ROPOSTA de SÍTIO GEOLÓGICO DO BRASIL PARA REGISTRO NO
PATRIMÔNIO MUNDIAL(WORLD HERITAGE COMMITEE - UNESCO)

COMISSÃO BRASILEIRA DE SÍTIOS GEOLÓGICOS E PALEOBIOLÓGICOS
(DNPM-CPRM-SBG-ABC-SBP-IPHAN-IBAMA-SBE-ABEQUA)


PROPONENTE
Nome: Carlos Alberto Rosière, Danielle Piuzana, Carlos Spier
Endereço: Centro de Pesquisa Manoel Teixeira da Costa, Instituto de Geociências, UFMG
Fax: xx (31)34994440
Telefone: xx (31)34994413/34994442
email:crosiere@dedalus.igc.ufmg.br; piuzana@igc.ufmg.br
Data:
28/06/2004


1.Sugestão de AUTOR(ES) para eventual descrição detalhada do sítio: Carlos Alberto Rosière, Danielle Piuzana, Carlos Alberto Spier


2.NOME do SÍTIO (use nome consagrado. Se este não existir, proponha um nome conciso que indique o tipo de sítio e/ ou o local): Pico do Itabirito, Minas Gerais


3. TIPO DE SÍTIO: ____[ ]Espeleológico _______[ ]Paleontológico ______[ ]Geomorfológico

[ ] Paleoambiental ____[ ]Ígneo ______________[ ]Sedimentar ________[ ]Metamórfico

[ ] Mineralógico ______[ ]Estratigráfico _______[ ]Tectono-estrutural ___[ x]Metalogenético

[ ] História da Geologia [ ]Astroblema _________[x ]Outro:_História do Brasil__

[ ] Marinho-submarino______________ Obs.[ ]Inclui vestígios arqueológicos


4. LOCALIZAÇÃO
4.1. Município(s)/UF: Itabirito/Minas Gerais
4.2. Coordenadas geográficas: Lat: 7.761.541,510/Long:618.330,622  
4.3. Nome do local:
Pico de Itabira, Pico do Itabirito, Mina do Pico


5. JUSTIFICATIVAS para a inclusão como PATRIMÔNIO MUNDIAL:

Referência geográfica, histórica e econômica, o Pico do Itabirito, originalmente denominado de Pico de Itabira, apresenta-se como marco incontestável dos diversos períodos de ocupação do Estado de Minas Gerais. Inicialmente serviu como marco geográfico orientador daqueles que desbravaram as minas dos Gerais. Atualmente apresenta-se, além de marco geodésico, como um testemunho geológico tradutor de toda uma imponência econômica orientada na singularidade de sua composição ferrífera.

Nesta realidade o Pico do Itabirito apresenta-se como cenário singular do contexto geológico  ao qual  pertence, ou seja, o Quadrilátero Ferrífero. Ciente de parte desta realidade, este marco geográfico foi tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA/MG) em 1989, tendo o curto espaço histórico da ocupação mineira como justificativa central. Porém sabe-se que a região do Pico do Itabirito apresenta uma evolução geológica extremamente rica e interessante, a qual é palco de profundas discussões no meio geológico e que deve ser resgatada e traduzida de forma efetiva para os demais seguimentos da sociedade.


6.BREVE DESCRIÇÃO DO SÍTIO:

O Pico de Itabirito localiza-se na Serra dos Trovões, estruturalmente em posição vertical, concordante no flanco leste do Sinclinal Moeda, Quadrilátero Ferrífero. Ocorre como corpo de minério compacto de alto teor, de origem hidrotermal, dentro de  itabirítos da Formação Cauê, Grupo Itabira, Supergrupo Minas. O Pico do Itabirito é a parte mais elevada da região, com aproximadamente 1.586 metros de altitude, trata-se de rocha maciça, em posição vertical, mais resistente à erosão, em meio a itabirito e minério friáveis.  


7. SITUAÇÃO ATUAL DE CONSERVAÇÃO E ÓRGÃO RESPONSÁVEL P/PROTEÇÃO:

O Pico do Itabirito está preservado de acordo com decreto estadual de tombamento e sua conservação é de responsabilidade da Gerência de Meio Ambiente da Minerações Brasileiras Reunidas SA (MBR), empresa responsável pela exploração de minério de ferro da Mina do Pico. Para sua visitação é necessária a autorização por parte do Departamento de Comunicação Social da empresa.


-----Mensagem original-----
De: Isolda [mailto:isoldah@iphan.gov.br]
Enviada em: quinta-feira, 8 de julho de 2004 11:52
Assunto: RES: Pico do Itabirito

Aos colegas da Sigep gostaria apenas de mencionar que o Pico do Itabirito é tombado pelo Iphan desde 26/6/1962, no Livro Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico, e constitui importante referência cultural naquela região. Creio que será importante mencionar na descrição do sítio seu valor histórico-cultural.

Abraço a todos,

Isolda

Arquiteta - Iphan


-----Mensagem original-----
De: C. Rosière [mailto:crosiere@ciclope.lcc.ufmg.br]
Enviada em: quinta-feira, 8 de julho de 2004 14:18
Assunto: Re: RES: [Spam] RES: Pico do Itabirito

Caro Manfredo

Estamos consciente da importância histórica do Pico e está previsto um capítulo separado para este tema. Agradecemos a intervenção.
Aproveitamos para complementar que o Pico é constítuido INTEGRALMENTE de minério de alto teor e não de itabirito (proto-minério) de forma que a descrição suscinta do ponto 42 , como vista na mensagem abaixo por você enviada, deve ser corrigida
O nome de Itabirito se deve ao fato da cidade de Itabirito. Na realidade, como coloquei no resumo enviado no requerimento formal, o nome original é Pico de Itabira e a ciddade de Itabirito se chamava igualmente Itabira do Campo. Em Itabira (originalmente Itabira do Mato Dentro) o pico (hoje já inteiramente lavrado) chamava-se Pico do Cauê.
abs
C. A. Rosière