SIGEP - COMISSÃO BRASILEIRA DE SÍTIOS GEOLÓGICOS E PALEOBIOLÓGICOS
(ABC-ABEQUA-CPRM-DNPM-IBAMA-IBGE-IPHAN-PETROBRÁS-SBE-SBGeo-SBP)
=======================

PROPOSTA DE SÍTIO GEOLÓGICO ou PALEOBIOLÓGICO DO BRASIL
A SER PRESERVADO COMO PATRIMÔNIO NATURAL DA HUMANIDADE

1. NOME do SÍTIO(*): Marundito do Pico Pelado, Guarulhos, SP
 
(*)nome consagrado (se não existir proponha um nome conciso que indique o tipo de sítio) seguido do local e da sigla do estado

2. PROPONENTE
Nome completo: Annabel Pérez Aguilar
Endereço p/ postagem: Av. Miguel Stéfano, 3.900, CEP 04301-903, São Paulo, SP
Instituição: Instituto Geógico/SMA
Fax: 011 5073-2219
Telefone: 011 5073-2211
e-mail: anaperez99@hotmail.com; annabelp@igeologico.sp.gov.br
Endereço curriculum Lattes: http://lattes.cnpq.br/7629497459052243

Data da proposta: 27/10/2009

Marque a alternativa correta abaixo:
você está propondo:
[X ] sítio geológico/paleobiológico ainda não sugerido à SIGEP e candidatando-se à sua descrição (*);
[  ] sítio geológico/paleobiológico ainda não sugerido à SIGEP sem candidatar-se à sua descrição; 
[  ] candidatar-se à descrição (*) de sítio geológico/paleobiológico já sugerido e aprovado pela SIGEP.
(*) -
o sítio deverá ser descrito em duas versões, português e em inglês, e de acordo com as Instruções aos Autores.

4. CASO tenha estudado o sítio e ESTEJA SE CANDIDATANDO A DESCREVÊ-LO com artigo científico, informe:

a) Tempo previsto para ENTREGA da MINUTA(*), após a aprovação da proposta: 3 MESES

b) Sugestão preliminar de TÍTULO e de SUBTÍTULO de artigo sobre o sítio (*):

Marundito do Pico Pelado, Guarulhos, SP
Vestígios de mineralizações de ouro em mar mesoproterozóico

c) CO-AUTORES(**):

Caetano Juliani, Universidade de São Paulo, Rua do Lago, 562, CEP 05508-080, São Paulo, SP, http://lattes.cnpq.br/7747851025823425, cjuliani@usp.br;

Lena Virginia Soares Monteiro, Universidade Estadual de Campinas, Rua João Pandiá Calógeras, 51, CEP 13083-870, Campinas, SP, http://lattes.cnpq.br/6455990478032543, lena@ige.unicamp.br;

Jorge Silva Bettencourt, Universidade de São Paulo, Rua do Lago, 562, CEP 05508-080, São Paulo, SP, http://lattes.cnpq.br/6455990478032543,  jsbetten@usp.br;

Edson José de Barros, Secretaria de Meio Ambiente, Prefeitura de Guarulhos, Rua Antônio Vita, 9, Jardim Maia, Guarulhos, SP, 07114-010,  edsonbarros@guarulhos.sp.gov.br;

Márcio Roberto Magalhães de Andrade, Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Av. Frederico Hermann Jr., 345, prédio 6, 2º andar, São Paulo, SP; http://lattes.cnpq.br/4500089773487570, mmandrade@prof.ung.br;

Elton Soares de Oliveira, Rua Canário nº205, Jardim Santa Inês - Bairro Taboão, Guarulhos, CEP 07141 – 180, elton.elton@yahoo.com.br, elton.elton@yahoo.com.br;

Rogério Rodrigues Ribeiro, Instituto Geógico/SMA , Av. Miguel Stéfano, 3.900, CEP 04301-903, São Paulo, SP,  http://lattes.cnpq.br/2080277317012471, rrribeiro@igeologico.sp.gov.br.

Sibele Ezaki, Instituto Geológico; Av. Miguel Stéfano, 3.900, CEP 04301-903, São Paulo, SP, http://lattes.cnpq.br/1064891421648682

(*) Consulte as Instruções aos Autores: http://www.unb.br/ig/sigep/InstrucoesAutores.htm 
(**)
Autor principal é o proponente. Informar co-autores com participação efetiva nos estudos e elaboração do artigo em ordem de importância, indicando Nome Completo, Instituição, curriculum Lattes, e-mail

5. TIPOLOGIA(s) DO SÍTIO (marque com XX o tipo mais característico do sítio e com X os demais):

[   ]Astroblema                 
[   ]Estratigráfico              
[   ]História da Geologia, Mineração, Paleontologia..
[   ]Marinho-submarino  
[X ]Metamórfico                
[X]Paleoambiental           
[   ]Sedimentar                  
[   ]Outro(s):

[   ]Espeleológico  
[   ]Geomorfológico
[   ]Hidrogeológico
(somente casos especiais e com outra tipologia significativa associada)
[   ]Ígneo
[XX]Metalogenético
[   ]Mineralógico
[   ]Paleontológico
[   ]Tectono-estrutural

Observação: [ ] Inclui vestígios arqueológicos  -  [X] Interesse Histórico/Cultural

6. LOCALIZAÇÃO
a. Município(s)/UF: Guarulhos, SP
b. Nome do local: Pico Pelado
c. Coordenadas geográficas (Lat/Long) do centróide da área do sítio:

          
Latitude: 23o 24' 56" S - Longitude: 46o 31' 46" W

7. JUSTIFICATIVAS(*):

Margarita-coríndon xistos (marunditos) são rochas metamórficas muito raras tanto no Brasil como no mundo. A sua raridade deve-se a que sua gênese está associada à percolação de fluidos hidrotermais mineralizantes em ouro através de zonas de falhas. Estas falhas comumente sofrem reativações, provocando a fragmentação e destruição total ou parcial dos litotipos previamente gerados.

No Pico Pelado, os marunditos Cabuçu constituem matacões e blocos in situ, associados a outros litotipos que fazem parte do sistema mineralizante em ouro.

Em seqüências vulcano-sedimentares metamorfizadas em grau médio constituem rochas-guias de grande importância para serem usadas em trabalhos de prospecção de ouro. Variedades ricas em coríndon constituem ocorrências de esmeril natural.

O geossítio proposto encontra-se inserido dentro do Geoparque Ciclo do Ouro criado pelo DECRETO No 25974 2008 (Diário Oficial no 97/2008-GP de16/12/2008) e constitui um mirante maravilhoso nas bordas da cidade de Guarulhos.

(*)para a inclusão como PATRIMÔNIO MUNDIAL DA HUMANIDADE - máximo de 150 palavras

8. BREVE DESCRIÇÃO DO SÍTIO(*):

 

Ao norte da cidade de Guraulhos, SP, no topo do Pico Pelado e em uma de suas encostas, há presença de marunditos. Estas rochas formam duas lentes que afloram próximo à Zona de Cisalhamento do Rio Jaguari, possuindo, a maior delas, um comprimento de aproximadamente 60 m. Afloramentos métricos insitos de matacões e blocos dispersos estão sobrepostos, concordantemente, a metabasitos, clorita xistos, metassedimentos trufíticos, metatufos e xistos grafitosos e pequenas lentes decimétricas de muscovita xistos com rutilo e sem quartzo. Predomina uma forte foliação milonítica devido à influência da Zona de Cisalhamento do Rio Jaguari.

Os marunditos são rochas metamórficas formadas por quantidades variáveis de coríndon, margarita, muscovita e rutilo. No Pico Pelado há diferentes variedades destas rochas em função da concentração relativa dos seus minerais constituintes. A variedade marrom está principalmente formada por margarita ± rutilo, possuindo geralmente pequenas concentrações de coríndon e margarita. A variedade azul escuro está composta essencialmente por coríndon ± rutilo e a variedade branca e azul clara, principalmente por margarita ± muscovita, podendo possuir quantidades pequenas de coríndon e rutilo. Observam-se transições entre as diferentes variedades de marunditos acima descritos.

As variedades marrom e branca/azul claro são rochas de granulação muito fina, predominando litotipos finamente laminados, podendo apresentar, localmente, estrutura bandada. A variedade azul escuro caracteriza finas vênulas, veios e brechas hidráulicas e geralmente possui granulação média a grossa. Todas as variedades de marunditos são cortados por diversas gerações de vênulas e veios formados essencialmente por margarita e/ou muscovita.

Os marunditos aqui descritos são os produtos metamórfico de zonas de alteração argílica e argílica avançada que afetaram essencialmente tufos do Grupo Serra do Itaberaba em uma bacia de retro-arco do Mesoproterozóico. O processo de alteração hidrotermal gerou argilas muito ricas em alumínio e foi responsável pelo lixiviamento da maioria dos cátions presentes nos protolitos. Posteriormente, ao metamorfismo de grau médio, formam gerados os margarita-coríndon xistos.

Assim, os marunditos Cabuçu são vestígios da existência de um mar mesoproterozóico onde houve atividade vulcânica associada a processos de alteração hidrotermal  e mineralizantes em ouro.

 

 

Figuran 1- Marunditos Cabuçu: variedade de marundito marrom (C e D), cortado pela variedade de marundito azul escuro. A e C fotos de Aparício Reis; B e D fotos de Annabel Pérez Aguilar.

 

(*) Máximo de 1.000 palavras. Anexar ao e-mail até 2 fotos (máximo 500 kbytes cada) significativas do sítio e, se disponíveis, links ou até capítulo de tese ou de artigo do proponente sobre o sítio

9. VULNERABILIDADE DO SÍTIO A ATIVIDADES DE MINERAÇÃO OU DEGRADAÇÃO AMBIENTAL(*): no momento não há vulnerabilidade do sítio a atividades de mineração ou degradação ambiental por fazer parte de uma  propriedade particular relativamente bem monitorada.

(*)Caso o sítio esteja sob riscos iminentes ou já existentes de depredação ou de destruição natural, informe sucintamente quais são e as causas

10. SITUAÇÃO ATUAL DE CONSERVAÇÃO E ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELA PROTEÇÃO: No momento a Secretaria do Meio Ambiente de Guarulhos está trabalhando para incorporar esta área ao Geoparque Ciclo do Ouro por ser um litotipo representativo da mineralização aurífera que foi intensamente explorada na região durante a época da colônia. Para viabilizar a implantação do Geoparque Ciclo do Ouro a Secretaria do Meio Ambiente de Guarulhos, representantes da comunidade local, o Instituto Geológico/SMA e a Universidade de São Paulo estão trabalhando em conjunto.

 

11. BIBLIOGRAFIA REFERENTE AO SÍTIO PROPOSTO ORDENADA POR DATA(*):

LEFEVRE, V. 1958. Resumo do relatório das atividades do Instituto Geográfico e Geológico de São Paulo, durante o ano de 1954. Boletim do Instituto Geográfico e Geológico, 13(único):19-37, 1955/1958.

COUTINHO, J.M.V.; RODRIGUES, E. de P.; SUEMITSU, A.; JULIANI, C.; BELJAVSKIS, P.; PEROSA, P de T.Y. 1982. Geologia e petrologia da sequência vulcano-sedimentar do Grupo São Roque na Serra de Itaberaba - SP. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 32, Salvador, 1982. Anais..., Salvador, SBG,  v.2, p. 624-640.

JULIANI, C; BELJAVSKIS, P. & SCHORSCHER, H.D. 1986. Petrogênese do vulcanismo e aspectos metalogenéticos associados: Grupo Serra do Itaberaba na região do São Roque - SP. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 34, Goiânia, 1986.  Anais..., Goiânia, SBG,  v.2, p. 730-743.

BARBOUR JR., E. 1987. Prospecção de ouro na área Morumbi-Mairiporã - SP. São Paulo, IPT/PRÓ-MINÉRIO, 50p. (IPT, Relatório 25.437)

JULIANI, C. 1993. Geologia, petrogênese e aspectos metalogenéticos dos grupos Serra do Itaberaba e São Roque na região das serras do Itaberaba e da Pedra Branca, NE da cidade de São Paulo, SP. Tese de Doutorado, Instituto de Geociências da USP.

JULIANI, C.; SCHORSCHER, H.D.; PÉREZ-AGUILAR, A. 1993. Corundum-margarite schists, marundites, in precambrian Serra do Itaberaba Group, São Paulo, Brazil: geological relationships and petrogenesis. In: Reunião Anual da Academia Brasileira de Ciências, São Paulo. Anais da Academia Brasileira de Ciências, 1993. v. 66. p. 498-498.

MARTIN, M.A.B. & JULIANI, C. 1994. Geologia, petrografia e gênese dos marunditos (margarita-corÍndon xistos). In: CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 38, Balneário de Camburiú, 1994.  Boletim de Resumos Expandidos..., Balneário de Camburiú, SBG,  v.3, p. 77-78

JULIANI, C.; PÉREZ-AGUILAR, A. ; MARTIN, M. A. B. 1996. Ocorrência de anfibolitos com cummingtonita/antofilita, marunditos e turmalinitos em seqüências metavuilcano-sedimentares de grau médio e sua implicação como guia de prospecção de ouro e metais de base. In: XXXIX Congresso Brasileiro de Geologia, 1996. Anais do XXXIX Congresso Brasileiro de Geologia, 1996. v. 3. p. 111-113.

BELJAVSKIS, P., JULIANI, C., GARDA, G.M., XAVIER, R.P.; BETTENCOURT, J.S. 1999. Overview of the gold mineralization in the metavolcanic-sedimentary sequence of the Serra do Itaberaba Group, São Paulo, Brazil. In: Standley, C.J. et al. (1999) Mineral Deposits: Processes to Processing 1. Balkema, 151-153.

PÉREZ-AGUILAR, A.; JULIANI, C ; MARTIN, M. A. B. 2000 . Mesoproterozoic paleo-hidrothermal system in the Morro da Pedra Preta Formation, Serra do Itaberaba Group, São Paulo State, Brazil. Revista Brasileira de Geociências, Brasil, v. 30, p. 409-412.

PEREZ-AGUILAR,A. 2001. Petrologia e litoquímica de rochas de paleossistemas hidrotermais oceânicos mesoproterozóicos da seqüência metavulcanossedimentar do Grupo Serra do Itaberaba, SP. Tese de Douturado, Instituto de geociências da USP. 

PÉREZ-AGUILAR, A.; JULIANI, C. 2005. Metallogenetic potential for the ocurrence of exhalative gold and base metal deposits in the central segment of the Ribeira fold belt. In: I Simpósio Brasileiro de Metalogenia, 2005, Gramado. Resumos do I Simpósio Brasileiro de Metalogenia.

PEREZ-AGUILAR, A; JULIANI, C.; MONTEIRO, L. V. S.; FALLICK, A ; BETTENCOURT, J.S. 2005. Stable isotopic constraints on Kuroko-type paleohydrothermal systems in the Mesoproterozoic Serra do Itaberaba group, São Paulo State, Brazil. Journal of South American Earth Sciences, v. 18, p. 305-321.

PÉREZ-AGUILAR, A.; JULIANI, C. 2006. Alteração high-sulfidation em ambiente oceânico associada à gênese de margarita-coríndon xistos (marunditos). In: XLIII Congresso Brasileiro de Geologia, 2006, Aracaju. Anais do XLIII Congresso Brasileiro de Geologia, p. 172-172.

ALMEIDA, T.I.R. DE ; JULIANI, C.; MANTOVANI, W. ; PÉREZ-AGUILAR, A. 2007. Comunidades florestais como indicadores geobotânicos: o caso da mineralização aurífera do Grupo Serra do Itaberaba, Guarulhos, São Paulo,. Revista Brasileira de Geociências, v. 37, p. 37-49.

PÉREZ-AGUILAR, A.; JULIANI, C.; MONTEIRO, L. V. S. 2007. Petrografia de zonas de alteração hidrotermal mesoproterozóicas do tipo Kuroko no Grupo Serra do Itaberaba (SP) e seu uso na exploração mineral. Revista do Instituto Geológico, v. 27/28, p. 31-52, 2007.

PÉREZ-AGUILAR, A. ; JULIANI, C.; MONTEIRO, L. V. S. ; FALLICK, A.E., 2007 . Stable isotope study on margarite-corundum schists (metamorphosed high-sulfidation alteration zones) from the Serra do Itaberaba Group, Brazil. In: 7th International Symposium on Applied Isotope Geochemistry, 2007, Stellenbosch. In: MILLER, J.A. ed. 7th International Symposium on Applied Isotope Geochemistry Abrstract Volume. Stellenbosch University, 106-107 (CD-ROOM), p. 106-107.

PÉREZ-AGUILAR, A.; JULIANI, C.; MONTEIRO, L. V. S. ; FALLICK, A.E. 2007 . Stable isotope study on metamorphosed high-sulfidation alteration zones (margarite-corundum schists) from the Serra do Itaberaba Group. In: XI Congresso Brasileiro de Geoquímica, 2007, Atibaia. Anais do XI Congresso Brasileiro de Geoquímica, Atibaia, SP, pdf 300 (CD- ROOM), 2007.

PÉREZ-AGUILAR, A. ; JULIANI, C.; MONTEIRO, L. V. S. ; BETTENCOURT, J.S.; FALLICK, A.E. 2008. Margarite-corundum schists (metamorphosed high sulfidation alteration zones). In: 33rd International Geology Congress, 2008, Oslo. Abstracts from the 33rd International Geology Congress. Oslo : IUGS, 2008.

PÉREZ-AGUILAR, A.; JULIANI, C.; MONTEIRO, L. V. S.; BETTENCOURT, J.S.; BARROS, E.J.; ANDRADE, M.R.M. 2009. Mineralização high-sulfidation submarina mesoproterozóica no Grupo Serra do Itaberaba, SP: implicações metalogenéticas em cinturões metamórficos. In: II Simpósio Brasileiro de Metalogenia, 2009, Gramado. Resumos do II Simpósio Brasileiro de Metalogenia, 2009.

 

Em vermelho destaque de trabalhos de candidatos a autor e co-autor.

(*)assinalar em destaque trabalhos dos candidatos a autor e co-autor

12. FOTO E SINOPSE DO CURRICULUM VITAE DO(S) CANDIDATO(S) A AUTOR(ES)(*):

 

Annabel Pérez Aguilar

Mestre e doutor em Geologia pela Universidade de São Paulo (USP). Desde 2004 é pesquisadora do Instituto Geológico do Estado de São Paulo, Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Áreas de atuação: mapeamento geológico, petrologia metamórfica, seqüências vulcano-sedimentares, interação fluido-rocha e isótopos estáveis.

 

 

 

 

Caetano Juliani

Doutor em Mineralogia e Petrologia pela Universidade de São Paulo (USP). Atualmente é professor associado do Instituto de Geociências da USP. Áreas de atuação: petrologia, metalogênese e evolução crustal, alteração hidrotermal, metamorfismo, geotermobarometria, Grupo Serra do Itaberaba e Tapajós.

 

 

 

 

Lena Virginia Soares Monteiro

Doutor em Recursos Minerais pela Universidade de São Paulo e Pós-Doutor em Evolução Crustal e Metalogênese pelaUniversidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Atualmente é Professora Assistente Doutora do Instituto de Geociências da UNICAMP. Áreas de atuação: depósitos de óxido de ferro-cobre-ouro, depósitos auríferos e de metais base, evolução de fluidos mineralizantes e interação fluido-rocha e alteração hidrotermal.

 

 

 

Jorge Silva Bettencourt

 Doutor em Recursos Minerais pela Universidade de São Paulo. Desde 2000 é professor titular colaborador do Instituto de Geociências da Universidade de São Paulo. Áreas de Atuação: metalogenia,   exploração mineral e modelos de depósitos minerais tendo como foco os temas Caton Amazônico, Bacia do São Francisco, evolução crustal proterozóica e modelamento metalogenético de depósitos minerais -metais raros e metais não ferrosos- com ênfase em isótopos estáveis e inclusões fluídas.

 

 

 

Edson José de Barros

 Mestre em Geologia e Meio Ambiente pela Universidade de São Paulo. Atualmente é Diretor de Departamento da Secretaria do Meio Ambiente da Prefeitura de Guarulhos. Entre 1992 e 1996 trabalhou na EPT – Engenharia e Pesquisas Tecnológicas S/A e entre 1996 e 2000 na Prefeitura de Santos e desde 2001 é Professor das Faculdades de Guarulhos. Áreas de atuação: diagnóstico ambiental, manejo sustentável, bases geoambientais, Parque Estadual da Cantareira e núcleo Cabuçu de Guarulhos.

 

 

 

Márcio Roberto Magalhães de Andrade

 Doutor em Geografia pela Universidade de São Paulo. Atualmente trabalha na Coordenadoria de Planejamento Ambiental da Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Entre 1992 e 2009 trabalhou na Prefeitura do Município de Guraulhos e desde 2000 é professor da Universidade de Guarulhos. Áreas de atuação: planejamento ambiental, diagnóstico ambiental, manejo sustentável, bases geoambientais, Parque Estadual da Cantareira e núcleo Cabuçu de Guarulhos.

 

 

 

Elton Soares de Oliveira

Graduando da Faculdade Integrada de Ciências Humanas, Saúde e Educação de Guarulhos. Atualmente é professor de história na escola Centro de Convivência Educacional - Paulo Freire de Guarulhos. Em 2005 foi Membro Fundador do movimento “Guarulhos tem História”, cujas atividades resultaram na elaboração de um site sobre a história da cidade de Guarulhos, em pedidos de tombamento de patrimônios locais e lançamento de três livros: “Conto, Canto e Encanto com a Minha História, Guarulhos, Espaço de Muitos Povos”, “Guarulhos tem História, questões de História Natural e social e Aspectos Geográficos”. Em 2008 iniciou a apresentação do programa “Destaque Repórter – Canal 15”, programa que conta a história de Guarulhos. Áreas de atuação: história de Guarulhos, preservação do patrimônio histórico de Guarulhos.

 

Rogério Rodrigues Ribeiro

Mestre em Geologia Sedimentar pela Universidade de São Paulo, possuindo também Licenciatura Plena pela mesma universidade. Em 2005 realizou uma Especialização em Engenharia de Controle da Poluição Ambiental na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. Desde 2006 é é Pesquisador Científico do Instituto Geológico do Estado de São Paulo, Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Áreas de Atuação: Monumentos Naturais, Geodiversidade e Geomorfologia

 

 

 

Sibele Ezaki

Mestre em Recursos Minerais e Hidrogeologia pela Universidade de São Paulo. Desde 2004 é pesquisadora do Instituto Geológico do estado de São Paulo, Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Áreas de atuação: Hidrogeologia e Geoquímica, hidrogeoquímica, metais pesados, aterro sanitário e solo e monumentos naturais.

 

 (*)Sinopse do(s) currículo(s) do(s) candidato(s) a autor(es) que efetivamente participaram das pesquisas. Cada "minicurrículo" deverá ter no máximo 120 palavras e ser acompanhado de fotografia pequena tipo 3x4. Constituirá apêndice do artigo se a candidatura for aprovada e o artigo aceito para publicação.

RESERVADO À SIGEP:
DATA APROVAÇÃO DA PROPOSTA:      21/ 12 / 2009        -   MINUTA PREVISTA PARA:    20/ 03/ 2010   (postergada - ver e-mail)   


From: mwinge@terra.com.br
To: anaperez99@hotmail.com
CC: annabelp@igeologico.sp.gov.br; cjuliani@usp.br; edsonbarros@guarulhos.sp.gov.br; elton.elton@yahoo.com.br; jsbetten@usp.br; lena@ige.unicamp.br; mmandrade@prof.ung.br; rrribeiro@igeologico.sp.gov.br; sibezaki@igeologico.sp.gov.br
Subject: RES: Proposta de Sítio: Marunditos Cabuçu, Guarulhos, SP
Date: Wed, 28 Oct 2009 14:44:28 -0200

Prezados Annabel e co-autores,

obrigado por enviar a proposta que está sendo disponibilizada na internet para avaliação geral pela Comissão Sigep e pela comunidade geocientífica.

Antes de disponibilizar, favor tirar umas dúvidas:

 Aguardamos

Sds

Manfredo

p/ SIGEP


De: Annabel Perez Aguilar [mailto:anaperez99@hotmail.com]
Enviada em: quarta-feira, 28 de outubro de 2009 17:47
Para: mwinge@terra.com.br; Caetano Juliani; Lena Unicamp; Jorge Silva Bettencourt; EdsonBarros; Elton Oliveira; Rogério; Sibele
Assunto: RE: RES: Proposta de Sítio: Marunditos Cabuçu, Guarulhos, SP

 

Prezado Manfredo, esclarecendo as perguntas levantadas, muito pertinentes:
 
1) 
O sítio refere-se a marunditos (tipos de rochas diferentes) ou a marundito (um tipo de rocha com eventuais variedades)
A rocha refere-se a marundito, um tipo de rocha que apresenta variedades mas dentro de um certo limite. Caracteristicamente são rochas compostas essencialmente por coríndon, margarita  e rutilo mas en quantidades variáveis. Por vezes posuem pequenas quantidades de muscovita. Ou seja, algumas possuem mais margarita e rutilo, outras mais coríndon e rutilo, outras mais margarita e pouco coríndon e rutilo. O nome de marundito foi usado pela primeira vez por Hall (1920; ver bibliografia anexada no final) para denominar rochas metamórficas semelhantes encontradas no Barberton Geenstone Belt (nome por ele usado: marundite). Embora encontradas em ambiente tectônico diferente ao do Grupo Serra do Itaberaba, pela sua similaridade (rochas muito enriquecidas em alumina), este nome tem sido usado para descrever rochas semelhantes que afloram no Grupo Serra do Itaberaba, incluindo as do Pico Pelado. Este Grupo possui idade Mesoproterozóica (Juliani et al, 2000; bibliografia anexada no final). As variedades de marundito refletem tanto a sua posição espacial de formação em relação ao conduto principal de percolação de fluidos como eventuais sobreposiçães de processos de alteração hidrotermal devido a migrações do canal principal de percolação de fluidos. O sistema é alimentado por pequenos e contínuos pulsos. O correto, então, é usar marundito e não marunditos como sugerido no nome.
 
 
2) O nome do sítio não deveria ser “Marundito do Pico Pelado, Guarulhos, SP”? Pico Pelado indica pico sem vegetação o que é interessante indicar; por quê Cabuçu; é nome de local?
Sem dúvida este nome fica muito melhor! Considerando que o Pico Pelado é um local geográfico reconhecido pela população. Tem sido referidos como Marunditos Cabuçu por estarem presentes na Folha Topográfica 1: 10.000 denominada de Cabuçu (Terrafoto/IGC, código 3442) e porque Cabuçu representa uma região que possui grande valor histórico na região. Mas concordamos com o nome sugerido.
 
 

3) A lixiviação e a mineralização aurífera associadas são singenética/diagenéticas/metamorfismo de fundo oceânico em mar proterozóico ou estão associadas a processos metamórfico-metassomáticos superimpostos (fase tardiorogênica ou outra?)

O processo que formou o protolito dos marunditos  e as mineralizações de ouro primária da região são singenéticas. Os fluidos responsáveis pelos processos de alteração singenética de, essencialmente tufos, no caso do Pico Pelado, foram muito ácidos e sulfatados e foram responsáveis pelo lixiviamento da maioria dos cátions presentes nestes tufos, deixando um resíduo muito rico em alumina. Caracterizam um sistema high-sulfidation de fundo oceanico em um ambiente de retro-arco do mesoproterozóico. Estes sistemas só recentemente estão sendo descritos na literatura. Estes mesmos fluidos foram responsáveis pela presença de mineralizações auríferas primárias. Posteriormente, as rochas do Grupo Serra do Itaberaba foram submetidas a dois eventos metamórficos de grau médio e os protolitos altamente enriquecidos em alumina formaram rochas compostas essencialmente por coríndon, margarita e rutilo. Os eventos metamórficos posteriores serviram para concentrar o ouro primário, especialmente em charneiras de dobras D2 ou em veios de quartzo. A formação do protolito dos marunditos não está associada a processos metamórficos-metassomáticos superimpostos uma vez que pode ser observada a cristalização de coríndon margarita e rutilo em paragênese durante a S1 e, de forma mais intensa, durante a S2, indicando que os processos metassomáticos aconteceram previamente aos eventos metamórficos que posteriormente afetaram estas rochas. Em trabalhos detalhados de campo nas demais ocorrências de marunditos do Grupo Serra do Itaberaba formam encontrados pequenos corpos de riolitos a riodacitos associados aos marunditos e de marunditos cujas texturas reliquiares sugerem serem estas rochas ígneas intensamente metassomatizadas. Estes pequenos corpos ígneos representariam o  "motor" do sistema. Ou seja, a fonte de calor.

 

4) Qual é, na realidade, a principal tipologia do sítio (deveria ter sido marcada com XX) que permitiria classificar mais adequadamente a ocorrência em uma subdivisão de livro por tipologias principais? Seria metamórfica (e metassomática), metalogenética, história da geologia econômica (ciclo do ouro)?

A tipologia mais importante seria metalogenética. São rochas-guias ou metalotectos de grande importância para a prospecção de ouro em sequências vulcano-sedimentares metamorfisadas em grau-médio. Assim como em sistemas não metamorfisados são zonas de alteração argílica e argílica avançada.

 

5) Foi indicada tipologia paleoambiental que, me parece, não fazer sentido no caso da ocorrência indicada; favor confirmar se deve ser mantida e porquê?.

Faria sentido considerando que estas rochas foram geradas no fundo de um oceano do mesoproterozóico onde também são encontrados metabasitos de filiação N-MORB, metatufitos, metavulcanoclásticas, metacarbbonatos, formações ferríferas do tipo Algoma e  metapelitos ferro-manganesíferos.

 

Hall, A. L., 1920. Corundum in the Northern and Eastern Transvaal. Geological Survey of South Africa. Momoir 15, 223p. 
 
JULIANI, C. ; HACKSPACHER, Peter ; DANTAS, Elton Luiz ; FETTER, Allen Hutcheson . The Mesoproterozoic volcano-sedimentary Serra do Itaberaba Group of the Central Ribeira Belt, São Paulo, Brazil: implications for the age of the overlying São Roque Group. Revista Brasileira de Geociências, v. 30, n. 1, p. 82-86, 2000.
 
Nos colocamos a disposição para qualquer esclarecimento, Annabel e colaboradores


Enviada em: quinta-feira, 29 de outubro de 2009 22:09
Assunto: Nova PROPOSTA DE SÍTIO: Marundito do Pico Pelado, Guarulhos, SP

 

Prezado colega geocientista,

 

veja e avalie uma nova proposta de sítio geológico candidato a integrar o INVENTÁRIO DE GEOSSÍTIOS DO BRASIL A SEREM PRESERVADOS e, eventualmente, ser proposto como Patrimônio Natural da Humanidade à UNESCO:

 

Marundito do Pico Pelado, Guarulhos, SP  

Proposta de: Annabel Pérez Aguilar; Caetano Juliani;Lena Virginia Soares Monteiro; Jorge Silva Bettencourt;Edson José de Barros; Márcio Roberto Magalhães de Andrade;Elton Soares de Oliveira;Rogério Rodrigues Ribeiro;Sibele Ezaki

Ver detalhes em: http://www.unb.br/ig/sigep/propostas/Marundito_Pico_Pelado_Guarulhos_SP.htm

 

        

 

 

Propostas de sítios brasileiros com o compromisso de sua descrição científica sistematizada, com vistas a compor base de dados de nossos MONUMENTOS GEOLÓGICOS, vem sendo submetidas através de formulário padronizado como é o caso desta proposta.

 

Tais propostas são disponibilizadas na Internet  para conhecimento e avaliação pela comunidade geocientífica. Comentários, a favor e contra, sugestões e críticas pertinentes, juntamente com as réplicas e tréplicas, são veiculadas também no mesmo site da proposta.

 

A SIGEP (*) aguarda seus comentários, críticas e sugestões à proposta acima.

 

Propostas já aprovadas, mas carecendo de autores para descrever os sítios, podem ser vistas no quadro: http://www.unb.br/ig/sigep/quadro.htm#2.   Se você estudou algum desses sítios ou tenha outro a propor e esteja interessado em preparar artigo descrevendo-o para ser publicado, acesse a página abaixo e preencha o formulário:

(http://www.unb.br/ig/sigep/formulario.htm). 

   

         A SIGEP está recebendo, também, SUGESTÕES EM CARÁTER PRELIMINAR de sítio(s) que o colega julgue que deva ser preservado como monumento geológico, mesmo que no momento não tenha realizado pesquisas suficientes para assumir o compromisso de sua descrição com artigo científico. 

Antes de propor qualquer novo sítio, entretanto, veja se ele atende aos pré-requisitos definidos na página de acesso ao formulário. Veja também se ele já não foi elencado em http://www.unb.br/ig/sigep/Lista_Geral_Sitios_e_Propostas.pdf ou mais especificamente em:

SUGESTÕES PRELIMINARES
PROPOSTAS CANCELADAS
PROPOSTAS EM ESTUDO
PROPOSTAS APROVADAS
SÍTIOS PUBLICADOS

Comissão EDITORIAL da SIGEP

 

 

        (*) A SIGEP objetiva o INVENTÁRIO de sítios geológicos e paleontológicos a serem preservados  como PATRIMÔNIO GEOLÓGICO DO BRASIL.

Isto é feito em dois momentos principais: o primeiro  corresponde à proposição de um sítio  que deve ser feita por quem o estudou e o conhece bem, proposição essa submetida, como é o caso presente, à análise e avaliação pela comunidade geocientífica; o segundo momento, se aprovada a proposta, é o de descricão do sítio pelo(s) proponentes na forma de artigo científico que inclui informações sobre a vulnerabilidade e medidas de proteção existentes e recomendadas para sítio. As instruções detalhadas para os autores indicam um padrão específico da SIGEP e podem ser vistas em http://www.unb.br/ig/sigep/InstrucoesAutores.htm.

 

Os artigos aprovados compõem, assim, base de dados amplamente divulgada e disponibilizada em livros e na Internet, em português e em inglês, que serve de guia seguro aos setores competentes governamentais e interesses privados para implementação de medidas visando a preservação /geoconservação  adequada dos nossos monumentos naturais com vistas, também, à seleção de sítios a serem propostos à UNESCO como Patrimônio Natural da Humanidade.

 

Constitui-se, assim, esse inventário em um arquivo em permanente desenvolvimento (“open ended file”), sendo que cada artigo aprovado sobre um sítio constitui ou constituirá um capítulo de livro "SÍTIOS GEOLÓGICOS E PALEONTOLÓGICOS DO BRASIL" cujo volume I já foi publicado com cinquenta e oito sítios e o volume II, com quarenta sítios, já está em fase final de diagramação para ser impresso.

 

Os artigos dos sítios já publicados podem ser acessados em: http://www.unb.br/ig/sigep/sitios.htm

ou "linkados" via mapa de localização no Brasil em: http://www.unb.br/ig/sigep/mapindex/mapindex.htm

 => favor repassar a geocientistas de sua lista de e-mails


 

COMENTÁRIOS, CRÍTICAS E SUGESTÕES DA SIGEP
E DA COMUNIDADE GEOCIENTÍFICA
E RÉPLICAS DO PROPONENTE


De: william sallun filho [mailto:wsallun@gmail.com]
Enviada em: quinta-feira, 29 de outubro de 2009 21:57
Assunto: Re: RES: Proposta de Sítio: Marundito do Pico Pelado, Guarulhos, SP

 Caros colegas

Apesar de não ser especialista neste assunto, lendo a proposta e conhecendo o trabalho da Annabel e do grupo, vejo a importância geológica do sítio.

Acredito que o esforço que vem sendo realizado para a criação do Geoparque ciclo do ouro deve render resultados breves, o que será muito importante para uma a região da grande São Paulo. E, talvez, o reconhecimento do sítio pela SIGEP venha somar esforços neste sentido.

 

Desta forma meu parecer é favorável.

Att,

William Sallun Filho

Representante da SBE


De: Emanuel Teixeira de Queiroz [mailto:emanuel.queiroz@dnpm.gov.br]
Enviada em: segunda-feira, 2 de novembro de 2009 15:23
Assunto: Marundito do Pico Pelado, Guarulhos, SP

 .................... 

Trata-se de uma proposta de sítio pioneira nessa categoria de padrão litológico: "Margarita-corindon xistos (Marunditos)". Esse produto de alteração de processos hidrotermais associado a zonas de cisalhamento em ambiente metavulcanossedimentar do mesoproterozóico, caracteriza um marcante metaloteto de mineralização aurífera de interesse  como parâmetro prospectivo e balizador desse tipo de mineralização em outros ambientes similares.

A equipe que propõe a descrição do sítio é composta de pesquisadores de larga experiência e dispensa comentários.

 

A minha posição é de aprovação da proposta.
.................

 Emanuel Teixeira de Queiroz
Representante do DNPM


De: fernande [mailto:fernande@acd.ufrj.br]
Enviada em: quinta-feira, 5 de novembro de 2009 13:31
Para: Manfredo Winge; 'Annabel Perez Aguilar'; 'Caetano Juliani'; 'LenaUnicamp'; 'Jorge Silva Bettencourt'; 'EdsonBarros'; 'EltonOliveira'; ' Rogério '; 'Sibele'
Cc: Carlos Fernando de Moura Delphim; 'Carlos Schobbenhaus'; ' Célia Regina de Go uveiaSouza'; ' Célia Regina de Go uveiaSouza'; 'Clayton Ferreira Lino'; 'Diogenes de Almeida Campos'; 'Diogenes de Almeida Campos'; 'EmanuelTeixeira de Queiroz'; 'Gilberto Ruy Derze'; 'Isolda dos Anjos Honnen'; ' João Wagner de Ale ncar Castro'; ' José Eloi Guimarãe s Campos'; ' Marcello Guimarães Simões '; 'Max Cardoso Langer'; Mylène Luíza Cunha Berbert-Born; ' Ricardo Latgé Milw ard deAzevedo'; 'Rodrigo Miloni Santucci'; ' Rogério Loureiro A ntunes'; 'Sidney Ribeiro Gonzalez'; 'Wagner Souza Lima'; 'William Sallun Filho'; roberto.iannuzzi@ufrgs.br
Assunto: Re: RES: RES: Proposta de Sítio: Marundito do PicoPelado, Guarulhos, SP

 Manfredo e demais colegas,
as informações presentes no formulário demonstram a importância do sítio, bem como o interesse de órgãos oficiais na preservação da área em que se encontra. Sendo assim, corroborando as observações já feitas por outros colegas, sou favorável à aprovação do sítio.
Atenciosamente,
Antonio Carlos S. Fernandes (Representante da SBP na SIGEP)


De: Manfredo Winge [mailto:mwinge@terra.com.br]
Enviada em: segunda-feira, 7 de dezembro de 2009 16:25
Para:
Cc:
Assunto: ENC:PROPOSTA: Marundito do Pico Pelado, Guarulhos, SP - PARECER DA SBG

 Colegas da SIGEP,

 como representante da SBG, sou favorável a aprovação da proposta, visto que, conforme determinado pelos proponentes, a alteração hidrotermal proterozóica, sin-deposicional ou pré-orogênica com mineralizações auríferas associadas e a posterior transformação metamórfica para um litotipo sui generis, indicam uma tipologia metalogenética e metamórfica especial com o Pico Pelado representando uma área-tipo desses processos petrológicos.

Sds

Manfredo

c/c proponentes

 Manfredo Winge
Representante da SBG na SIGEP


De: Celia Regina de Gouveia Souza [mailto:celiagouveia@gmail.com]
Enviada em: quarta-feira, 9 de dezembro de 2009 12:00
Assunto: Re: PROPOSTA: Marundito do Pico Pelado, Guarulhos, SP - PARECER DA SBG

 ..........
Meu voto para o sítio Murundito do Pico Pelado, Guarulhos SP é favorável.

Abs.,

Celia

Representante da ABEQUA na SIGEP


De: ricardolatge@petrobras.com.br [mailto:ricardolatge@petrobras.com.br]
Enviada em: quinta-feira, 10 de dezembro de 2009 11:16
Assunto: “Marundito do Pico Pelado,SP”

 

Registro o meu apoio a proposta.
Saudações
Ricardo
Representante da Petrobras na SIGEP

De: Manfredo Winge [mailto:mwinge@terra.com.br]
Enviada em: segunda-feira, 21 de dezembro de 2009 15:21
Para: Annabel Pérez-Aguilar (anaperez99@hotmail.com); Annabel Pérez-Aguilar (annabelp@igeologico.sp.gov.br); Caetano Juliani (cjuliani@usp.br); Edson José de Barros (edsonbarros@guarulhos.sp.gov.br); Elton Soares de Oliveira (elton.elton@yahoo.com.br); Jorge Silva Bettencourt (jsbetten@usp.br); Lena Virginia Soares Monteiro (lena@ige.unicamp.br); Márcio Roberto Magalhães de Andrade (mmandrade@prof.ung.br); Rogério R. Ribeiro (rrribeiro@igeologico.sp.gov.br); Sibele Ezaki (sibezaki@igeologico.sp.gov.br)
Cc:
Assunto: PROPOSTA APROVADA: SÍTIO Marundito do Pico Pelado, Guarulhos, SP

Prezada Annabel e demais proponentes, 

seguindo as normas da SIGEP, comunico, com satisfação, que a proposta de sítio e compromisso de descrição foi aprovada conforme pode ser visto em http://www.unb.br/ig/sigep/propostas/Marundito_Pico_Pelado_Guarulhos_SP.htm.

 Assim, o sítio " Marundito do Pico Pelado, Guarulhos, SP ", passa a ser relacionado na lista de sítios aprovados e com autores comprometidos com a sua descrição: http://www.unb.br/ig/sigep/quadro.htm.

 A elaboração do artigo a ser submetido deve seguir as instruções específicas da SIGEP (*) e considerar as eventuais sugestões e recomendações específicas apresentadas pela comunidade geocientífica e pelos membros da SIGEP que tenham sido expressas na página da proposta.

(*) http://www.unb.br/ig/sigep/InstrucoesAutores.htm

 Qualquer dúvida a respeito favor nos contactar

 Cordiais saudações

Manfredo

p/equipe editorial

C/C SIGEP

 Manfredo Winge
Representante da SBG na SIGEP


De: Carlos Schobbenhaus [mailto:schobben@df.cprm.gov.br]
Enviada em: segunda-feira, 14 de junho de 2010 13:22
Para:
Assunto: SÍTIOS APROVADOS - COMPROMISSO DE DESCRIÇÃO COM VISTAS AO VOLUME III
Prezado proponente,
na lista de geossítios aprovados com compromisso de descrição no site da SIGEP consta (m) proposta(s) sua.
Algumas dessas propostas estão com data de compromisso de submissão vencidos ou a vencer; outras já estão até com minuta analisada.
Estamos definindo a viabilidade de o Volume III de SÍTIOS GEOLÓGICOS E PALEONTOLÓGICOS DO BRASIL ser publicado dentro do menor prazo possivel, prevendo como de 25 o número mínimo de sítios que tenham sua descrição submetida e aprovada para publicação pela SIGEP.
Assim, necessitamos que informe se a submissão do artigo referente a sua proposta consta REALMENTE de sua programação e a DATA MAIS PROVÁVEL de ocorrer para que possamos agendar o financiamento ou patrocínio da obra.
Cordiais saudações
Carlos Schobbenhaus
Presidente da SIGEP


De: Annabel Perez Aguilar [mailto:anaperez99@hotmail.com]
Enviada em: terça-feira, 15 de junho de 2010 10:13
Para:
Assunto: Encaminhamento de artigo do Marundito de Pico Pelado
Prezado Manfredo e demais membros da SIGEP (enviando de novo com cópia para co-autores)
Com relação à submissão do artigo do Marundito da ocorrência de Pico Pelado gostaríamos de salientar as seguintes questões:
1) Os trabalhos de campo e petrográficos da ocorrência Pico Pelado mostraram uma grande variedade de litotipos presentes nesta ocorrência, associados ao processo mineralizante em ouro. Como conseqüência houve necessidade de reformular o número de análises litoquímicas de elementos maiores e traços, pedidas inicialmente para litotipos desta ocorrência (Projeto FAPESP). Dados os trámites a serem realizados, só recentemente recebemos resposta de aceite e atualmente nos encontramos no processo de pagamento e envio das respectivas amostras.
2) Quanto aos isótopos estáveis, está havendo uma demora muito maior da inicialmente calculada para realizar os trabalhos de separação de minerais dada a granulação muito fina e ao grau de intercrescimento dos mesmos.
3) Gostaríamos de viabilizar a publicação para a SIGEP com modelo proposto sustentado pelos resultados a serem obtidos ainda no transcurso deste ano.
Gostaríamos que levassem em consideração as questões acima levantadas, o que necessariamente implicaria em ter um prazo de entrega do artigo atrelado ao tratamento de dados a serem recebidos.
Atenciosamente, Annabel e colaboradores


AVALIAÇÃO FINAL DE PROPOSTA
DE DESCRIÇÃO DE SÍTIO GEOLÓGICO - PALEOBIOLÓGICO

Nome do Sítio: Marundito do Pico Pelado, Guarulhos, SP
Proponente(s): Annabel Pérez Aguilar; Caetano Juliani;Lena Virginia Soares Monteiro; Jorge Silva Bettencourt;Edson José de Barros; Márcio Roberto Magalhães de Andrade;Elton Soares de Oliveira;Rogério Rodrigues Ribeiro;Sibele Ezaki

Considerando os pareceres, comentários e réplicas constantes na página da proposta, as instituições membros da SIGEP, assim se pronunciam, através de seus representantes titulares, quanto à proposta em epígrafe

INSTITUIÇÃO

PARECER:
1- Aprovação
2- Não aprovação (*)
3- Abstenção
4-
Restrições/Exigências (*)

Academia Brasileira de Ciências – ABC 3- Abstenção
Associação Brasileira de Estudos do Quaternário – ABEQUA 1- Aprovação
Departamento Nacional de Produção Mineral – DNPM 1- Aprovação
Instituto Brasileiro dde Geografia e Estatística – IBGE 3- Abstenção
Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis– IBAMA 3- Abstenção
Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN 3- Abstenção
Petróleo Brasileiro SA - PETROBRÁS 1- Aprovação
Serviço Geológico do Brasil – CPRM 3- Abstenção
Sociedade Brasileira de Espeleologia – SBE

1- Aprovação

Sociedade Brasileira de Geologia – SBG 1- Aprovação
Sociedade Brasileira de Paleontologia – SBP

1- Aprovação

(*) - Apresentar análise e justificativa(s), claras e concisas