pluma mantélica

 Modelo de anomalia térmica relacionada a reações cristaloquímicas e a correntes de convecções que ocorrem na base do manto, junto ao núcleo líquido, e que desencadeiam a formação de coluna térmica que ascende promovendo mudanças de fases cristalinas meta-estáveis e espraiando-se sob a litosfera onde o calor gera hot spots.

As plumas, com a forma de um guarda chuva de fluxo térmico com diâmetros de até centena de quilômetros, aquecem a base da litosfera com temperaturas de até 200o acima da isoterma regional (Condie,1989) e desencadeiam tectônica de ascensão e extensão crustal com ponto central de energia térmica, hot spot, que promove fusão "puntual" profunda, gerando magmatismo de tipo alcalino das áreas estáveis continentais e oceânicas.
A tectônica extensional evolui com uma junção tríplice e formação de rifts das áreas continentais, quebrando os continentes e gerando novos oceanos.
É possível que as plumas correspondam a um dos principais "motores" que fazem as placas tectônicas se moverem ao alçá-las "empurrando-as" em direção às zonas de subducção onde a litosfera, com crosta oceânica esfriada e densificada, tende a submergir com seu peso para dentro da astenosfera em um movimento descendente contrário ao das plumas mantélicas.

 

[Autor: Winge,M.]
Home page Glossário Geológico