erosão diferencial

Processo erosivo atuando diferentemente sobre cada tipo de rocha, as mais resistentes à erosão formando relevos altos ou proeminentes e as mais fracas à erosão, zonas baixas e/ou relevos mais suaves.

Erosão diferencial é, na realidade, a regra da formação do modelado terrestre, pois cada rocha de uma região responde de forma diferente de outra rocha ao mesmo processo erosivo. O seu estudo é um dos pontos chave da geomorfologia e da foto-interpretação. Por exemplo, camadas de quartzitos (quartzo é muito resistente ao intemperismo) tendem a formar zonas elevadas e cristas enquanto que xistos, com minerais menos resistentes ao intemperismo, como as micas, tendem a ocorrer em zonas mais baixas.
Vários fatores podem modificar a resposta do mesmo tipo de rocha aos processos erosivos e, inclusive, alterar o comportamento relativo entre vários tipos de rochas. Alguns desses fatores são intrínsecos à própria rocha, como, por exemplo, o tipo e a intensidade de cimentação, ou a moagem maior ou menor; assim, uma rocha triturada, em zona de falha, é mais facilmente erodível.  Outros, são extrínsecos, como, por exemplo, o clima: um calcário, em clima úmido é facilmente dissolvido, formando relevo cárstico enquanto que em clima árido, tende a ser bem mais resistente ao intemperismo
.

[Ver o comportamento diferencial de erosão de camadas de rochas diferentes no Monument Valley do Arizona/USA em Earth Science World Image Bank ]

 

Autor: Winge,M.]
Home page Glossário Geológico