3x4, atualizada e de qualidade, para constar como adendo ao artigo na Internet e no livro.


27/02/12