SIGEP - COMISSÃO BRASILEIRA DE SÍTIOS GEOLÓGICOS E PALEOBIOLÓGICOS
(DNPM-CPRM-SBG-ABC-SBP-IPHAN-IBAMA-SBE-ABEQUA)

PROPOSTA DE DESCRIÇÃO DE SÍTIO GEOLÓGICO DO BRASIL
PARA REGISTRO NO PATRIMÔNIO MUNDIAL DA HUMANIDADE
(WORLD HERITAGE COMMITEE - UNESCO)

1. PROPONENTE (candidato a autor principal)
Nome completo:  Marcos Antonio Leite do Nascimento
Endereço p/ postagem:
Av. Airton Sena, 1823, Apto. 401, Bl. 19, Bairro: Nova Parnamirim, Natal/RN – CEP: 59088-100

Instituição: Companhia de Pesquisa e Recursos Minerais (CPRM) / Serviço Geológico do Brasil
Fax: (84) 3215-3683 - Telefone: (84) 3208-5308
email: marcos@geologia.ufrn.br  ou caxexa@yahoo.com.br
Data da proposta: 08/ Fevereiro / 2007
Data provável de entrega do artigo: 08 / Junho / 2007

2. CO-AUTORES(*):  

Zorano Sérgio de Souza - Departamento de Geologia e Pós-Graduação em Geodinâmica e Geofísica da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (DG-PPGG/UFRN), Caixa Postal 1502, CEP 59078-970, Natal, RN, Brasil, e-mail: zorano@geologia.ufrn.br ;  

José Marcelo Arnosio - Escuela de Posgrado, Doctorado en Ciencias Geologicas, Universidad Nacional de Salta, Salta, Argentina, e-mail: marnosio@unsa.edu.ar

Paulo Marcos P. Vasconcelos - Department of Earth Sciences, The University of Queensland, Brisbane Qld 4072, Australia, e-mail: paulo@earth.uq.edu.au

(*)Informar em ordem de importância: Nome completo, instituição, e-mail

3. NOME do SÍTIO(*): Ignimbritos do Engenho Saco, Pernambuco, NE do Brasil
 
(*)nome consagrado; se não existir, proponha um nome conciso que indique o tipo de sítio e/ou o local

4. SUGESTÃO DE TÍTULO E SUBTÍTULO  DO ARTIGO A SER ESCRITO
(a)
TÍTULO(*):
Ignimbritos do Engenho Saco, Bacia de Pernambuco, NE do Brasil

(b)SUBTÍTULO(**): Ignimbritos cretácicos da Província Magmática do Cabo

 

5. TIPO DE SÍTIO:

[   ]Astroblema                 
[   ]Estratigráfico              
[   ]História da Geologia, Mineração, Paleontologia..
[   ]Marinho-submarino  
[   ]Metamórfico                
[   ]Paleoambiental           
[   ]Sedimentar                  
[   ]Outro(s) :_________

[   ]Espeleológico  
[   ]Geomorfológico
[   ]Hidrogeológico
X ]Ígneo
[   ]Metalogenético
[   ]Mineralógico
[   ]Paleontológico
[   ]Tectono-estrutural

Observação: [   ] Inclui vestígios arqueológicos  -  [   ] Interesse Histórico/Cultural 

6. LOCALIZAÇÃO
1. Município(s)/UF: Ipojuca/PE
2. Coordenadas geográficas (Lat/Long) do centro da área : 8º26´30” S / 35º03´45” W
3. Nome do local:  Engenho Saco

 

7. JUSTIFICATIVAS(*):

 

           Rochas piroclásticas do tipo ignimbritos têm sido encontradas no Brasil em sucessões vulcânicas de idades e ambientes geológicos diversos. Aqueles melhor estudados apresentam idades que vão do Paleoproterozóico (1,8 Ga no Cráton Amazônico, exemplificado pela Suíte Vulcano-Plutônica Teles Pires; - Pinho, 2002) ao Neoproterozóico (550-573 Ma, nos platôs da Ramada e do Taquarembó, Escudo Sul-Riograndense; Sommer et al., 2003). Contudo, depósitos mais jovens, do Fanerozóico, são muito pouco conhecidos. Sabe-se apenas da ocorrência de ignimbritos associados às rochas ácidas da Formação Serra Geral (135-130 Ma) na região de Sananduva/RS (Siviero et al., 2005).

           Desta forma, o depósito ora apresentado (Ignimbritos do Engenho Saco, 105 Ma) parece ser o mais jovem encontrado em bacias sedimentares do Brasil. Assim, torna-se importante seu conhecimento (geológico, geoquímico, petrogenético e geocronológico) por parte da comunidade geocientífica (e demais interessados). O mesmo ocorre ainda em uma região riquíssima em unidades vulcano-plutônicas (a Província Magmática do Cabo) no litoral sul de Pernambuco. Região esta apta a se tornar um geoparque nacional devido a sua grande geodiversidade.

 

Pinho, M.A.S. 2002. Proposta de nova terminologia estratigráfica para rochas vulcano-plutônicas paleoproteróicas do norte do Estado de Mato Grosso, porção ocidental sul do Cratón Amazônico. Revista Brasileira de Geociências, 32(1): 153-156.

Sivieiro, R.S.; Ramage, L.; Meneget, R.; Mizusaki, A.M.P. 2005. Caracterização dos ignimbritos da Formação Serra Geral na região de Sananduva, Terra Indígena de Ligeiro, RS. In: Simp. de Vulc. e Amb. Assoc., 3, Rio de Janeiro, em CD-Rom.

Sommer, C.A.; Lima, E.F.; Nardi, L.V.S.; Liz, J.D.; Pierosan, R. 2003. Depósitos de fluxo piroclástico primários: caracterização e estudo de um caso no Vulcanismo Ácido Neoproterozóico do Escudo Sul-rio-grandense. Pesquisas em Geociências, 30(1): 3-26.

(*)para a inclusão como PATRIMÔNIO MUNDIAL DA HUMANIDADE

8) BREVE DESCRIÇÃO DO SÍTIO(*):

Na Bacia de Pernambuco, destaca-se um volumoso magmatismo constituído por rochas básicas a ácidas, predominando tipos vulcânicos (basaltos, andesitos basálticos, traquitos, riolitos) e também plútons hipabissais (monzodioríticos e álcali-feldspato granitos). Neste magmatismo, encontra-se ainda um expressivo vulcanismo ácido explosivo, representado por ignimbritos. Esses são formados por bombas, lapilitos e tufos, contendo púmices esmagados, fragmentos de cristais tais como biotita, plagioclásio, quartzo, opacos e zircão, além de fragmentos líticos (rochas do embasamento cristalino e vulcânicas). As rochas são pouco selecionadas e maciças, com matriz fina de cor cinza, com feições indicativas de forte soldamento. As formas dos fiammes indicam que a compactação sofrida pelos ignimbritos ocorreu a altas temperaturas, com uma diminuição de volume de cerca de 50%. Estas rochas revelam a típica textura eutaxítica de ignimbritos, definida por forte orientação de fragmentos placóides ou tabulares de púmices, compactados e formando uma superfície planar ou sinuosa, definindo a orientação de fluxo magmático.

Dados geoquímicos de púmice mostram pequena variação de SiO2 (71,5 a 74,0%), baixos teores em CaO (0,03-0,98%) e MgO (0,37-0,80%), com Na2O+K2O da ordem de 8%. Possuem coríndon normativo menor que 2,9, classificando essas rochas como peraluminosas. Apresentam altos valores de Nb (326-469 ppm), Y (206-651 ppm) e Zr (707-953 ppm) e baixos Ba (10-183 ppm) e Sr (13-119 ppm). Diagramas tais como SiO2 vs. índice de Wright, confirmam a sua natureza alcalina, enquanto que SiO2 vs. total de álcalis (Na2O+K2O) define sua composição riolítica. Os padrões de ETR são enriquecidos em TRL com LaN=167-860, YbN=11-51 e razão LaN/YbN=4,8-36,7, com forte anomalia negativa de Eu (Eu/Eu*=0,08-0,09). A natureza intraplaca, continental, destas rochas é corroborada por diagramas do tipo Rb vs. (Y+Nb) e Zr vs. NbN/ZrN. Os teores de Rb, Y, Nb e Zr permitem interpretar um ambiente continental do tipo rifte.

           Geocronologicamente, são rochas cretáceas (albiano), com idade 40Ar-39Ar variando entre 104,0±0,7 e 105,2±0,8 Ma. As informações ora apresentadas apontam para um depósito vulcânico explosivo onde as elevadas concentrações de fragmentos de cristais sugerem origem a partir de líquidos com alta taxa de cristalização. Processo de fragmentação, originado pela explosão das bolhas de gás em conjunto com impacto ocorrido ao longo do conduto ou transporte turbulento na superfície, explica o aspecto fragmentado dos cristais. A presença de textura esferulítica nos púmices pode estar associada a processos de desvitrificação em alta temperatura. As composições em elementos traços e os valores relativamente elevados de YbN e a forte anomalia negativa de Eu sugerem uma origem por fusão parcial da crosta continental e evolução do magma por fracionamento de feldspatos.

 

(*) anexar também ao email foto signficativa do sítio proposto e/ou capítulo de tese ou de artigo do proponente sobre o sítio, se disponíveis):

9) SITUAÇÃO ATUAL DE CONSERVAÇÃO E ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELA PROTEÇÃO:

 

            Infelizmente, a região de ocorrência dos ignimbritos do Engenho Saco não está protegida por nenhum tipo de unidade de conservação e por nenhum órgão de proteção. Além disso, boa parte da exposição dessas rochas encontra-se na Pedreira do Engenho Saco, sob os cuidados da Empresa Nassau, junto ao Grupo João Santos. O material lá encontrado é utilizado para fabricar cimento pozzolânico.

             A freqüente extração desse material, muito em breve, fará desaparecer o único exemplo de rochas piroclásticas cretáceas em bacias sedimentares no Brasil. A idéia é solicitar a delimitação de uma pequena área para conservação desse patrimônio geológico nacional. Essa área seria útil não somente para conservação dessas rochas, mas também serviria como exemplo de interesse científico, para fins didáticos e utilização em aulas de campo.

10) BIBLIOGRAFIA REFERENTE AO SÍTIO PROPOSTO(*):

Borba, G.S. 1975. Rochas vulcânicas da faixa costeira sul de Pernambuco. “Aspectos petrográficos e geoquímicos”. Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Dissertação de Mestrado, 134p.

*Nascimento, M.A.L. 2003. Geologia, Geocronologia, Geoquímica e Petrogênese das Rochas Ígneas Cretácicas da Província Magmática do Cabo e suas relações com as unidades sedimentares das Bacia de Pernambuco (NE do Brasil). Tese de Doutorado, Pós-Graduação em Geodinâmica e Geofísica, UFRN, Natal, 233 p.

*Nascimento, M.A.L.; Souza, Z.S.; Arnosio, J.M. 2003. Vulcanismo ácido explosivo na Bacia de Pernambuco, NE do Brasil. In: SBG-Núcleo NE, XX, Simp. Geol. do NE, Fortaleza/CE, 67-67.

*Nascimento, M.A.L.; Vasconcelos, P.M.; Souza, Z.S.; Jardim de Sá, E.F.; Carmo, I.O.; Thiede, D. 2003. 40Ar/39Ar geochronology of the Cabo Magmatic Province, Pernambuco Basin, NE Brazil. In: Actas IV Symp. South American Isotope Geol., Brasil, Cd-rom.

Rocha, D.E.G.A 1990. Programa levantamento geológico básico do Brasil: carta geológica, carta metalogenética/previsional. Escala 1/100.000 (folha SC.25-V-A-II - vitória). Estado de Pernambuco. Brasília DNPM/CPRM. 112 p. 2 mapas.

 

* Trabalhos dos candidates a autor e co-autor.

(*)assinalar em destaque trabalhos dos candidatos a autor e coautor

De: Manfredo Winge [mailto:mwinge@terra.com.br]
Enviada em: quarta-feira, 21 de fevereiro de 2007 18:45
Assunto: SIGEP - Proposta IGNIMBRITOS DO ENGENHO SACO, IPOJUCA, PE
Prezado colega geocientista,
 A SIGEP objetiva o cadastro de sítios geológicos e paleobiológicos do Brasil a serem preservados e a sua publicação na forma de artigos científicos que incluem recomendações de preservação desses sítios
 A partir dessa base de dados(ver sítios já publicados: http://www.unb.br/ig/sigep/sitios.htm), disponibilizada em livros e na Internet, em portugues e em inglês, serão selecionados sítios a serem propostos à UNESCO como Patrimônio Natural da Humanidade.
 Propostas de sítios brasileiros e de sua descrição sistematizada, com vistas a compor base de dados global (Global Indicative List of Geological Sites - GILGES),  vem sendo submetidas, através de formulário padronizado (http://www.unb.br/ig/sigep/formulario.htm), por geocientistas que trabalharam nas áreas dos sítios.
Tais propostas são disponibilizadas na Internet  para conhecimento e avaliação, não só por parte dos membros da  comissão SIGEP mas, tambem, da comunidade geocientífica em geral. Comentários, a favor e contra, sugestões e críticas pertinentes, juntamente com as réplicas e tréplicas, são veiculadas tambem na mesma página da proposta.
 (Ver propostas  em estudo  http://www.unb.br/ig/sigep/propostas/   
 e propostas já aprovadas: http://www.unb.br/ig/sigep/quadro.htm)
 
É com satisfação que informamos o recebimento de mais uma proposta de sítio com compromisso de sua descrição (clique abaixo):
  IGNIMBRITOS DO ENGENHO SACO, IPOJUCA, PE
 
Aguardamos seus comentários, a favor e contra, sugestões e críticas que embasarão a aprovação ou não dessa proposta já com vistas a compor o Volume III da SIGEP - SÍTIOS GEOLÓGICOS E PAELONTOLÓGICOS DO BRASIL.

COMENTÁRIOS DA SIGEP E DA COMUNIDADE GEOCIENTÍFICA
E RÉPLICAS DOS PROPONENTES


De: Mário Sérgio de Melo [mailto:msmelo@br10.com.br]
Enviada em: quinta-feira, 22 de fevereiro de 2007 09:59
Assunto: Re: SIGEP - Proposta IGNIMBRITOS DO ENGENHO SACO, IPOJUCA, PE
Prezado Editor,
Pelo que é possível depreender da proposta (não conheço o local), bem apresentada, a meu ver o sítio do Engenho do Saco credencia-se para inclusão no cadastro para preservação e divulgação através de publicação.
Atenciosamente,
Mário Sérgio de Melo


De: Manfredo Winge [mailto:mwinge@terra.com.br]
Enviada em: quarta-feira, 9 de maio de 2007 17:02
Para: 'marcos'
Assunto: RES: Proposta Ignimbritos do Engenho Saco, Ipojuca/PE

.........

Aproveito e pergunto se este sítio não é contíguo ao Sítio do Granito do Cabo de mesmo magmatismo?
Ver http://www.unb.br/ig/sigep/sitio111/sitio111.pdf

Como sugerido poderiam inclusive compor um sítio do tipo geoparque; assim, a sua idéia de propor uma pequena área para proteção não poderia considerar uma área contígua à do granito, diversificando a área protegida como geoparque do Cabo?? A praia do Xaréu, vizinha à de Gaibu, apresenta rochedos que parecem ser de efusivas ácidas; está correto? se positivo, não seria uma área a ser pensada em proteger e anexar à proposta do Geoparque do Cabo de Santo Agostinho? Outra coisa - não existem ignimbritos mais jovens do que esses no Brasil??

Manfredo

Manfredo Winge
Representante da SBG
SIGEP - Sítios Geológicos e Paleobiológicos do Brasil


De: marcos [mailto:marcos@geologia.ufrn.br]
Enviada em: quarta-feira, 9 de maio de 2007 19:43
Para: Manfredo Winge
Assunto: Proposta Ignimbritos do Engenho Saco, Ipojuca/PE
Caro Manfredo,
Pensei nisso também, em agrupar tudo no Geoparque Cabo do Santo Agostinho. Mas achei melhor, nesse primeiro momento, trabalhá-lo individualmente. Os ignimbritos fazem parte da mesma Província Magmática, porém está geograficamente distante (40 km) do Granito do Cabo. E por se tratar de rochas bastante distintas achei melhor propor como novo local de interesse geológico (e geoconservação).
Na Praia de Xaréu temos traquitos alcalinos como derrame, compondo os traquitos da região de Itapoama, cuja idade é semelhante ao Granito do Cabo.
Sim, não tenho conhecimento sobre outros ignimbritos cretáceos no Brasil.
Mas, claro, se existirem gostaria muito de saber.
Abraços.
Geól. Dr. Marcos Antonio Leite do Nascimento
CPRM - Serviço Geológico do Brasil


De: Manfredo Winge [mailto:mwinge@terra.com.br]
Enviada em: domingo, 10 de junho de 2007 09:03
Cc: Zorano Sérgio de Souza (zorano@geologia.ufrn.br); José Marcelo Arnosio (marnosio@unsa.edu.ar); Marcos Antonio Leite do Nascimento (marcos@geologia.ufrn.br); Paulo Marcos P. Vasconcelos (paulo@earth.uq.edu.au)
Assunto: Proposta Ignimbritos do Engenho Saco - voto da SBG
 
Prezados colegas da SIGEP,
 
as características alcalinas e a localização da ocorrência de ignimbritos bem como sua datação praticamente coeva da do granito do Cabo, indicam a ligação desse magmatismo com o rifteamento relacionado com o processo de ruptura do Supercontinente Gonduana gerando o Oceano Atlântico.
Ver Proposta Ignimbritos do Engenho Saco: http://www.unb.br/ig/sigep/propostas/Ignimbritos_Engenho_Saco_PE.htm
 
O fato dessa formação ignimbrítica cretácica representar, juntamente com as efusivas ácidas dos Aparados da Serra ("As formas de relevo da região dos Aparados da Serra foram esculpidas em rochas efusivas ácidas da Fácies Palmas da Formação Serra Geral") do sítio do Itaimbézinho e Fortaleza (http://www.unb.br/ig/sigep/sitio050/sitio050.pdf), registro geológico de eventos relacionados com a ruptura do Continente Gonduana, nos leva a ser favorável à aprovação da proposta.
 
Manfredo Winge
Representante da SBG na SIGEP:
Comissão Brasileira de Sítios Geológicos e Paleobiológicos do Brasil

De: antonio2673 [mailto:antonio2673@terra.com.br]
Enviada em: domingo, 10 de junho de 2007 17:38
Assunto: Re:Proposta Ignimbritos do Engenho Saco - voto da SBG
....
concordo com a importância deste sítio, mas devo lembrar que o próprio autor cita que a área não está protegida, fazendo parte de uma pedreira em exploração. Segundo eles, a idéia é solicitar a proteção de uma determinada área. Será que antes de darmos como aceite a proposta, não deveríamos pedir a garantia dessa proteção? Lembro que certa vez cabcelamos um sítio aprovado, pois os autores nos comunicaram posteriormente a destruição do local, que creio também estava em uma área de pedreira em exploração. O que acham?
Antonio Carlos


De: marcos [mailto:marcos@geologia.ufrn.br]
Enviada em: segunda-feira, 11 de junho de 2007 08:24
Para: antonio2673; mwinge
Assunto: Proposta Ignimbritos do Engenho Saco - voto da SBG

Prezado Antonio Carlos,
Concordo plenamente com você. Mas tenho uma novidade importante. A exploração na área está paralisada (não há mais intenção de explorar o material - acho que é algo associado a relação custo/benefício que está muito alta) e estamos mantendo contato com a Empresa para individualizarmos um área (afloramento-tipo) para aulas de campo. A região é visitada constantemente por professores e alunos do Curso de Geologia da UFPE e por pesquisadores de outras instituições (UFRN, USP entre outras). Assim, falta apenas documentar/oficializar isso. No caso, se o local for aceito como sítio geológico, as chances serão ainda maiores. Na minha opinião, não teremos problemas com o "tombamento" de uma área naquele local.
Quanto ao texto para o terceiro volume, o mesmo encontra-se em fase de revisão pelos co-autores e muito em breve teremos ele pronto.É isso.
Atenciosamente,
Geól. Dr. Marcos Antonio Leite do Nascimento


De: Carlos Schobbenhaus [mailto:schobben@df.cprm.gov.br]
Enviada em: sexta-feira, 15 de junho de 2007 18:00
Assunto: Re: Análise e parecer - Proposta Ignimbritos do Engenho Saco, Pernambuco

Recomendo aprovação da proposta, tanto por seu caráter singular, quanto por estar localizado em área do potencial Geoparque do Cabo de Santo Agostinho.
Considerando que suas condições de preservação são precárias (pedreira em atividade de extração), urge que uma área específica desse sítio seja delimitada pelo autor da proposta, visando o encaminhamento ao DNPM com recomendação de seu bloqueio.
Carlos Schobbenhaus
Representante da CPRM na SIGEP


De: Celia Regina de Gouveia Souza [mailto:celia@igeologico.sp.gov.br]
Enviada em: sábado, 16 de junho de 2007 00:02
Assunto: Re: Análise e parecer - Proposta Ignimbritos do Engenho Saco, Pernambuco
Concordo com as observações do Schobbenhaus e com a aprovação.

Abraços, Celia


De: ricardolatge@petrobras.com.br [mailto:ricardolatge@petrobras.com.br]
Enviada em: segunda-feira, 18 de junho de 2007 08:40
Assunto: Re: Análise e parecer - Proposta Ignimbritos do Engenho Saco, Pernambuco

A proposta me pareceu adequada à proposta do SIGEP
Saudações
Ricardo


De: wagnersl@petrobras.com.br [mailto:wagnersl@petrobras.com.br]
Enviada em: segunda-feira, 18 de junho de 2007 08:59
Assunto: Re: Análise e parecer - Proposta Ignimbritos do Engenho Saco, Pernambuco

Considero a proposta de preservação dos ignibritos do Engenho Saco bastante pertinente, tendo em vista suas peculiaridades e importância como representativos dos vários tipos de manifestações magmáticas da Província do Cabo. Tive oportunidade de conhecer a localidade, e os afloramentos são surpreendentes, quanto à qualidade e diversidade das estruturas e texturas presentes. Contudo, um ponto crucial é a efetiva preservação do sítio, visto o mesmo ser uma pedreira ainda recentemente explorada. Como o proponente informa que a mesma encontra-se atualmente paralisada, o que não garante que a exploração seja retomada, sugiro apenas que sejam tomadas medidas mais efetivas da preservação, ao menos, de parte do complexo.

Meu voto, todavia, é favorável à proposta.
Wagner


De: Emanuel Teixeira de Queiroz [mailto:emanuel.queiroz@dnpm.gov.br]
Enviada em: segunda-feira, 18 de junho de 2007 17:54
Assunto: RES: Análise e parecer - Proposta Ignimbritos do Engenho Saco, Pernambuco
 

Concordo com a aprovação da proposta “Ignimbritos do Engenho Saco, Pernambuco”. Acrescento que seria importante que o autor da proposta ou quem venha a descrevê-la que sugira uma área de afloramento representativo do sítio para preservação. Assim sendo, será possível uma intervenção do DNPM junto à empresa que explora a pedreira no sentido de manter a área selecionada preservada.

Segue também a análise do colega  Rodrigo Santucci

 

IGNIMBRITOS DO ENGENHO SACO, IPOJUCA, PE

O sítio é extremamente importante e interessante, visto que consiste no mais recente evento desta natureza registrado no Brasil. Os autores também destacam que há a possibilidade de aproveitamento turístico. Entretanto, o relato sobre a exploração do local para a produção de cimento pozzolânico e a ausência de qualquer medida de conservação é muito preocupante. Sugiro inclusive que o DNPM interfira com urgência e auxilie na solicitação de preservação de pelo menos uma parte da pedreira explorada, como sugerem os autores.

Rodrigo Miloni Santucci


AVALIAÇÃO FINAL DE PROPOSTA
DE DESCRIÇÃO DE SÍTIO GEOLÓGICO - PALEOBIOLÓGICO

Nome do Sítio:  IGNIMBRITOS DO ENGENHO SACO, IPOJUCA, PE
Proponentes:   Marcos Antonio Leite do Nascimento; Zorano Sérgio de Souza; José Marcelo Arnosio; Paulo Marcos P. Vasconcelos

Considerando os pareceres, comentários e réplicas constantes na página da proposta, as instituições membros da SIGEP, assim se pronunciam, através de seus representantes, quanto à proposta em epígrafe

INSTITUIÇÃO REPRESENTANTE(S) PARECER
Favorável
Não favorável 
Abstenção
Não se pronunciou
Academia Brasileira de Ciências – ABC Diógenes de Almeida Campos  
Associação Brasileira de Estudos do Quaternário – ABEQUA Célia Regina de Gouveia Souza Favorável
Departamento Nacional de Produção Mineral – DNPM Emanuel Teixeira de Queiroz

Favorável

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis– IBAMA Ricardo José Calembo Marra  
Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN Carlos Fernando de Moura Delphin Isolda dos Anjos Honnen  
Petróleo Brasileiro SA - PETROBRÁS Ricardo Latgé Milward de Azevedo
Rogério Loureiro Antunes
Wagner Souza Lima
Favorável
Serviço Geológico do Brasil – CPRM Carlos Schobbenhaus
Antônio Ivo de Menezes Medina
Mylène Luíza Cunha Berbert-Born

Favorável

Sociedade Brasileira de Espeleologia – SBE Angelo Spoladore
Clayton Ferreira Lino

 

Sociedade Brasileira de Geologia – SBG Manfredo Winge
José Elói Guimarães Campos

Favorável

Sociedade Brasileira de Paleontologia – SBP Antônio Carlos S. Fernandes
Marcello Guimarães Simões
Max Cardoso Langer
Favorável c/ observações