duna
[Pop. cômoro]

Acumulação sedimentar elevada que pode alcançar 100m de altura, colinosa, composta normalmente de areia média quartzosa e bem classificada, que se desenvolve pela ação do vento (eólica) em regiões como os desertos e regiões costeiras.

De acordo com vários fatores, como a disponibilidade de material sedimentar solto, a força do vento e a constância de direção e de intensidade do mesmo, as dunas apresentam formas e alturas diferenciadas. Os principais tipos de dunas são:
- seif ou longitudinais (elevadas e alongadas segundo a direção do vento forte que apresenta pequenas variações de um rumo principal),
- barcanas (médias e com formas de crescentes, oblíquas à direção predominante do vento),
- transversais (baixas e perpendiculares à direção do vento).
As dunas comumente associam-se formando "campo de dunas" principalmente em regiões desérticas e costeiras, mormente de costas emergentes com sistemas de dunas e lagunas, onde se tem disponibildade de areia em quantidade apreciável e ventos constantes movimentando os grãos de areia.
O transporte da areia se dá, frequentemente, por saltação. As dunas "migram" com maior ou menor rapidez à medida em que o vento sopra as partículas de areia para outros pontos, normalmente retirando-as de barlavento para serem acumuladas a sotavento, na "sombra" da duna onde a energia eólica é perdida pelo obstáculo e dispersada por turbilhonamento.
Vários aspectos são característicos de uma rocha sedimentar de origem eólica; entre outros: arenito de grão bem arredondado, médio e fosco; estratificação cruzada eólica com dimensões métricas a decamétricas e assintótica a base.

[Ver GEOLOGY OF SAND DUNES no site National Park Service - USA]
[Ver dunas em Earth Science World Image Bank]
[Ver artigo on line Deserts no site da Eastern Illinois University-USA]

 

Autor: Winge,M.]
Home page Glossário Geológico