SIGEP - COMISSÃO BRASILEIRA DE SÍTIOS GEOLÓGICOS E PALEOBIOLÓGICOS
(ABC-ABEQUA-CPRM-DNPM-IBAMA-IBGE-IPHAN-PETROBRÁS-SBE-SBGeo-SBP)
=======================

PROPOSTA DE SÍTIO GEOLÓGICO ou PALEOBIOLÓGICO DO BRASIL
A SER PRESERVADO COMO PATRIMÔNIO NATURAL DA HUMANIDADE

1. NOME do SÍTIO(*):

Sítio fossilífero de General Salgado, SP

 (*)nome consagrado (se não existir proponha um nome conciso que indique o tipo de sítio) seguido do local e da sigla do estado

2. PROPONENTE
Nome completo:  Ismar de Souza Carvalho
Endereço p/ postagem: UFRJ – Departamento de Geologia – CCMN – IGEO Av. Athos da Silveira Ramos 274 Ilha do Fundão
Instituição: UFRJ
Fax: 21-2598-9465
Telefone: 21-2598-9464
e-mail: ismar@geologia.ufrj.br
Endereço curriculum Lattes:
http://lattes.cnpq.br/2138654072839905

Data da proposta:   08/08/2009       

Marque a alternativa correta abaixo:
você está propondo:
X] sítio geológico/paleobiológico ainda não sugerido à SIGEP e candidatando-se à sua descrição (*);
[
(*) - o sítio deverá ser descrito em duas versões, português e em inglês, e de acordo com as Instruções aos Autores.

4. CASO tenha estudado o sítio e ESTEJA SE CANDIDATANDO A DESCREVÊ-LO com artigo científico, informe:

a) Tempo previsto para ENTREGA da MINUTA(*), após a aprovação da proposta:       1     MES   

b) Sugestão preliminar de TÍTULO e de SUBTÍTULO de artigo sobre o sítio (*):

Répteis fósseis de General Salgado, Bacia Bauru,SP
Registro das transformações ambientais durante o Cretáceo

c) CO-AUTORES(**):   -----

Felipe Mesquita de Vasconcellos - Universidade Federal do Rio de Janeiro ? Instituto de Geociências Departamento de Geologia, CCMN Av. Athos da Silveira Ramos 274 Cidade Universitária - Ilha do Fundão 21.949-900 Rio de Janeiro - RJ. E-mail: fmv@geologia.ufrj.br
Thiago da Silva Marinho - Universidade Federal do Rio de Janeiro - Instituto de Geociências Departamento de Geologia, CCMN Av. Athos da Silveira Ramos 274 Cidade Universitária - Ilha do Fundão 21.949-900 Rio de Janeiro - RJ. E-mail: tsmarinho@gmail.com
Pedro Henrique Nobre - Universidade Federal de Juiz de Fora - Colégio de Aplicação da UFJF Juiz de Fora - MG. E-mail: pedro.nobre@ufjf.edu.br
Antonio Celso de Arruda Campos - Museu de Paleontologia de Monte Alto - Praça do Centenário, Centro de Artes s/no CEP 15.910-000; Monte Alto; SP. E-mail: museudepaleontologia@gmail.com
João Tadeu Arruda - Escola Estadual Silvério da Cunha Lacerda General Salgado - SP. E-mail: joaotadeuarruda@gmail.com

(*) Consulte as Instruções aos Autores: http://www.unb.br/ig/sigep/InstrucoesAutores.htm 
(**)
Autor principal é o proponente. Informar co-autores com participação efetiva nos estudos e elaboração do artigo em ordem de importância, indicando Nome Completo, Instituição, curriculum Lattes, e-mail

5. TIPOLOGIA(s) DO SÍTIO (marque com XX o tipo mais característico do sítio e com X os demais):
[   ]Astroblema                 
[   ]Estratigráfico              
[   ]História da Geologia, Mineração, Paleontologia..
[   ]Marinho-submarino  
[   ]Metamórfico                
[ X]Paleoambiental           
[   ]Sedimentar                  
[   ]Outro(s):
[   ]Espeleológico  
[   ]Geomorfológico
[   ]Hidrogeológico (somente casos especiais e com outra tipologia significativa associada)
[   ]Ígneo
[   ]Metalogenético
[   ]Mineralógico
[XX]Paleontológico
[   ]Tectono-estrutural

Observação: [   ] Inclui vestígios arqueológicos  -  [   ] Interesse Histórico/Cultural

6. LOCALIZAÇÃO
a. Município(s)/UF:
General Salgado, SP
b. Nome do local:
Fazenda São José, Distrito de Prudêncio e Moraes
c. Coordenadas geográficas (Lat/Long) do centróide da área do sítio: 
 20º33’55,7”S e 50º 28’11,3”W
 
7. JUSTIFICATIVAS(*):

 A localidade de Fazenda São José compreende o maior jazigo fossilífero já descoberto na Bacia Bauru, Cretáceo Superior. Até o momento foram coletados cerca de 17 esqueletos de crocodiliformes, vértebras de um ofídeo (Anilioidea), ovos fósseis, icnofósseis de invertebrados e coprólitos de vertebrados.
A sucessão sedimentar revela aspectos relativos à ciclicidade climática durante o Cretáceo nas áreas continentais do território brasileiro, apresentando um herpetofauna desconhecida de todo o contexto gondwânico. Os fósseis já descritos formalmente, tais como Baurusuchus salgadoensis e Armadillosuchus arrudai revelam as estratégias adotadas pelos répteis crocodiliformes para ambientes áridos e que até o momento são desconhecidas em qualquer outro registro paleontológico deste grupo fóssil. Além disso, os exemplares descritos para a região revelam uma singularidades evolutivas para a herpetofauna mundial, conduzindo a uma identidade própria para os estudos paleontológicos no Brasil. Ressalta-se também a importância para a comunidade local, que tem buscado a difusão de seus fósseis através dos meios de comunicação e por ações de apoio ao trabalho dos geocientistas brasileiros.

(*)para a inclusão como PATRIMÔNIO MUNDIAL DA HUMANIDADE - máximo de 150 palavras

8. BREVE DESCRIÇÃO DO SÍTIO(*):

No período de 1999 a 2004, diversos fósseis de répteis fósseis têm sido escavados no distrito de Prudêncio e Moraes, município de General Salgado. A grande maioria é proveniente dos afloramentos localizados na fazenda Buriti ou fazenda São Jose (20o 33‘57,23”S e 50o 28‘03,97”W). Até o momento 15 espécimes puderam ser individualizados. São encontrados crânios, partes de esqueletos axiais e apendiculares desarticulados e animais completos. Estes últimos apresentam um nível de preservação incomum para os vertebrados fósseis da Bacia Bauru. Apresentam séries vertebrais completas (cervicais, torácicas, lombares, sacrais e caudais), cinturas escapular e pélvica articulada ao esqueleto axial e aos apêndices locomotores, bem como ossos mais frágeis, como os da gastrália. Há inclusive ossos diminutos, como carpais, tarsais, falanges e artelhos. Em associação aos restos esqueletais são comuns icnofósseis, como gastrólitos, coprólitos e cascas de ovos. Ocorrem também vértebras de ofídeos

A preservação completa de alguns esqueletos provavelmente resultaria de um enterramento em sedimentos arenosos anterior à morte dos indivíduos, os quais estariam agrupados e semi-enterrados em sedimentos arenosos. Como observado em espécies recentes, tal estratégia evita a dessecação em fases de grande estiagem. Esta inferência pode ser corroborada pelo conjunto de fósseis preservados: indivíduos jovens e adultos articulados e icnofósseis (ovos e coprólitos), todos preservados in situ,sem sinais de transporte.

Nota-se então que a região do município de General Salgado apresenta posição de destaque nos achados de répteis fósseis, dada a abundância de espécimes e o estado de preservação e articulação dos mesmos.

  Contexto geológico dos achados no Município de General Salgado

O município de General Salgado está localizado sobre uma porção aflorante da Bacia Bauru correspondente à Formação Adamantina (Turoniano-Santoniano). A Bacia Bauru situa-se entre as latitudes 18o S e 24o S e longitudes47o W e 56o W, distribuindo-se por uma área com cerca de 370.000 km2 no interior do Brasil, abrangendo os estados de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás e região nordeste do Paraguai. Seu pacote sedimentar é dividido em duas grandes unidades litoestratigráficas: Grupo Caiuá formações Rio Paraná, Goio Erê e Santo Anastácio) e o Grupo Bauru(formações Adamantina, Uberaba e Marília).

O pacote sedimentar onde são abundantes os restos esqueletais de répteis é caracterizado litologicamente por arenitos finos a médios,avermelhados, dispostos em camadas com estratificação cruzada tabular e plano-paralela. É notável a ocorrência de intraclastos de argila,muitas vezes permineralizados por manganês ou ferro e bioturbações. O provável contexto ambiental onde estes sedimentos se depositaram foi o de planícies aluviais, sistemas fluviais entrelaçados e lagos rasos temporários em um clima semi-árido quente (Dias-Brito et al., 2001). Observa-se uma ritmicidade dos estratos sedimentares; os níveis onde ocorrem os fósseis representariam os momentos de maior aridez, e os subseqüentes, eventos de inundação.

Atualmente, alguns répteis, tais como os crocodilos são climaticamente controlados por uma temperatura média anual igual ou maior que 14,2º C, sendo que as condições hidrológicas locais têm um importante papel, funcionando como um controlador das temperaturas extremas . Apesar da continentalidade, expressa por climas sazonais e de aridez progressiva, ser um fator limitante para a distribuição dos crocodilomorfos atuais, os crocodiliformes  encontrados em General Salgado, suportavam um clima quente e árido. A ocorrência de esqueletos completos, articulados, em distintos níveis estratigráficos, sugere que eles estavam habilitados a escavar no substrato.

Perspectivas

Os achados da paleoherpetofauna de  General Salgado possibilitam uma extensa gama de estudos. Seu significado e relevância abrangem campos diversos dentro da Paleontologia e Estratigrafia.

Estudos sobre a bioestratinomia e diagênese dos fósseis, juntamente com dados acerca da geologia da área, enriquecerão as interpretações paleoambientais e paleocológicas para as rochas do Cretáceo Superior da Bacia Bauru.

O bom estado de preservação, com a articulação dos elementos esqueletais, são ideais para estudos de reconstrução biomecânica e paleoautoecológica.

(*)Máximo de 1.000 palavras. Anexar ao e-mail até 2 fotos (máximo 500 kbytes cada) significativas do sítio e, se disponíveis, links ou até capítulo de tese ou de artigo do proponente sobre o sítio

9. VULNERABILIDADE DO SÍTIO A ATIVIDADES DE MINERAÇÃO OU DEGRADAÇÃO AMBIENTAL(*):

 O sitio está localizado em uma propriedade rural e não está vulnerável à degradação

(*)Caso o sítio esteja sob riscos iminentes ou já existentes de depredação ou de destruição natural, informe sucintamente quais são e as causas

10. SITUAÇÃO ATUAL DE CONSERVAÇÃO E ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELA PROTEÇÃO:
O local apresenta boas condições de conservação e está sob responsabilidade do proprietário da fazenda no qual se insere.
 

11. BIBLIOGRAFIA REFERENTE AO SÍTIO PROPOSTO(*):

Arruda Campos, A.C.; Arruda, J.T.; Carvalho, I.S. & Tavares, S.A.S. 2005. Contexto Estratigráfico dos Crocodilomorfos Esfagessaurídeos da Formação Adamantina (Bacia Bauru, Cretáceo Superior) In:: XIX CONGRESSO BRASILEIRO DE PALEONTOLOGIA, Aracaju, 2005, CD ROM.

Arruda, J. T.; Campos, A. C. A.; Carvalho, I.S.; Nobre, P. H. & Tavares, S. A. S. 2005. Aspectos Tafonômicos de Baurusuchus salgadoensis, Crocodylomorpha da Formação Adamantina, Bacia Bauru (Cretáceo Superior), no Município de General Salgado – SP. In: II CONGRESSO BRASILEIRO DE HERPETOLOGIA, Belo Horizonte, 2005, Pontífica Universidade Católica de Minas Gerais, CD ROM.

Arruda, J. T.; Campos, A. C. A.; Carvalho, I.S.; Nobre, P. H. & Tavares, S. A. S. 2005. Significado Paleoambiental e Paleoclimático de Baurusuchus salgadoensis (Crocodylomorpha, Cretáceo Superior) da Bacia Bauru In: II CONGRESSO BRASILEIRO DE HERPETOLOGIA, Belo Horizonte, 2005, Pontífica Universidade Católica de Minas Gerais, CD ROM.

Arruda, J. T.; Campos, A. C. A.; Carvalho, I.S.; Tavares, S. A. S. & Vasconcellos, F. M. 2005. Novos Achados de Baurusuquídeos na Região de General Salgado (Bacia Bauru, Cretáceo Superior, Brasil) In: II CONGRESSO BRASILEIRO DE HERPETOLOGIA, Belo Horizonte, 2005, Pontífica Universidade Católica de Minas Gerais, CD ROM.

Arruda, J. T.; Carvalho, I. S. & Vasconcellos, F. M. 2005. Evidência de Gastrólitos em Fóssil de Baurusuquídeo (Crocodylomorpha, Mesoeucrocodylia) da Bacia Bauru (Cretáceo Superior, Brasil) – SP. In: II CONGRESSO BRASILEIRO DE HERPETOLOGIA, Belo Horizonte, 2005, Pontífica Universidade Católica de Minas Gerais, CD ROM..

Arruda, J.T.; Carvalho, I. S. & Vasconcellos, F.M.V. 2004. Baurusuquídeos da BaciaBauru(Cretáceo Superior, Brasil) Anuário do Instituto de Geociências, UFRJ, Rio de Janeiro, 27: 64-74.

Batezelli, A.; Perinotto, J.A.J.; Etchebehere, M.L.C.; Fulfaro, V.J. & Saad, A.R. 1999. Redefinição litoestratigráfica da unidade Araçatuba e da sua extensão regional na bacia Bauru, Estado de São Paulo, Brasil. In: SIMPÓSIO SOBRE O CRETÁCEO DO BRASIL, 5, 1999. Boletim, Serra Negra, UNESP, p. 195-200.

Bertini, R.J.; Manzini, F.F. & Brandt Neto, M. 1999. Novas ocorrências de Baurusuchidae (Sebecosuchia: Crocodylomorpha) na região de General Salgado, Formação Adamantina (Cretáceo Superior) do Grupo Bauru na região noroeste do Estado de São Paulo. Actas Geologica Leopondensia, 23(49):29-38.

Bertini, R.J.; Marshall, L.G.; Gayet, M. & Brito, P. 1993. Vertebrate faunas from the Adamantina and Marília Formations (Upper Baurú Group, Late Cretaceous, Brazil) in their stratigraphic and paleobiogeographic context. Neues Jahrbuch für Geologie und Paläonthologie Abh., v. 188, 1, p 71-101.

Brandt Neto, M.; Barcha, S.F.; Manzini, F.F. & Brighetti, J.M.P. 1990. Nova ocorrência de crocodilianos na região noroeste do Estado de São Paulo. In: SIMPÓSIO SOBRE BACIAS CRETÁCICAS BRASILEIRAS, 1,Rio Claro, 1990. Boletim de Resumos, Rio Claro, p. 49-50.

Brandt Neto, M.; Barcha, S.F.; Manzini, F.F. & Brighetti, J.M.P. 1991. Nova ocorrência de crocodilianos na região noroeste do Estado de São Paulo. Geociências, UNESP, 10:191-203.

Brandt Neto, M.; Manzini, F.F. & Bertini, R.J. 1992. Sobre um membro locomotor dianteiro de Baurusuchidae (Crocodylia), da região de General Salgado (SP). In: SIMPÓSIO SOBRE AS BACIAS CRETÁCICASBRASILEIRAS, 2, 1992. Resumos expandidos, Rio Claro, UNESP, p.163-164.

Campanha, V.A.; Etchebehere, M.L.C.; Saad, A.R. & Fulfaro, V.J. 1992. O significado paleogeográfico das novas ocorrências fossilíferas do Grupo Bauru na região do Triângulo Mineiro,MG. In: SIMPÓSIO SOBRE AS BACIAS CRETÁCICAS BRASILEIRAS, 2, 1992. Resumos Expandidos, Rio Claro, UNESP, p. 151-152.

Carvalho, I. S. & Vasconcellos, F. M.. 2009. Crocodyliformes da Bacia Bauru Durante o Cretáceo: Controle Climático nas Estratégias de Vida.. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HERPETOLOGIA, 4, Pirenópolis, Sociedade Brasileira de Herpetologia, 2009, CD ROM.

Carvalho, I. S.; Gasparini, Z. B. & Salgado, L. 2006. O Controle Climático na Distribuição e Diversificação dos Crocodyliformes Terrestres Durante o Cretáceo In: BOLETIM DO SIMPÓSIO DO CRETÁCEO DO BRASIL, 7 - SIMPÓSIO DO TERCIÁRIO DO BRASIL, 1, Boletim de Resumos, Serra Negra, São Paulo, p.33.

Carvalho, I. S.;Gasparini Z. B. & Salgado L. 2005. The climate role in the distribution of the terrestrial Cretaceous Crocodylomorpha throughout Gondwanaland, Mendonça. In: GONDWANA 12 GEOLOGICAL AND BIOLOGICAL HERITAGE OF GONDWANA, Academia Nacional de Ciência, Abstract, CD ROM, p. 90.

Carvalho, I.S. & Bertini, R.J. 2000. Contexto geológico dos notossúquios (Crocodylomorpha) cretácicos do Brasil. Geologia Colombiana, Santafé de Bogotá, 25: 163-184.

Carvalho, I.S. & Da-Rosa, Á.A.S.2008. Patrimônio Paleontológico no Brasil: Relevância para o Desenvolvimento Sócio-Econômico. Memórias e Notícias - Publicações do Departamento de Ciências da Terra e do Museu Mineralógico e Ecológico da Universidade de Coimbra, Coimbra, 31, p. 15-28.

Carvalho, I.S.; Campos, A.C.A. & Nobre, P.H. 2005. Baurusuchus salgadoensis, a New Crocodylomorpha from the Bauru Basin (Cretaceous), Brazil, Gondwana Research, 8(1):11-30.

Carvalho, I.S.; Marinho, T. S.; Vasconcellos, F. M. & Nava, W.R. 2007. Os Esfagessaurídeos (Crocodyliformes) do Cretáceo Superior da Bacia Bauru, Brasil, In:: CONGRESSO BRASILEIRO DE HERPETOLOGIA, CD ROM Belém, PA.

Carvalho, I.S.; Nobre, P. H.; Campos, A.C.A.; Arruda, J.T.; Vasconcellos, F.M. & Tavares S.A.S. 2005. Contexto Geológico de Baurusuchus salgadoensis (Crocodylomorpha, Cretáceo Superior) na Bacia Bauru, Formação Adamantina In: IX SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DO SUDESTE, Boletim de Resumos, Niterói, Rio de Janeiro, p.58.

Castro, J.C.; Dias-Britto, D.; Musacchio, E.A.; Suarez, J.; Maranhão, M.S.A.S. & Rodrigues, R. 1999. Arcabouço estratigráfico do Grupo Bauru no Oeste Paulista. In: SIMPÓSIO SOBRE O CRETÁCEO DO BRASIL,5, 1999. Boletim, Serra Negra, UNESP, p. 509-515.

Dias-Brito, D.; Musachio, E.A.; Castro, J.C.; Maranhão, M. S. S.; Suárez, J.M. & Rodrigues, R. 2001. Grupo Bauru: uma unidade continental do Cretáceo no Brasil–concepções baseadas em dados micropaleontológicos, isótopos e estratigráficos. Revue Paléobiologique, Géneve, 20(1): 245-304.

Duarte, K. O.; Vasconcellos, F. M.; Carvalho, I. S. & Marinho, T. S. 2009. Animação Virtual 3D de Baurusuchus Salgadoensis 2005 . In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HERPETOLOGIA, 4, Pirenópolis, Sociedade Brasileira de Herpetologia, 2009, CD ROM.

Fenandes, L.A. 2004. Mapa Litoestratigráfico da Parte Oriental da Bacia Bauru (PR, SP, MG), ESCALA 1:1.000.000. Boletim Paranaense de Geociências. Editora UFPR. n. 55, p. 53–66.

Fernandes, A. C. S. & Carvalho, I. S. 2006. A Formação Adamantina e seu Conteúdo Icnológico: um Registro da Paleofauna de Invertebrados Continentais na Bacia Bauru   In: BOLETIM DO SIMPÓSIO DO CRETÁCEO DO BRASIL, 7 - SIMPÓSIO DO TERCIÁRIO DO BRASIL, 1, Boletim de Resumos, Serra Negra, São Paulo, p.53.

Fernandes, L.A. & Coimbra, A.M. 1992. A cobertura cretácea suprabasáltica no Estado do Paraná e Pontal do Paranapanema. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 37, Resumos Expandidos, vol. 2, p. 506–508.

Fernandes, L.A. & Coimbra, A.M. 1996. A bacia Bauru (Cretáceo Superior, Brasil). Anais da Academia Brasileira de Ciências, 68:195-205.

Fernandes, L.A. & Coimbra, A.M. 1999. Paleocorrentes da parte oriental da Bacia Bauru (KS, Brasil). In: SIMPÓSIO SOBRE O CRETÁCEO DO BRASIL, 5, 1999. Boletim, Serra Negra, UNESP, p. 51-57.

Fernandes, L.A. 1998. Estratigrafia e evolução geológica da parteOriental da Bacia Bauru (Ks, Brasil). Tese de Doutorado -Instituto de Geociências, Universidade de São Paulo, São Paulo.216 p.

Garcia, A.J.V.; da Rosa, A.A.S. & Goldberg, K., 1999. Paleoenvironmental and paleoclimatic controls on early diagenetic processes and fossil records in continental Cretaceous sandstones in Brazil: a petrologic approach. In: SIMPÓSIO. SOBRE O CRETÁCEO DO BRASIL, vol. 5. UNESP, Boletim, Serra Negra. p. 491–495.

Garcia, K.L.; Carvalho, I.S. & Fittipaldi, F. 2005. Os Crocodilomorfos Cretácicos do Sudeste do Brasil.In: IX SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DO SUDESTE, Boletim de Resumos, Niterói, Rio de Janeiro, p.231.

Gatto, A.F.; Duarte, K.O.; Vasconcellos, F.M.; Marinho, T.S. & Carvalho, I.S. 2008. Reconstrução e Animação Virtual Tridimensional do Crocodilo Baurusuchus salgadoensis, Anais, Congresso de Extensão da UFRJ, 5, p. 193.

Goldberg, K. & Garcia, A.J.V. Palaeobiogeography of the Bauru Group, a dinosaur-bearing Cretaceous unit, northeastern Paraná Basin, Brazil. Cretaceous Research, v. 21, p. 241-254, 2000.

Gracioso, D. E. & Carvalho, I. S. 2009. As Flutuações Climáticas e a Diversidade dos Crocodyliformes do Cretáceo do Brasil. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HERPETOLOGIA, 4, Pirenópolis, Sociedade Brasileira de Herpetologia, 2009, CD ROM.

Iori, F.V. & Carvalho, I.S. 2008. Hábitos Alimentares dos Crocodilyformes Notossúquios: Indicadores da Diversidade dos Ecossistemas Terrestres do Cretáceo, Anais. In:: CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 5, Curitiba - PR, p. 791

Manzini, F. F.; Brandt Neto, M. & Vizotto, L. D. 1996. Cintura pélvica de Baurusuchus pachecoi Price, 1945, em sedimentos da Formação Adamantina (Grupo Bauru, Cretáceo Superior). In: SIMPÓSIO SOBRE O CRETÁCEO DO BRASIL, 4, Boletim, Rio Claro, p. 273-276.

Marinho, T. S. & Carvalho, I.S. 2008. Propalinal Jaw Movements on the Sphagesauridade (Crocodyliformes, Mesoeucrocodylia) In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PALEONTOLOGIA DE VERTEBRADOS, 7, Boletim de Resumos, Paleontologia em Destaque, Edição Especial, p. 129-130.

Marinho, T.S. & Carvalho, I.S. 2007. Revision of the Sphagesauridae Kuhn, 1968 (Crocodyliformes, Mesoeucrocodylia ). In: CARVALHO et al. (eds.). Paleontologia: Cenários de Vida. Editora Interciência, p. 481-487.

Marinho, T.S. & Carvalho, I.S.. 2009. An Armadillo-like Sphagesaurid Crocodyliform from the Late Cretaceous of Brazil, Journal of South American Earth Sciences, 27 p.36–41 Calgary.

Marinho, T.S.. & Carvalho, I.S. 2007. Paleoautoecologia dos Sphagesauridae (Crocodyliformes, Mesoeucrocodylia) do Sudoeste Brasileiro In: SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DE MINAS GERAIS, 14 e SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DO SUDESTE, 10, Livro de Resumos... Diamantina, MG, 2007, p. 72.

Marinho, T.S.. & Carvalho, I.S. 2007. Revisão Diagnóstica dos Sphagesauridae (Crocodyliformes, Mesoeucrocodylia) do Cretáceo Superior, bacia Bauru do Sudeste do Brasil In: SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DE MINAS GERAIS, 14 e SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DO SUDESTE, 10, Livro de Resumos... Diamantina, MG, 2007, p. 74.

Marinho, T.S.. & Carvalho, I.S. 2007. Revision of the Sphagesauridae Kuhn, 1968 (Crocodyliformes, Mesoeucrocodylia) In:: CONGRESSO BRASILEIRO DE PALEONTOLOGIA, 20, Anais, Búzios, RJ, 2007, p 267.

Morato, L.; Carvalho, I.S. & Schultz, C. L. 2006. Fósiles de vertebrados como indicadores de deformación homogénea en rocas sedimentares In: JORNADAS ARGENTINAS DE PALEONTOLOGÍA DE VERTEBRADOS.

Morato, L.; Vasconcellos, F.M & Carvalho, I.S. 2007. Taxonomia Versus Tafonomia: Análise Comparativa Entre Espécimes Deformados do Crocodilomorfo Baurusuchus (Cretáceo, Grupo Bauru) In:: SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DE MINAS GERAIS, 14 e SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DO SUDESTE, 10, Livro de Resumos... Diamantina, MG, 2007, p. 75.

Price, L.I. 1950. On a new Crocodilia, Sphagesaurus from the Cretaceous of the State of São Paulo, Brazil. Anais da Academia Brasileira de Ciências, 22: 77–83.

Price, L.I. 1955 Novos crocodilídeos dos arenitos da Série Bauru. Cretáceo do Estado de Minas Gerais. Anais da Academia Brasileira de Ciências, v. 27, n. 4, p. 487-498.

Ribeiro, C.M.M.; Souto, P.R.F. & Carvalho, I.S. 2004. Ovos e excrementos fossilizados de crocodilomorfos do Cretáceo Superior (Estado de São Paulo, Brasil). In: I CONGRESSO BRASILEIRO DE HERPETOLOGIA, Curitiba, 2004, Pontífica Universidade Católica do Paraná, CD ROM..

Vasconcellos, F. M. & Carvalho, I. S. 2009. Locomoção e Hábito de Vida em Crocodyliformes do Cretáceo Continental do Brasil: uma Avaliação a partir de Elementos Pós-Cranianos. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HERPETOLOGIA, 4, Pirenópolis, Sociedade Brasileira de Herpetologia, 2009, CD ROM.

Vasconcellos, F. M.; Marinho T. S. & Carvalho, I. S. 2005. The locomotion pattern of Baurusuchus salgadoensis Carvalho, Nobre & Campos, 2005 and the distribution of Baurusuchidae in Gondwanaland, Mendonça, GONDWANA 12 GEOLOGICAL AND BIOLOGICAL HERITAGE OF GONDWANA, p. 358.

Vasconcellos, F. M.; Morato, L.; Marinho, T. S. & Carvalho, I.S. 2008. Occurrence of Gastroliths in Baurusuchus (Baurusuchidade, Mesoeucrocodylia) from Adamantina Formation, Bauru Basin In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PALEONTOLOGIA DE VERTEBRADOS, 7, Boletim de Resumos, Paleontologia em Destaque, Edição Especial, p. 200-202.

Vasconcellos, F.M & Carvalho, I.S. 2007. Cranial Features of Baurusuchus salgadoensis CARVALHO, CAMPOS & NOBRE 2005, a Baurusuchidae (Mesoeucrocodylia) from the Adamantina Formation, Bauru, Basin, Brazil: Paleoichnological, Taxonomic and Systematic Implications In: CONGRESSO BRASILEIRO DE PALEONTOLOGIA, 20, Anais, Búzios, RJ, 2007, p 84.

Vasconcellos, F.M. & Carvalho, I.S. 2003. Contexto paleoambiental dos Notossúquios (Crocodylomorpha, Mesoeucrocodylia) Cretácicos do Gondwana. In: 18° CONGRESSO BRASILEIRO DE PALEONTOLOGIA, Brasília, Boletim de Resumos... Brasília, 2003, Sociedade Brasileira de Paleontologia, p. 310.

Vasconcellos, F.M. & Carvalho, I.S. 2004. Morfologia de garras de crocodilomorfos fósseis da Bacia Bauru, Cretáceo Superior, Brasil. In: I CONGRESSO BRASILEIRO DE HERPETOLOGIA, Curitiba, 2004, Pontífica Universidade Católica do Paraná, CD ROM.

Vasconcellos, F.M. & Carvalho, I.S. 2007. Cranial Features of Baurusuchus salgadoensis CARVALHO, CAMPOS & NOBRE 2005, A Baurusuchidae (Mesoeucrocodylia) fron the Adamantina Formation, Bauru Basin, Brazil: Paleoichnological, Taxonomic and Systematic Implications, Paleontologia: Cenários de Vida. Editora Interciência, v. 1., In: CARVALHO, I.S et al. (eds). p. 327-340-332.

Vasconcellos, F.M. & Carvalho, I.S. 2007. Marcas de Predação no Holótipo de Baurusuchus salgadoensis Carvalho, Campos & Nobre 2005 (Crocodyliformes, Baurusuchidae) do Cretáceo Superior da Bacia Bauru In: SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DE MINAS GERAIS, 14 e SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DO SUDESTE, 10, Livro de Resumos... Diamantina, MG, 2007, p. 69.

Vasconcellos, F.M. & Carvalho, I.S. 2007. Paleoautoecologia de Baurusuchus salgadoensis Carvalho, Campos& Nobre 2005 (Crocodyliforme, Baurusuchidae): Inferências Baseadas em Características Cranianas e Pós-Cranianas In:: SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DE MINAS GERAIS, 14 e SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DO SUDESTE, 10, Livro de Resumos... Diamantina, MG, 2007, p. 71.

Vasconcellos, F.M. & Carvalho, I.S. 2008. Inferência Paleoautoecológicas a Partir da Bioestratinomia de Baurusuchus saldadoensis (Crocodyliformes) da Formação Adamantina, Bacia Bauru (Turoniano-Santoniano / Cretáceo Superior), Anais. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 5, Curitiba - PR, p. 793

Vasconcellos, F.M. & Carvalho, I.S. 2008. Pelvic Girdle and Hindlimbs of Baurusuchus salgadoensis (Mesoeucrocodylia, Baurusuchidae) from Adamantina Formation (Upper Cretaceous), Bauru Basin, Brazil. In:: CONGRESO LATINOAMERICANO DE PALEONTOLOGIA DE VERTEBRADOS, 3, p.257

Vasconcellos, F.M.V.; Arruda, J.T.; Barbosa, O.R.. & Carvalho, I. S. 2004. Falanges ungueais de crocodilomorfos da Bacia Bauru (Cretáceo Superior, Brasil) Anuário do Instituto de Geociências UFRJ, Rio de Janeiro, 27: 53-63.

Vasconcellos, M. F.; Carvalho, I.S. & Arruda, J.T. 2005. Evidência de Gastrólitos em Fóssil de Baurusuquídeo (Crocodylomorpha, Mesoeucrocodylia) da Formação Adamantina, Bacia Bauru (Cretácio Superior, Brasil) In: IX SIMPÓSIO DE GEOLOGIA DO SUDESTE, Boletim de Resumos, Niterói, Rio de Janeiro, p.53.

Zaher, H. E. D.; Langer, M. C. ; Fara, E. ; Carvalho, I. S. ; Arruda, J. T.2003 . A mais antiga serpente (Anilioidea) brasileira: Cretáceo Superior do Grupo Bauru, General Salgado, SP. Paleontologia em Destaque, Porto Alegre, v. 1, p. 50-51, 2003.

(*)assinalar em destaque trabalhos dos candidatos a autor e co-autor

12. FOTO E SINOPSE DO CURRICULUM VITAE DO(S) CANDIDATO(S) A AUTOR(ES)(*):

Ismar de Souza CarvalhoGraduado em Geologia pela Universidade de Coimbra (1984), Mestre em Geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1989) e Doutor em Geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1993).
Atualmente é Professor Associado 3 da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Pós-doutorado pela Universidade Estadual Paulista (1999). Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Paleontologia Estratigráfica, atuando principalmente nos seguintes temas: Cretáceo, paleoecologia, paleontologia e geologia das bacias sedimentares.
Bolsista 1 A do CNPq e participante do Programa Cientistas do Nosso Estado - FAPERJ.

 

Felipe Mesquita de Vasconcellos - Possui graduação em Bacharelado em Ciências Biologicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (2003), graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (2006), Mestrado em Geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2006) e Doutorado em Geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2009). Tem experiência nas áreas de Paleontologia, Paleozoologia, Paleoicnologia, com ênfase em Paleobiologia de Crocodylomorpha.
 

 

Thiago da Silva Marinho - Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Uberlândia (2003), mestrado em Geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2006) e doutorado em Geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2009). Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Paleontologia de Vertebrados, atuando principalmente nos em estudos acerca do período Cretáceo, com foco em fósseis de Crocodyliformes e Dinosauria.
 

 

Pedro Henrique Nobre - Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1997), mestrado em Geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000) e doutorado em Geologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2006). Atualmente é professor efetivo no Colégio de Aplicação, Departamento de Ciências, da Universidade Federal de Juiz de Fora. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Paleontologia de vertebrados, atuando principalmente no estudo de Crocodylomorpha do Cretáceo.
 

Antonio Celso de Arruda Campos - Professor e atual diretor do Museu de Paleontologia de Monte Alto. Desenvolve a três décadas coletas e estudos de fósseis da região oeste do Estado de São Paulo.
 

 

 

João Tadeu Arruda - Licenciado em Ciências. Professor e preparador de diversos fósseis da região de General Salgado e São José de Iracema, noroeste do Estado de São Paulo.
 

 

(*)Sinopse do(s) currículo(s) do(s) candidato(s) a autor(es) que efetivamente participaram das pesquisas. Cada "minicurrículo" deverá ter no máximo 120 palavras e ser acompanhado de fotografia pequena tipo 3x4. Constituirá apêndice do artigo se a candidatura for aprovada e o artigo aceito para publicação.

RESERVADO À SIGEP:
DATA APROVAÇÃO DA PROPOSTA:   31/10 / 2009  - MINUTA PREVISTA PARA:   1/12 /2009   (data redefinida p/ meados de 2010 - ver e-mail)   

De: Ismar de Souza Carvalho Carvalho [mailto:ismarufrj@gmail.com]
Enviada em: domingo, 9 de agosto de 2009 15:02
Para: SIGEP
Assunto: Proposiçao de novo sitio SIGEP

Prezados Colegas,

Venho através deste propor um novo sítio no âmbito do SIGEP, cujo formulário encontra-se em anexo.
Trata-se de:
"Répteis fósseis de General Salgado (Bacia Bauru): registro das transformações ambientais durante o Cretáceo"
A proposição está baseada na relevância da herpetofauna descoberta na Fazenda São José, distrito de Prudêncio e Moraes (General Salgado, Estado de São Paulo). Na localidade estão alguns dos mais importantes fósseis da herpetofauna sul-americana já identificados, possibilitando a compreensão das estratégias de vida adotadas pelos répteis durante as modificações climáticas do Cretáceo Superior nas áreas continentais do Brasil.
´Tenho trabalho na localidade proposta desde 2001, com orientação de dissertações de Mestrado e Doutorado, e publicação de artigos em revistas científicas nacionais e internacionais, versando sobre os fósseis desta localidade.Além disso tenho me dedicado a aspectos da educação em geociências por meio dos fósseis descobertos nesta localidade com ações de difusão e popularização cientifica em exposições temporárias e permanentes (Casa da Ciência, Museu da Maré, Museu da Geodiversidade, Museu de Paleontologia de Monte Alto), televisão, rádios educativas e jornais.
Desta forma conto com o apoio de todos para a aprovação deste novo sítio de interesse paleontológico.
Cordialmente,
Ismar de Souza Carvalho

P.S: Para imagens do referido sítio solicito acessarem www.youtube.com.br, com a pesquisa Armadillosuchus (http://www.youtube.com/results?search_query=Armadillosuchus&search_type=&aq=f). Lá encontram-se imagens da localidade proposta, bem como a de alguns dos fósseis e suas reconstituições encontrados no sítio em questão. Sugiro também a recente entrevista à Globo News (programa Ciência e Tecnologia) no qual é apresentada esta localidade, bem como a relevância da comunidade local em relação à pesquisa que se desenvolve na região, em especial a ação do professor de ensino fundamental João Tadeu Arruda - responsável direto por todas as descobertas já feitas na região  (http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1085280-7823-A+IMPORTANCIA+DO+ESTUDO+DOS+FOSSEIS,00.html

De: Manfredo Winge [mailto:mwinge@terra.com.br]
Enviada em: quarta-feira, 12 de agosto de 2009 22:19
Para:
Assunto: Sitios Geológicos do Brasil - AVALIAÇÃO DE NOVA PROPOSTA

 Prezado colega geocientista,

     veja e avalie a nova proposta de sítio geológico candidato a Patrimônio Natural da Humanidade:

 Sítio fossilífero de General Salgado, SP 

Proposta de: Ismar de Souza Carvalho

 http://www.unb.br/ig/sigep/propostas/General_Salgado_SP.htm

          Propostas de sítios brasileiros com o compromisso de sua descrição científica sistematizada, com vistas a compor base de dados de nossos MONUMENTOS GEOLÓGICOS, vem sendo submetidas através de formulário padronizado como é o caso desta proposta.

Tais propostas são disponibilizadas na Internet  para conhecimento e avaliação pela comunidade geocientífica. Comentários, a favor e contra, sugestões e críticas pertinentes, juntamente com as réplicas e tréplicas, são veiculadas tambem na mesma página da proposta.

 A SIGEP (*) aguarda seus comentários, críticas e sugestões à proposta acima.

 Propostas já aprovadas, mas carecendo de autores para descrever os sítios, podem ser vistas no quadro: http://www.unb.br/ig/sigep/quadro.htm#2.   Se você estudou algum desses sítios ou tenha outro a propor e esteja interessado em preparar artigo descrevendo-o para ser publicado, acesse a página abaixo e preencha o formulário:
(http://www.unb.br/ig/sigep/formulario.htm). 

            A SIGEP está recebendo, também, SUGESTÕES EM CARÁTER PRELIMINAR de sítio(s) que o colega julgue que deva ser preservado como monumento geológico, mesmo que no momento não tenha realizado pesquisas suficientes para assumir o compromisso de sua descrição com artigo científico. 

Antes de propor qualquer novo sítio, entretanto, veja se ele atende aos pré-requisitos definidos na página de acesso ao formulário. Veja também se ele já não foi elencado em:

SUGESTÕES PRELIMINARES
PROPOSTAS CANCELADAS
PROPOSTAS EM ESTUDO
PROPOSTAS APROVADAS
SÍTIOS PUBLICADOS

Comissão EDITORIAL da SIGEP

===========================================

         (*) A SIGEP objetiva o INVENTÁRIO de sítios geológicos e paleontológicos a serem preservados  como PATRIMÔNIO GEOLÓGICO DO BRASIL.

Isto é feito em dois momentos principais: o primeiro  corresponde à proposição de um sítio  que deve ser feita por quem o estudou e o conhece bem, proposição essa submetida, como é o caso presente, à análise e avaliação pela comunidade geocientífica; o segundo momento, se aprovada a proposta, é o de descricão do sítio pelo(s) proponentes na forma de artigo científico que inclui informações sobre a vulnerabilidade e medidas de proteção existentes e recomendadas para sítio. As instruções detalhada para os autores podem ser vistas em http://www.unb.br/ig/sigep/InstrucoesAutores.htm.

 Os artigos aprovados compõem, assim, base de dados amplamente divulgada e disponibilizada em livros e na Internet, em português e em inglês, que serve de guia seguro aos setores competentes governamentais e interesses privados para implementação de medidas visando a preservação /geoconservação  adequada dos nossos monumentos naturais com vistas, também, à seleção de sítios a serem propostos à UNESCO como Patrimônio Natural da Humanidade.

 Constitui-se, assim, esse inventário em um arquivo em permanente desenvolvimento (“open ended file”), sendo que cada artigo aprovado sobre um sítio constitui ou constituirá um capítulo de livro "SÍTIOS GEOLÓGICOS E PALEONTOLÓGICOS DO BRASIL" cujo volume I já foi publicado com cinquenta e oito sítios e o volume II, com quarenta sítios, já está em fase final de diagramação para ser impresso.

 Os artigos dos sítios já publicados podem ser acessados em: http://www.unb.br/ig/sigep/sitios.htm

ou "linkados" via mapa de localização no Brasil em: http://www.unb.br/ig/sigep/mapindex/mapindex.htm

 => favor repassar a geocientistas de sua lista de e-mails


 COMENTÁRIOS, CRÍTICAS E SUGESTÕES DA SIGEP
E DA COMUNIDADE GEOCIENTÍFICA
E RÉPLICAS DO PROPONENTE


De: Norma Cruz [mailto:ncruz@rj.cprm.gov.br]
Enviada em: quinta-feira, 13 de agosto de 2009 15:02
Para:
Assunto: Re: Sitios Geológicos do Brasil - AVALIAÇÃO DE NOVA PROPOSTA
......... 
A proposta é bastante interessante e inclue informações de grande valor paleontológico e paleoambeintal.
...........
Norma


De: fernande [mailto:fernande@acd.ufrj.br]
Enviada em: domingo, 16 de agosto de 2009 08:17
Para: Manfredo Winge; Antônio Carlos Roc ha-Campos
Cc: joao.coimbra@ufrgs.br; ismar@geologia.ufrj.br
Assunto: Re: ENC: Sitios Geológicos do Brasil- AVALIAÇÃO DE NOVA PROPOSTA

 Prezado Manfredo e demais colegas da SIGEP,
a proposta de General Salgado vem ressaltar a grande importância da localidade que tem sido alvo de várias pesquisas, particularmente a paleoherpetofauna do Cretáceo brasileiro expressa nos achados no sítio proposto. Certamente a localidade ainda será alvo de novas coletas e descrições de outros fósseis, contribuindo com informações inéditas para a Paleontologia brasileira. Os fósseis coletados e a divulgação dos resultados em periódicos científicos e na mídia em geral por si só já justificam a proposta apresentada. Neste sentido, considero aprovada a proposta do Prof. Ismar de Souza Carvalho.
Ressalto, entretanto, que no texto final a ser elaborado o autor apresente uma descrição formal detalhada da localidade e de sua estratigrafia, bem como das medidas de proteção do sítio e compromisso do proprietário da fazenda citada, face à importância da localidade para futuros trabalhos paleontológicos na região.
Atenciosamente,
Prof. Antonio Carlos Sequeira Fernandes (representante da SBP na SIGEP)


De: Ricardo da Cunha Lopes [mailto:ricardolopes@pa.cprm.gov.br]
Enviada em: terça-feira, 18 de agosto de 2009 10:29
Assunto: Re: Sitios Geológicos do Brasil - AVALIAÇÃO DE NOVA PROPOSTA

 .............
A descrição apresentada é suficiente para termos uma idéia da importância da necessidade de preservação deste sítio. A possibilidade de estudo de fósseis completos e mesmo a montagem de exemplares a partir das partes encontradas são de elevada importância para a reconstrução paleoambiental deste intervalo de tempo geológico.
Recomendo tratativas especiais com o proprietário do terreno visando sua conscientização quanto à preservação do local.
Atenciosamente.
Ricardo da C. Lopes
CPRM-DIGEOP


De: ismar@geologia.ufrj.br [mailto:ismar@geologia.ufrj.br]
Enviada em: sábado, 22 de agosto de 2009 21:07
Assunto: Re: RES: Sitios Geológicos do Brasil -CONTRIBUIÇÃO - NOVA PROPOSTA 

Boa noite Ricardo,
Obrigado por sua sugestão. O proprietário da área tem sido bastante  sensível a questão da preservação do local, evitando a entrada de  "curiosos" (que poderiam danificar os materiais expostos), impedido o  cultivo ou passagem de trator no local. Assim, creio que o sítio está em boas mãos!
Um grande abraço,
Ismar


De: Isolda Honnen [mailto:isoldah@iphan.gov.br]
Enviada em: segunda-feira, 24 de agosto de 2009 16:59
Para: Manfredo Winge
Cc: Carlos Fernando
Assunto: Re: Sitios Geológicos do Brasil - AVALIAÇÃO DE NOVA PROPOSTA
Prezado Prof. Manfredo,
Considerando a descrição do sítio, a opinião de outros colegas da SIGEP e o currículo do Prof. Ismar de Souza Carvalho, sem dúvida o "Sítio Fossilífero de General Salgado" deve ser aprovado.
No entanto, gostaria de apoiar a sugestão do Prof. Antonio Carlos Sequeira Fernandes (representante da SBP na SIGEP) sugerindo que o proprietário proponha, dentro da fazenda,  a área correspondente ao sítio em questão como Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN), Unidade de Conservação constante do Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. O seguinte link, dentro do portal do Ibama dá esclarecimentos: http://www.ibama.gov.br/siucweb/guiadechefe/guia/c-3corpo.htm .
Ainda sobre esta idéia consultei o glossário da Convenção sobre Diversidade Biológica quanto à definição de biodiversidade e fiquei em dúvida se os animais extintos estariam incluídos.
Creio que o representante do Ibama na Comissão poderia opinar melhor sobre a possibilidade de RPPN para paleoambiente.
Como representante do Iphan não posso deixar de sugerir proteção legal pois acordos informais, infelizmente, podem acabar em logro.
Obrigada pela atenção
Isolda Honnen
Iphan/Depam


De: Manfredo Winge [mailto:mwinge@terra.com.br]
Enviada em: terça-feira, 25 de agosto de 2009 09:29
Para: 'Isolda Honnen'
Cc: Ismar de Sousa Carvalho (ismar@geologia.ufrj.br)
Assunto: RES: VOTO DA SBGeo - Proposta Sítio fossilífero de General Salgado, SP
{
Prezada Isolda e demais membros da SIGEP,
o colega Ismar já vem colaborando de longa data, com excelentes artigos, para o INVENTÁRIO de sítios geológicos/paleontológicos do Brasil que a SIGEP vem coordenando.
Alem disto, após analisar a proposta, o meu voto, como representante da SBGeo, é FAVORÁVEL posto que se trata de sítio relevante para o conhecimento da evolução das espécies no planeta e do paleoambiente em que viviam.
Com relação à dúvida da colega Isolda, penso que a biodiversidade de uma região refere-se ao universo de espécies que a habitam em um tempo ou intervalo de tempo determinado, formando um ecossistema. Animais extintos e registrados como fósseis certamente compunham um quadro de biodiversidade no ambiente e tempo, mas da época em que viveram.
Saudações
Manfredo
Manfredo Winge
Representante da SBGeo na SIGEP
Clique abaixo e visite:
SIGEP_Comissão Brasileira de Sítios Geológicos e Paleobiológicos


De: Isolda Honnen [mailto:isoldah@iphan.gov.br]
Enviada em: sexta-feira, 28 de agosto de 2009 16:54
Para:
Assunto: Re: VOTO DA SBGeo - Proposta Sítio fossilífero de General Salgado, SP

Prezados membros da Sigep,
Venho apenas complementar o assunto em questão pois tive mais tempo hoje para pesquisar. Encontrei vários artigos interessantes sobre a inserção da paleontologia no âmbito dos estudos sobre biodiversidade. A Academia de Ciências da Califórnia, por exemplo, promoveu um simpósio intitulado "Biodiversidade: Passado, Presente e Futuro" (research.calacademy.org/research/.../proccas_v56_n01_SuppI.pdf) Comenta-se exatamente, entre outras questões, que apesar das inúmeras conferências e publicações sobre biodiversidade sempre se focarem na "biota viva" já se explora a biodiversidade do passado. Alguns estudos apresentados tratam de correlacionar os "tempos", como por exemplo quando se procura entender cientificamente como a biodiversidade vem se transformando. Um dos cientistas desse simpósio desenvolveu o tema da origem dos padrões fundamentais da diversidade de espécies, outros relacionaram a ecologia a um estudo detalhado dos ecossistemas tropicais no Paleozóico, etc.
Como a tendência é de que as ciências sempre expandam seu campo de conhecimento, se os estudos sobre a biodiversidade no Brasil não estão incluindo até o presente, estudos sobre o passado, isso ainda pode vir a acontecer, de forma que mantenho a minha sugestão para preservação com respaldo legal do sítio fossilífero de Sebastião Salgado. E esclareço que a situação de logro a que me referi deve-se principalmente ao fato de que algum dia as terras mudarão de dono.
Atenciosamente
Isolda Honnen
Depam/Iphan


De: ismar@geologia.ufrj.br [mailto:ismar@geologia.ufrj.br]
Enviada em: sexta-feira, 28 de agosto de 2009 22:04
Para: Manfredo Winge
Cc: isoldah@iphan.gov.br
Assunto: Re: ENC: biodiversidade ao longo do tempo geológico
Boa noite Isolda,
Obrigado por sua contribuição. Efetivamente é um tema de meu  interesse, já que se refere a avaliação dos ecossistemas terrestres do  Cretáceo.
Neste momento a maior dificuldade para o jazigo em questão, é o fato  dos fósseis descritos e analisados pertencerem a répteis - o que  certamente é um "artefato" da preservação, impossibilitando de certa  maneira o conhecimento das antigas relações ecológicas da fauna e flora então existentes.
Creio que o avanço dos estudos na área possibilitarão um melhor  entendimento desta questão.
Em minha próxima visita a General Salgado aproveitarei para conversar com o proprietário da área. O local que demanda preservação tem cerca  de 1 quilômetro quadrado, sendo uma área íngreme ao longo de uma  encosta. De certa maneira a preservação ocorre de forma compulsória,  já que não existe possibilidade de uso agriculturável, para pastagem ou mesmo de extração mineral (as rochas são arenitos, bastante  friáveis).
Um grande abraço,
Ismar


De: ismar@geologia.ufrj.br [mailto:ismar@geologia.ufrj.br]
Enviada em: domingo, 30 de agosto de 2009 18:04
Para: Manfredo Winge
Cc: joao.coimbra@ufrgs.br; schobben@df.cprm.gov.br; fernande@acd.ufrj.br; ismar@geologia.ufrj.br
Assunto: Re: RES: Referencia Bibliogáfica Importante doSítio fossilífero de General Salgado
Boa noite Manfredo,
Em anexo encontram-se várias referências bibliográficas adicionais  àquelas enviadas quando da proposta original para o sítio de General  Salgado.
Considerei que se tratava de uma proposta, e que a mesma deveria  destacar a relevância do sítio para posteriormente ser elaborado um  texto completo e com a bibliografia pertinente ao mesmo.
Qualquer outra referência bibliográfica que se considere  imprescindível será prontamente adicionada.
Desculpe-me por qualquer transtorno.
Um grande abraço,
Ismar


De: Manfredo Winge [mailto:mwinge@terra.com.br]
Enviada em: domingo, 30 de agosto de 2009 21:27
Para: 'ismar@geologia.ufrj.br'
Assunto: RES: RES: Referencia Bibliogáfica Importante doSítio fossilífero de General Salgado
Prezado colega Ismar,
a lista completa de referencias bibligráficas foi acrescentada no formulário
Manfredo Winge
Representante da SBGeo na SIGEP


De: Celia Regina de Gouveia Souza [mailto:celiagouveia@gmail.com]
Enviada em: terça-feira, 1 de setembro de 2009 12:11
Para:
Assunto: Re: VOTO DA SBGeo - Proposta Sítio fossilífero de General Salgado, SP

 Prezados colegas da SIGEP,
Esse sítio é bastante interessante e o Ismar tem contribuído com excelentes artigos.
Aprovo a proposta.
Celia
Representante da ABEQUA


De: ricardolatge@petrobras.com.br [mailto:ricardolatge@petrobras.com.br]
Enviada em: terça-feira, 1 de setembro de 2009 15:05
Para:
Assunto: Re: VOTO DA SBGeo - Proposta Sítio fossilífero de General Salgado, SP

 Voto favoravelmente a inclusão desse sítio. Acompanho as sugestões da representante do IPHAN e outros de buscar a atenção do proprietário do local para a preservação deste patrimônio, embora creia que isto já esteja em curso, conhecedor que somos da preocupação do proponente com o tema
Saudações
Ricardo
Representante da Petrobras


De: João Wagner Alencar Castro Castro [mailto:jwacastro@gmail.com]
Enviada em: terça-feira, 1 de setembro de 2009 15:39
Para: mwinge@terra.com.br; ismar@geologia.ufrj.br
Assunto: VOTO DA ABEQUA - Proposta Sítio fossilífero de General Salgado, SP

Caros colegas,
Recomendo a aprovação do sitio proposto pelo colega da UFRJ, Ismar Carvalho pela importância geológica, paleontológica e paleoambiental.
Prof. João Wagner Alencar Castro - ABEQUA


De: Reinaldo Bertini [mailto:rbertini@rc.unesp.br]
Enviada em: terça-feira, 1 de setembro de 2009 19:04
Para: mwinge@terra.com.br
Assunto:

 Prof. Dr. Manfredo Winge
        Primeira mensagem formal, como contribuição à proposta de General Salgado
        Decidiu-se que estes comentários e contribuições seguirão fragmentados, após submetidos a sugestões de colegas da Universidade Estadual Paulista
Entre aspas encontra-se o texto original
"Répteis fósseis de General Salgado, Bacia Bauru,SP"
        O termo "réptil" não é mais utilizado, levando em conta alguns aspectos, especialmente filogenéticos
        Seria mais apropriado "amniotas reptilianos"
        Este é um tema de conhecimento público, na comunidade, há algum tempo
        Como se trata de um texto científico, não apenas de divulgação, deveria trazer a abordagem acadêmica apropriada
"Registro das transformações ambientais durante o Cretáceo"
        Na verdade aquele conjunto de afloramentos, no Distrito de Prudêncio e Moraes, não explicita "transformação ambiental" significativa
        Após algumas seções colunares, levantadas naquelas exposições da Formação Adamantina em General Salgado, pela Universidade Estadual Paulista, e posteriores interpretações (Bertini et al., 1991; Brandt Neto et al., 1992 a / b; Bertini et al., 1999; Manzini et al., 2000; Manzini et al., 2001; Manzini et al., 2002; Agostinho, 2009), fica claro que, aquela região, durante o Campaniano, não sofreu "transformações ambientais" relevantes
        O paleoambiente foi relativamente constante, essencialmente fluvial
         Eventualmente também encontram-se preservados depósitos de planícies de inundação, meandros marginais
        O paleoclima também se revela sem alterações significativas
        Portanto reiteramos a inexistência, naquela sequência estratigráfica, de alterações ambientais de importância
        Julga-se a frase oportunista
"A localidade de Fazenda São José compreende o maior jazigo fossilífero já descoberto na Bacia Bauru, Cretáceo Superior."
        Esta frase carece da verdade
        O conjunto de afloramentos da Fazenda São José, ou Buriti, não é "o maior jazigo fossilífero da Bacia Bauru"
        Existem pelo menos duas, ou talvez três outras grandes localidades fossilíferas, no Cretáceo Superior continental do Sudeste do Brasil, apresentando área física maior que a Fazenda São José (Buriti)
        Não se trata apenas de inverdade ou tendencionismo
        O proponente desconhece o Cretáceo Superior continental do Sudeste do Brasil
Outro aspecto seria a correta delimitação da área
Abrangeria apenas os afloramentos existentes na fazenda em questão ?
         Modernamente existem publicações preferindo desconsiderar o termo "Bacia Bauru"
        Estes depósitos, que se desenvolvem por Oeste de São Paulo, Noroeste do Paraná, Triângulo Mineiro, Sudeste de Goiás, Leste de Mato Grosso do Sul, têm sido novamente associados aos conjuntos deposicionais da Bacia do Paraná, chamados de Grupo Bauru
        O proponente desconhece sólidas publicações novas, relativas ao tema
Outros comentários seguirão ainda durante a semana, sempre em pequenos segmentos
Com respeito
Reinaldo J. Bertini
Núcleo de Evolução e Paleobiologia de Vertebrados - Departamento de Geologia Aplicada
Instituto de Geociências e Ciências Exatas - Universidade Estadual Paulista (UNESP) - 'Campus' Rio Claro


De: Manfredo Winge [mailto:mwinge@terra.com.br]
Enviada em: terça-feira, 1 de setembro de 2009 20:42
Para: 'Reinaldo Bertini'
Cc:
Assunto: RES: Comentários e críticas sobre a PROPOSTA "Sítio fossilífero de General Salgado, SP"

 Professor Bertini,
recebi os comentários, críticas e sugestões que estão, neste momento, sendo repassados (c/c) para o proponente, Prof. Ismar, e para a SIGEP plena.
Seguindo as normas da SIGEP esses comentários e críticas serão disponibilizados na própria página da proposta.
Manfredo Winge
Representante da SBGeo na SIGEP


De: ismar@geologia.ufrj.br [mailto:ismar@geologia.ufrj.br]
Enviada em: quarta-feira, 2 de setembro de 2009 08:27
Para: Manfredo Winge
Cc: Ismar de Sousa Carvalho; 'Antonio Carlos SequeiraFernandes'; Carlos Fernando de Moura Delphim; 'Carlos Schobbenhaus'; 'Célia Regina de Gouveia Souza'; 'Célia Regina de GouveiaSouza'; 'Clayton Ferreira Lino'; 'Diogenes de Almeida Campos'; 'Diogenes de Almeida Campos'; 'EmanuelTeixeira de Queiroz'; 'Gilberto Ruy Derze'; 'Isolda dos Anjos Honnen'; 'João Wagner de Alencar Castro'; 'José Eloi Guimarães Campos'; 'Marcello Guimarães Simões'; 'Marcos Antonio Leite do Nascimento'; 'Max Cardoso Langer'; 'Mylène Luíza Cunha Berbert-Born'; 'Ricardo Latgé Milward de Azevedo'; 'Rodrigo MiloniSantucci'; 'Rogério LoureiroAntunes'; 'Sidney Ribeiro Gonzalez'; 'Wagner Souza Lima'; 'William Sallun Filho'; rbertini@rc.unesp.br
Assunto: Re: RES: Comentários e críticas sobre aPROPOSTA "Sítio fossilífero de GeneralSalgado, SP"

 Prezados Colegas,
Obrigado pelas sugestões. Todas serão levadas em consideração para que  possa ser elaborado um texto que reflita o conhecimento mais  atualizado da região. A ciência é construída exatamente pela contínua reavaliação de conceitos e ideias, sendo exatamente isto que temos buscado: uma  reflexão crítica sobre trabalhos já realizados e novas percepções e conceitos sobre a região. Para isto tenho materializado esta reflexão  em publicações recentes, de amplo reconhecimento internacional, tais  como Jounal of South American Earth Sciences (2009) e Cretaceous  Research (2007, 2008) nas quais o tema em questão é abordado.
Considero que os termos apresentados (Répteis, Bacia Bauru,  transformações ambientais) na proposta original são todos pertinentes  e adequados para o entendimento do significado da relevância do sítio  General Salgado, de ampla utilização na literatura científica e que  possibilitam a adequada contextualização da relevância do depósito.
Aproveito a oportunidade para sugerir a qualquer outro pesquisador que  conheça outros depósitos tão significativos como o de General Salgado  que formulem propostas ao SIGEP. Desta forma nosso patrimônio geológico e paleontológico estará bem resguardado.
Um abraço a todos,
Ismar


De: mpaleo@montealto.sp.gov.br [mailto:mpaleo@montealto.sp.gov.br]
Enviada em: sexta-feira, 4 de setembro de 2009 19:37
Assunto: Comentários sobre a PROPOSTA "Sítio fossilífero de G eneralSalgado, SP"

 ...................................
A proposta do Prof. Dr. Ismar de Souza Carvalho em declarar a Fazenda São José, distrito de Prudêncio e Moraes (General Salgado, Estado de São Paulo) como Sítio Fossilífero tem como finalidade principal resguardar um verdadeiro patrimônio nacional. Estivemos, por diversas vezes, pesquisando (e encontrando) fósseis naquela localidade, e podemos afirmar que se trata realmente de uma valiosa reserva fossilífera.
Parabéns ao Prof. Dr. Ismar por esse excelente trabalho. Temos muito orgulho de contarmos com a amizade e a colaboração desse grande cientista.
Prof. Antonio Celso de Arruda Campos
Diretor do Museu de Paleontologia de Monte Alto - SP


De: william sallun filho [mailto:wsallun@gmail.com]
Enviada em: sexta-feira, 18 de setembro de 2009 14:29
Para:
Assunto: parecer Sítio fossilífero de General Salgado, SP

Caros colegas
Não há dúvida de que é um sítio muito importante.
Assim, sou FAVORÁVEL.
Att,
William Sallun Filho
IG/SMA


De: Carlos Schobbenhaus [mailto:schobben@df.cprm.gov.br]
Enviada em: sexta-feira, 30 de outubro de 2009 11:57
Para:
Assunto: Re: Novas Propostas -
......

........................
1) Parecer sobre a proposta SÍTIO FOSSILÍFERO DE GENERAL SALGADO, SP
Somente agora tive condições de ler a proposta 
 apresentada pelo paleontólogo  Ismar de Souza Carvalho da UFRJ.  Sem dúvida trata-se de um sítio de importância mundial. Essa importância pode ser facilmente medida pelas diversas publicações em periódicos internacionais existentes sobre esse sítio paleontológico.
Urge que medidas efetivas de preservação permanente sejam tomadas, como já salientaram outros colegas que me antecederam em seus pareceres, com destaque ao depoimento da colega Isolda do IPHAN.
Por suas características, esse geosítio pode candidatar-se à Lista Indicativa ao Patrimônio Mundial da Unesco.
Quanto ao proponente, desde longa data  conheço sua competência profissional.

De minha parte, APROVO a proposta.

..................................
 Carlos Schobbenhaus
Representante da CPRM na SIGEP


De: Manfredo Winge [mailto:mwinge@terra.com.br]
Enviada em: sábado, 31 de outubro de 2009 15:10
Para: Ismar de Sousa Carvalho (ismar@geologia.ufrj.br)
Cc: '
Assunto: ENC: Aprovação do Sítio fossilífero de General Salgado, SP
Prioridade: Alta
Prezado Ismar, 
seguindo as normas da SIGEP, comunicamos, com satisfação, que a sua proposta de sítio com compromisso de descrição foi aprovada.
Assim, o "
Sítio fossilífero de General Salgado, SP ", passa a ser relacionado na lista de sítios aprovados e com compromisso de descrição: http://www.unb.br/ig/sigep/quadro.htm.
De acordo com sua informação no formulário a data mais provável de submissão do artigo deverá ser  1/12/2009 .
A elaboração da minuta do artigo deve seguir as instruções (*) para os autores e considerar as sugestões e recomendações apresentadas pela comunidade geocientífica e pelos membros da SIGEP expressas na página da proposta:
http://www.unb.br/ig/sigep/propostas/General_Salgado_SP.htm
Qualquer dúvida a respeito favor nos contactar,
Manfredo
p/SIGEP
Manfredo Winge

Representante da SBG

(*) Observações sobre as Instruções  para os autores
Solicitamos leitura atenta das instruções aos autores que sofreram algumas pequenas alterações e inclusões; destacamos:
- deve ser usado o padrão específico de organização/sistematização de dados com o roteiro principal definido em tópicos obrigatórios visando a descrição científica do sítio geológico e das medidas de proteção existentes e sugeridas para fins de cadastro no inventário de geossítios do Brasil a serem preservados:
- a minuta deve ser submetida em Word com uma coluna só, mas já no formato geral especificado e tipos de letras determinados, incluindo-se as figuras já no tamanho final pretendido (largura de 1 pg ou de 1/2 pg), com resolução rebaixada (~ 100 dpi; largura maior 170mm => arquivos menores) mas suficiente para a apresentação na Internet (faremos a editoração final em duas colunas após a revisão final e aprovação do artigo);
- escolha adequada de título e subtítulo para o artigo, concisos mas que dêem clara idéia do sítio descrito e de sua tipologia principal;
- versão em inglês somente deverá ser encaminhada depois do artigo ser aprovado e publicado na internet;
- uma ou duas fotos de página inteira para Fig. 1, significativa(s) e bonita, com ou sem encarte, que retrate da melhor forma possível o sítio logo no início do artigo;
- rigorosa seleção das figuras e fotos em termos de qualidade e significância, evitando repetições;
- todas as figuras e fotos, com ótima resolução e QUALIDADE a melhor possível, deverão ser enviadas em arquivos separados após a aprovação do artigo;
- desdobrar, na medida do possível, o capítulo MEDIDAS DE PROTEÇÃO nos ítens indicados;
- sobre o tópico SINOPSE SOBRE A ORIGEM, EVOLUÇÃO GEOLÓGICA E IMPORTÂNCIA DO SÍTIO: deve ser conciso e, na medida do possível, de linguagem acessível a não especialistas. O seu objetivo é apresentar, em um único local do artigo, uma síntese da história geológica pondo em destaque os eventos geológicos (e paleobiológicos), de preferência cronologicamente organizados, que estiveram ligados à formação e à evolução do sítio até a sua presente ocorrência. Uma certa redundância até poderá ocorrer com relação a aspectos apresentados com mais detalhe em outros tópicos como o da DESCRIÇÃO DO SÍTIO, mas aqui devem ser abordados de forma enxuta/concisa e organizada (sinóptica) que enfatize os fenômenos evolutivos que sejam relevantes em qualquer dimensão e conceito (físico/químico, micro a macro até de tectônica global se for o caso.  Estima-se que para este ítem seja suficiente uma página de texto (sem contar eventuais figuras adicionais inseridas) mas, conforme a complexidade evolutiva, poderá se ter até duas páginas, finalizando-se com um parágrafo que, também de forma concisa, indique claramente o porquê da importância extraordinária do sítio;
- ver detalhes e todas outras orientações em:
http://www.unb.br/ig/sigep/InstrucoesAutores.htm 
=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=


De: Manfredo Winge [mailto:mwinge@terra.com.br]
Enviada em: quarta-feira, 16 de junho de 2010 17:28
Para: 'ismar@geologia.ufrj.br'
Assunto: RES: ENC: SÍTIO GENERAL. SALGADO - AUTORES
Prezado Ismar,
obrigado pela pronta resposta. Aguardamos, portanto, a submissão do trabalho que conta agora com a participação de novos autores.
Quanto a questão de inclusão ou não de autores não previstos na proposta original, cabe-nos dizer que o colega, como cientista e coordenador da pesquisa, é que deve decidir sobre esta inclusão de novos autores que participaram dos trabalhos.
Solicito o obséquio de me enviar, tão logo que possível, a lista com os nomes completos desses novos autores com instituição e e-mail de cada um para completar a lista de e-mails dos autores do sítio Gal. Salgado.
Abraços
Manfredo
p/ equipe editorial
Manfredo Winge
Representante da SBG na SIGEP


De: ismar@geologia.ufrj.br [mailto:ismar@geologia.ufrj.br]
Enviada em: sexta-feira, 18 de junho de 2010 11:57
Para: Manfredo Winge
Assunto: Re: RES: ENC: SÍTIO GENERAL. SALGADO - AUTORES
Bom dia Manfredo,
Envio-lhe como ficou a autoria do sítio de General Salgado.
Um abraço,
Ismar

Ismar de Souza Carvalho - .......
Felipe Mesquita de Vasconcellos - ....
Thiago da Silva Marinho - ....
Pedro Henrique Nobre - .....
Antonio Celso de Arruda Campos - ....
João Tadeu Arruda - .....
..........................................................................


De: Manfredo Winge [mailto:mwinge@terra.com.br]
Enviada em: sábado, 19 de junho de 2010 14:42
Para: 'ismar@geologia.ufrj.br'; Felipe Mesquita de Vasconcellos (fmv@geologia.ufrj.br); Pedro Henrique Nobre (pedro.nobre@ufjf.edu.br); Thiago da Silva Marinho (tsmarinho@gmaill.com)
Assunto: RES: RES: ENC: SÍTIO GENERAL. SALGADO - AUTORES

Prezado Ismar e coautores,
anotados os nomes dos novos autores na página da proposta bem como seus CV's resumidos.
Faltam os e-mails de Antonio Celso de Arruda Campos e João Tadeu Arruda bem como as fotos tipo 3x4 de todos os coautores.
Saudações
Manfredo
p/corpo editorial
Manfredo Winge
Representante da SBG na SIGEP


AVALIAÇÃO FINAL DE PROPOSTA
DE DESCRIÇÃO DE SÍTIO GEOLÓGICO - PALEOBIOLÓGICO

Nome do Sítio:   Sítio fossilífero de General Salgado, SP
Proponentes: 
Ismar de Souza Carvalho; Felipe Mesquita de Vasconcellos; Thiago da Silva Marinho; Pedro Henrique Nobre; Antonio Celso de Arruda Campos; João Tadeu Arruda

Considerando os pareceres, comentários e réplicas constantes na página da proposta, as instituições membros da SIGEP, assim se pronunciam, através de seus representantes titulares, quanto à proposta em epígrafe

INSTITUIÇÃO

PARECER:
1- Aprovação
2- Não aprovação (*)
3- Abstenção
4-
Restrições/Exigências (*)

Academia Brasileira de Ciências – ABC 3- Abstenção
Associação Brasileira de Estudos do Quaternário – ABEQUA

 1- Aprovação

Departamento Nacional de Produção Mineral – DNPM 3- Abstenção
Instituto Brasileiro dde Geografia e Estatísitica – IBGE

 1- Aprovação

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis– IBAMA

 3- Abstenção

Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN

 1- Aprovação

Petróleo Brasileiro SA - PETROBRÁS

 1- Aprovação

Serviço Geológico do Brasil – CPRM

 1- Aprovação

Sociedade Brasileira de Espeleologia – SBE

 1- Aprovação

Sociedade Brasileira de Geologia – SBG

 1- Aprovação

Sociedade Brasileira de Paleontologia – SBP

 1- Aprovação

(*) - Apresentar análise e justificativa(s), claras e concisas