SIGEP - COMISSÃO BRASILEIRA DE SÍTIOS GEOLÓGICOS E PALEOBIOLÓGICOS
(ABC-ABEQUA-CPRM-DNPM-IBAMA-IBGE-IPHAN-PETROBRÁS-SBE-SBG-SBP)
=======================

PROPOSTA DE SÍTIO GEOLÓGICO ou PALEOBIOLÓGICO DO BRASIL
A SER PRESERVADO COMO PATRIMÔNIO NATURAL DA HUMANIDADE

1. NOME do SÍTIO(*): Serra do Cadeado: norte do Paraná
 
(*)nome consagrado; se não existir, proponha um nome conciso que indique o tipo de sítio e/ou o local

2. PROPONENTE
Nome completo: Max Cardoso Langer
Endereço p/ postagem: Faculdade e Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, Departamento de Biologia. Avenida Bandeirantes 3900; CEP 14040-901; Monte Alegre
Ribeirão Preto - SP
Instituição: Universidade de São Paulo
Fax: (16) 3602 4886
Telefone: (16) 3602 3844
e-mail: mclanger@ffclrp.usp.br
Endereço curriculum Lattes:
http://lattes.cnpq.br/8345298181434561

Marque a alternativa correta abaixo:
você está propondo:
X ] sítio geológico/paleobiológico ainda não sugerido à SIGEP e candidatando-se à sua descrição;
[  ] sítio geológico/paleobiológico ainda não sugerido à SIGEP sem candidatar-se à sua descrição; 
[  ] candidatar-se à descrição de sítio geológico/paleobiológico já aprovado pela SIGEP.

Data da proposta:      28 / 01 / 2008       

4. CASO TENHA ESTUDADO O SÍTIO e esteja se candidatando a descrevê-lo com artigo científico, informe:
a) DATA PROVÁVEL de entrega da minuta do artigo:      30 / 06 / 2008   
b) CO-AUTORES(*)

Rosemarie Rohn Davies -
Instituto de Geociências - UNESP - rohn@rc.unesp.br
(incluída - anexo de e-mail de 1/4/08)
Estevan Eltink
(USP-Ribeirão Preto, estevaneltink@yahoo.com.br);
Jonathas de Souza Bittencourt
(USP-Ribeirão Preto, jonathas@pg.ffclrp.usp.br )

(*)Autor principal é o proponente; Informar co-autores previstos em ordem de importância com Nome Completo, Instituição, e-mail

5. TIPOLOGIA DO SÍTIO (marque com X os tipos e com XX o tipo mais característico do sítio):

[   ]Astroblema                 
[X]Estratigráfico              
[   ]História da Geologia, Mineração, Paleontologia..
[   ]Marinho-submarino  
[   ]Metamórfico                
[X]Paleoambiental           
[X]Sedimentar                  
[   ]Outro(s):

[   ]Espeleológico  
[   ]Geomorfológico
[   ]Hidrogeológico
[   ]Ígneo
[   ]Metalogenético
[   ]Mineralógico
[XX]Paleontológico
[   ]Tectono-estrutural

Observação: [   ] Inclui vestígios arqueológicos  -  [   ] Interesse Histórico/Cultural

6. LOCALIZAÇÃO
a. Município(s)/UF: Mauá da Serra/PR e Ortigueira/PR
2. Nome do local: Serra do Cadeado
3. Coordenadas geográficas (Lat/Long) do centróide da área do sítio: 

Latitude: 23o 58' 43" S - Longitude: 51o 05' 30" W (localidade “monjolo”, Imagem 1) 

7. JUSTIFICATIVAS(*):

 

A região da Serra do Cadeado, norte do Paraná, encerra importantes afloramentos de rochas paleozóicas e mesozóicas, no contexto das unidades litoestratigráficas que compõem a Bacia do Paraná. Localidades fossilíferas dessa região associadas à Formação Rio do Rasto, por exemplo, forneceram um dos mais importantes registros paleontológicos do Permiano Superior na América do Sul, incluindo espécies de vertebrados (e.g. peixes, anfíbios e sinápsidos), com diversas formas endêmicas (Barberena et al., 1985), invertebrados e plantas (Rohn, 1994). A integração de dados paleontológicos e litoestratigráficos provenientes desses afloramentos permite construir um importante retrato paleoambiental do fim do Paleozóico (Langer & Lavina, 2000), e estabelecer  correlações bioestratigráficas da Bacia do Paraná com alguns depósitos permianos em nível mundial, e.g. Bacia Karroo, África do Sul, e Cisurais, Leste Europeu (Langer, 2000). Adicionalmente, o registro da passagem permo-triássica em rochas da região a torna ainda mais interessante, dado que tal intervalo estratigráfico é marcado pelo maior evento de extinção biótica da história do planeta (Erwin, 1994; Benton, 1997). Não obstante os registros mencionados acima, pesquisas recentes (Langer et al., 2007) têm demonstrado uma grande potencialidade para novos achados. Pelo exposto acima, consideramos que a inclusão desta área como Sítio Paleobiológico poderá contribuir não somente com sua preservação, mas também facilitar futuras prospecções.

(*)para a inclusão como PATRIMÔNIO MUNDIAL DA HUMANIDADE

8. BREVE DESCRIÇÃO DO SÍTIO(*):
 

O sítio aqui proposto compreende a região da Serra do Cadeado, entre os municípios de Mauá da Serra e Ortigueira, no norte do Paraná. Estruturalmente, representa uma parte do escarpamento basáltico da Bacia do Paraná, constituindo-se de terrenos ondulados, que variam de 750 a 1300 m de altitude. Nesta área, afloram rochas pertencentes às formações Rio do Rasto (Grupo Passa Dois), Pirambóia, Botucatu e Serra Geral (Grupo São Bento), abrangendo desde o Permiano Superior até o Cretáceo Inferior (Barberena et al., 1980; Riccomini et al., 1984). Litologicamente, as unidades estratigráficas mostram uma sucessão granocrescente da base para o topo: siltitos com intercalações de arenito na Formação Rio do Rasto, dão lugar à camadas de arenitos finos e de médio a grosseiros das formações Pirambóia e Botucatu, respectivamente. Estas representam a passagem de um ambiente transicional de águas rasas, para um seco, de clima mais árido (Barberena et al., 1980; Rohn, 1994). Interessante notar que, na região da Serra do Cadeado, o contato entre o topo da Formação Rio do Rasto e a base da Formação Pirambóia (Imagem 2) foi proposto como transicional (Riccomini et al., 1984), contrariando idéias anteriores de que o limite permo-triássico seria descontínuo em toda a Bacia do Paraná. Sobrejacente aos estratos descritos acima, assentam-se as rochas basálticas da Formação Serra Geral, que coroa o fim da seqüência estratigráfica da Serra do Cadeado.

   Com relação ao conteúdo fossilífero, a Formação Rio do Rasto merece destaque tanto pela diversidade do material encontrado, quanto pelo potencial para novas descobertas (Langer et al., 2007). A maior parte das localidades associadas a esta unidade se encontram às margens da Rodovia BR 376 dos quilômetros 297 ao 315 e da Ferrovia ECFP (Estrada Central de Ferro do Paraná), hoje sob concessão da ALL (América Latina Logística), dos quilômetros 498 ao 508 (Eltink, 2006). O registro paleontológico compreende diversos táxons de vertebrados, incluindo peixes elasmobrânquios e paleonisciformes, anfíbios temnospôndilos (e.g. Australerpeton cosgriffi), sinápsidos dicinodontes (e.g. Endothiodon); invertebrados, como conchostráceos e bivalves (e.g. Leinzia), além de plantas esfenófitas (e.g. Schizoneura) e glossopteridales (Rohn, 1994).  

 

Imagem 1 - Afloramento localizado no km 313 da Rodovia BR 376 (Rodovia do Café) no Morro do Mulato. Denominado “monjolo”, esta localidade possui rochas do topo da Formação Rio do Rasto (Membro Morro Pelado).

 

Imagem 2 - Afloramento localizado às margens da EFCP (Estrada de Ferro Central do Paraná) no km 500. Observar a passagem da Formação Rio do Rasto (parte inferior) pra a Formação Pirambóia (parte superior).

 

(*) anexar ao e-mail até 2 fotos significativas do sítio e, se disponíveis, links ou até capítulo de tese ou de artigo do proponente sobre o sítio

9. SITUAÇÃO ATUAL DE CONSERVAÇÃO E ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELA PROTEÇÃO:

 

A localização dos afloramentos fossilíferos às margens da rodovia BR 376 e da ferrovia EFCP não confere qualquer tipo de proteção aos mesmos. Incluem-se nesta situação as localidades exploradas por nossa equipe de trabalho, que, embora permitam tanto a caracterização litoestratigráfica quanto a prospecção fossilífera, sofrem risco de degradação devido a processos naturais de erosão, aliados aos procedimentos de manutenção por parte das concessionárias e à construção civil ao longo destas vias. Assim, urge a criação de mecanismos de proteção ao sítio aqui proposto, os quais podem englobar tanto a parceria com as próprias concessionárias, no sentido de fiscalizar o uso dos terrenos marginais, quanto ações governamentais de educação ambiental, objetivando a conscientização da população local e turistas. Para este último, poderiam ser usadas como veículo promotor as Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs), locais de ampla visitação turística, já existentes no local.

 

10. BIBLIOGRAFIA REFERENTE AO SÍTIO PROPOSTO(*):

Barberena, M.C.; Araújo, D.C. & Lavina, E. L. 1985. Late Permian and Triassic tetrapods of Southern Brazil. National Geographic Research. 1: 5-20.

 

Barberena, M.C.; Correia, N. R. & Aumond, J. 1980. Contribuição à estratigrafia e bioestratigrafia do Grupo Passa Dois na Serra do Cadeado (Nordeste do Paraná, Brasil). Revista Brasileira de Geociências. 10(4): 208-275.

Benton, m. j. 1997. The evolution of early amniotes. In: Vertebrate Palaeontology. Londres. Thompson Science, p. 103 – 132.

 

<acrescentada - ver e-mail> Cazzulo-Klepzig, M & Reis Correia N   1981. Contribuição ao estudo da tafoflora permiana do membro Morro Serrinha na Serra do Cadeado, Estado do Paraná, Brasil. In: Congresso Latino-Americano de Paleontologia, Porto Alegre, 2, Anais :233-247.

 

* Eltink, E. 2006. Paleontologia de vertebrados da Serra do Cadeado (Formação Rio do Rasto, Permiano Superior): revisão histórica e levantamento de localidades fossilíferas. Monografia de conclusão de curso. Universidade Estadual de Londrina. Londrina, 46 p.

 

Erwin, D. H. 1994. The Permo-Triassic extinction. Nature, v. 367, p. 231 – 236.

 

* Langer, M. C., 2000. The first record of dinocephalians in South America. Late Permian (Rio do Rasto Formation) of the Paraná basin, Brazil. Neues Jahrbuch für Geologie und Paläontologie Abhandlungen, 215: 69-95.

 

* Langer, M. C. & Lavina, E. L. 2000. Os amniotas do Neopermiano e Eotriássico da Bacia do Paraná – Répteis e “Répteis Mamaliformes”, p. 210 – 235. In: Holz, M. & De Ros, L. F. (eds.). Paleontologia do Rio Grande do Sul. UFRGS. Porto Alegre.

 

* Langer, M. C.; Eltink, E.; Bittencourt, J. S.; Montefeltro, F. C. & Franca, M. A. G. 2007.  De volta à Serra do Cadeado: vertebrados fósseis do Permiano Superior (Formação Rio do Rasto) do Paraná. In: XX Congresso Brasileiro de Paleontologia, 2007, Búzios. Anais do XX Congresso Brasileiro de Paleontologia, p. 91.

 

Riccomini, C.; Filho, A. G. & de Almeida, F. F. M. 1984. Considerações sobre a estratigrafia do Permo-Triássico na região da Serra do Cadeado, Paraná. In: Congresso Brasileiro de Geologia, 1984, Rio de Janeiro. Anais do XXXIII Congresso Brasileiro de Geologia, p. 754 - 764.

 

Rohn, R. 1994. Evolução ambiental da Bacia do Paraná durante o Neopermiano no leste de Santa Catarina e do Paraná. Tese de Doutoramento. Instituto de Geociências. Universidade de São Paulo. São Paulo. 251 p.

(*) assinalar em destaque trabalhos dos candidatos a autor e co-autor

11. FOTO E SINOPSE DO CURRICULUM VITAE DO(S) CANDIDATO(S) A AUTOR(ES)(*):

 

Max Cardoso Langer

Graduado em Ecologia pela Universidade Estadual Paulista, campus de Rio Claro (1994), mestre em Geociências pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1996) e PhD pela University of Bristol (2001). Atualmente é professor doutor do Departamento de Biologia, Universidade de São Paulo, campus de Ribeirão Preto; membro votante da Subcommission on Triassic Stratigraphy; membro do Conselho Editorial da Revista Brasileira de Paleontologia; Presidente no Núcleo São Paulo da Sociedade Brasileira de Paleontologia; e membro regular da Society of Vertebrate Paleontology. Tem experiência na área de Paleozoologia, atuando principalmente no estudo da evolução de tetrápodes fósseis, com descrição de várias novas espécies.

 

 

 

Rosemarie Rohn Davies - Possui graduação em Geologia pela Universidade de São Paulo (1982), mestrado em Geociências (Geologia Sedimentar) pela Universidade de São Paulo (1988) e doutorado em Geociências (Geologia Sedimentar) pela Universidade de São Paulo (1994). Atualmente é professora assistente doutora da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Paleontologia Estratigráfica, atuando principalmente nos seguintes temas: Paleobotânica, Paleontologia de Invertebrados (principalmente conchostráceos) e Estratigrafia de superfície e subsuperfície, especialmente do Permiano da Bacia do Paraná, iniciando sua atuação também no Permiano da Bacia do Parnaíba.

 

Estevan Eltink

Bacharel e Licenciado em Biologia pela Universidade Estadual de Londrina (2006), atualmente é aluno de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Biologia Comparada da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ribeirão Preto - USP. Concentra seus estudos na descrição de vertebrados fósseis do Permiano, especialmente os materiais provenientes da Serra do Cadeado, como o anfíbio temnospôndilo Australerpeton cosgriffi, enfatizando os aspectos bioestratigráficos e paleoambientais inerentes a tais materiais. Possui ampla experiência na prospecção e coleta de fósseis na Serra do Cadeado.

 

 

 

Jonathas de Souza Bittencourt

Bacharel em Biologia pela USP de Ribeirão Preto (2001), e mestre em Zoologia pela UFRJ (Museu Nacional, 2004), concentra seus estudos na evolução de répteis fósseis, com aplicação de métodos filogenéticos comparativos e ferramentas de análise cladística. Colabora com as pesquisas coordenadas pelo Prof. Max Langer na Serra do Cadeado, tendo participado de diversas expedições para coleta de material fóssil. Têm experiência no ensino superior em Paleontologia, e, desde 2006, é aluno de doutoramento do Programa de Pós-graduação em Biologia Comparada da Universidade de São Paulo, campus de Ribeirão Preto.

 

(*) Sinopse do currículo do candidato a autor com uma fotografia pequena tipo 3x4. Cada "minicurrículo" deverá ter no máximo 120 palavras e servirá, juntamente com uma versão em inglês a ser publicada para a publicação futura, como apêndice do artigo se a candidatura for aprovada e o artigo aceito para publicação.

De: Manfredo Winge [mailto:mwinge@terra.com.br]
Enviada em: sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008 12:28
Assunto: AVALIE a nova proposta Serra do Cadeado, PR
 
Prezado colega geocientista,
    Veja e avalie a nova proposta de sítio geológico candidato a Patrimônio Natural da Humanidade:
 
Proposta de:
Max Cardoso Langer; Estevan Eltink; Jonathas de Souza Bittencourt
 
    A SIGEP (*) aguarda seus comentários, críticas e sugestões adicionais às propostas formuladas.

    Propostas de sítios brasileiros e de sua descrição científica sistematizada, com vistas a compor base de dados de nossos MONUMENTOS GEOLÓGICOS, vem sendo submetidas através de formulário padronizado.
T
ais propostas são disponibilizadas na Internet  para conhecimento e avaliação, não só por parte dos membros da  comissão SIGEP mas, tambem, da comunidade geocientífica em geral.
C
omentários, a favor e contra, sugestões e críticas pertinentes, juntamente com as réplicas e tréplicas, são veiculadas tambem na mesma página da proposta.

......................


 COMENTÁRIOS, CRÍTICAS E SUGESTÕES DA SIGEP
E DA COMUNIDADE GEOCIENTÍFICA
E RÉPLICAS DO PROPONENTE


De: Gil Piekarz [mailto:gilfp55@gmail.com]
Enviada em: quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008 09:09
Assunto: Re: AVALIE a nova proposta Serra do Cadeado, PR

...........
o sítio é realmente interessante pois expõe muito bem as formações citadas, tratando-se de um perfil clássico no Paraná. Quanto ao conteúdo paleontológico não faço observações pois não sou paleontólogo.
Atenciosamente,
Gil F Piekarz
MINEROPAR - Curitiba


De: José Paulo P. Pinese [mailto:pinese@uel.br]
Enviada em: quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008 07:57
Assunto: Re: AVALIE a nova proposta Serra do Cadeado, PR

.................

Sou favoravel a determinação da Serra do Cadeado como sítio paleontológico apenas e não geológico. Também sugiro, que seja adicionado o nome do Prof Dr André Celligoi (geólogo) aqui da UEL entre os co-autores. Afinal, foi o referido professor que introduziu o aluno Estevan Eltink no assunto e na Serra através de um trabalho de conclusão de curso na Biologia da UEL.
Sou contrário ao registro da Serra do Cadeado como sitio geologico, estratigráfico e sedimentar, pois ela na verdade é apenas um segmento de um sistema maior, conhecido por aqui também como Serra da Esperança. Adiciona-se, que tal sistema encontra-se já registrado  com maior detalhe e melhor representado na Serra do rio do Rasto (Coluna White) em Santa Catarina.
Esperando ter contribuido, termino enviando grande abraço
 
Prof. José Paulo P. Pinese

De: Manfredo Winge [mailto:mwinge@terra.com.br]
Enviada em: quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008 19:02
Assunto: RES: AVALIE a nova proposta Serra do Cadeado, PR
 
Prezado Prof Pinese,
................
Não há formulário para as avaliações e sugestões: o seu parecer e sugestões, expressos no e-mail, serão disponibilizados na própria página da proposta.
 
Em princípio todo o sítio paleontológico é um sítio geológico. Veja que no formulário de proposta de sítio (http://www.unb.br/ig/sigep/formulario.htm ), no ítem de caracterização tipológica, não indicamos sítio geológico porque não teria sentido visto que ele corresponde a um conceito abrangente, envolvendo todos os tipos de sítios relacionados.
No caso específico do sítio Serra do Cadeado, a tipologia principal informada pelos proponentes é paleontológica e, acessoriamente, estratigráfica, paleoambiental e sedimentar. Ver: http://www.unb.br/ig/sigep/propostas/Serra_do_Cadeado_PR.htm.  Neste sentido, cabe dizer que o colega Piekarz, da MineroPar, lembrou que, adicionalmente, à tipologia paleontológica, o sítio é valorizado também por envolver um perfil muito didático da estratigrafia local.
Pela breve descrição do sítio na proposta, vemos que ocorreram mudanças significativas de ambiente (os autores deverão abordar esses aspectos paleoambientais e correlacionar com os fósseis) refletidas também em estratos sedimentares que caracterizam muito bem essas variações (tipologia sedimentar), servindo, assim, o sítio de várias tipologias para fins didáticos multidisciplinares , sendo a principal a paleontológica.
Os dados paleontológicos, aliás, prescindem do apoio de dados vários para certificar, de forma científica, teses sobre a evolução biológica e o meio ambiente então existentes em cada uma das camadas pesquisadas.
 
Estou respondendo esta c/c aos proponentes para considerarem todas as suas observações e a oportunidade de inclusão do Prof André Celligoi da UEL no corpo dos autores, vista a experiência dele, citada em seu e-mail, sobre a área do sítio.
 
Saudações geológicas
Manfredo
p/corpo editorial

De: José Paulo P. Pinese [mailto:pinese@uel.br]
Enviada em: quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008 07:55
Para: Manfredo Winge
Cc: André Celligoi; Gil Francisco Piekarz; Max Cardoso Langer; Estevan Eltink; Jonathas de Souza Bittencourt
Assunto: Re: AVALIE a nova proposta Serra do Cadeado, PR
 
Caros Manfredo e colegas,
dentro da ótica aqui exposta, me preocupa o fato de apenas promover o registro do perfil Rio do Rasto na Serra do Cadeado. Quem conhece a região sabe da existência de perfís mais didáticos, como aquele da mesma formação situado próximo a cidade de São Jerônimo da Serra (estrada Assai - Curiuva), entre nós designado de "bolo de noiva". A mim me parece que registrar todos como sitio dará uma certa "proteção" futura a esses pontos, que na minha opinião fazem parte de um sistema único, embora um pouco distantes geograficamente.
Desse modo, sugiro então, que ao menos se inclua o bolo de noiva, pois assim estariamos dando uma espécie de "guarda" futura a este ultimo ponto também. Todos sabemos que em alguns outros paises, o fato do registro de sitios tem ajudado na preservação e penso que devemos usar esta oportunidade como tal.
Quanto a indicação do Prof. André se inserir na proposta, se deve ao fato de saber de sua participação como ex-orientador do Estevan na graduação da UEL. No entanto, cabe aos autores decidirem sobre a sugestão e também a disponibilidade do referido professor.
 Esperando ter contribuido envio abraços a todos, Pinese

De: miriam klepzig [mailto:miriam.klepzig@ufrgs.br]
Enviada em: quarta-feira, 5 de março de 2008 16:43
Para: mclanger@ffclrp.usp.br
Assunto: sigep- Serra do Cadeado
 
Caro Max
Não sei se consegues  lembrar de mim, mas sou pesquisadora do IG/Ufrgs  nas áreas de Paleobortânica e Palinologia e embora já aposentada, continúo atuando nessas áreas, juntamente com a Profa. Margot Guerra Sommer.
Lendo a proposta de vocês a Sigep, com referência à Serra do Cadeado, gostaria de informar que os primeiros registros paleobotânicos nesse afloramento ( que penso ser o mesmo, pelas coordenadas referidas ), foram feitos por mim, em colaboração a uma dissertação de mestrado de Norberto Correia, em 1981, junto ao Pós aqui da UFRGS.
Mando a referência do mesmo, para que possam incluí-la na proposta. O trabalho é preliminar, mas registra  e ilustra um material paleobotânico belíssimo, até então inédito para a B. do Paraná. O material descrito está depositado no acervo paleobotânico do Dep. de Paleontologia e Estratigrafia aqui do IG. O trabalho não teve continuidade porque o  mestrando ( co-autor do trabalho) adoeceu e não teve mais interesse na divulgação de outros resultados que já haviam sido alcançados durante a pesquisa.
Agradeço a atenção e fico à disposição de vocês para alguma outra informação ( posso enviar uma cópia do mesmo).
Um abraço,
 
Miriam Cazzulo Klepzig 
 
Cazzulo-Klepzig, M & Reis Correia N   1981. Contribuição ao estudo da tafoflora permiana do membro Morro Serrinha na Serra do Cadeado, Estado do Paraná, Brasil. In: Congresso Latino-Americano de Paleontologia, Porto Alegre, 2, Anais :233-247.

De: Rodrigo Miloni Santucci [mailto:rodrigo.santucci@dnpm.gov.br]
Enviada em: segunda-feira, 17 de março de 2008 15:23
Assunto: RES: AVALIE a nova proposta Serra do Cadeado, PR
.................

Segue então minha avaliação apenas como geocientista:
Parecer favorável. Os autores conhecem a região e têm experiência no tema, sendo, portanto, habilitados para descrever esse importante sítio. Como sugestão, os autores poderiam mudar a segunda parte do título para algo como “registro da transição permo-triássica no norte do Paraná” para chamar a atenção dos leitores sobre esse fato.  Gostaria de saber se já houve algum contato com representantes das concessionárias para saber se estão dispostos a ajudar na conservação do sítio.

 Rodrigo


De: wsallun@igeologico.sp.gov.br [mailto:wsallun@igeologico.sp.gov.br]
Enviada em: segunda-feira, 17 de março de 2008 20:00
Assunto: Serra do Cadeado, PR

..........
Em relação à proposta "Serra do Cadeado: norte do Paraná", apesar de não conhecer o sítio, considero FAVORÁVEL a aprovação pela descrição apresentada. Me parece um sítio muito importante do ponto estratigráfico e paleontológico. Achei ótimas as considerações do Rodrigo, quanto ao fato de representar a transição do permo-triássico e idéia de contato com a concessionária para preservação do local.

William Sallun Filho
IG/SMA
Representante da SBE na SIGEP


De: fernande [mailto:fernande@acd.ufrj.br]
Enviada em: quarta-feira, 19 de março de 2008 12:46
Assunto: Re: ENC: AVALIE a nova proposta Serra do Cadeado, PR

.........
o conteúdo fossilífero oriundo das localidades citadas e os trabalhos já realizados justificam plenamente a aprovação da proposta. Entretanto, cabe ressaltar que o mais interessante seria que os autores apresentassem a proposta referente a uma das localidades, que fosse mais completa do ponto de vista paleontológico e/ou estratigráfico, ou de maior possibilidade de preservação, com uma descrição de seu perfil, ao contrário de localidades em pontos diferenciados, como eu pude entender. Da forma como foi apresentada a proposta, parece-me que a mesma refere-se à serra como um todo, e não a uma localidade específica. Além disso, os próprios autores ressaltam a dificuldade da conservação.

Apesar de favorável à proposta, fico aguardando maiores esclarecimentos sobre a possibilidade de indicação de uma localidade específica.
Abraços,
Antonio Carlos
Representante da SBP na SIGEP


De: Max Cardoso Langer [mailto:mclanger@ffclrp.usp.br]
Enviada em: terça-feira, 1 de abril de 2008 15:11
Assunto: Re: Enc: AVALIE a nova proposta Serra do Cadeado, PR
..........
Segue, em anexo, [abaixo] nossas considerações a respeito da proposta “Serra do Cadeado”.
Muito obrigado por todo seu aporte.
Atenciosamente,
max
Max Cardoso Langer Ph.D. (Bristol, UK)
..................................

Prezados Colegas,

Pela presente, gostaríamos de nos pronunciar a respeito das sugestões e críticas relacionadas à nossa proposta de registro e descrição da “Serra do Cadeado” (PR) como sítio geológico/paleobiológico, junto à SIGEP. Assim, inicialmente, expressamos gratidão aos colegas pesquisadores e/ou membros da Comissão que se dispuseram a enviar seus comentários a fim de tornar nossa proposta viável ou mais adequada ao objetivo de empregar o conhecimento geológico e paleontológico no estabelecimento de medidas reais de preservação do patrimônio natural. Em segundo lugar, gostaríamos de esclarecer que nenhuma contrapartida nossa foi até então enviada pelo fato de termos julgado mais apropriado aguardar um número maior de sugestões com intuito de respondê-las de uma só vez.

A seguir, procuramos discutir, por meio de tópicos, os comentários já enviados tentando abordar todas as questões levantadas.

 

1 – Sobre a natureza do sítio proposto (geológico, paleontológico, estratigráfico...).

Com relação à sugestão do Prof. José Paulo Pinese de tratar o sítio ora proposto como paleobiológico e não estratigráfico e/ou sedimentar, esclarecemos que nossa meta é, de fato, ressaltar mais o conteúdo fossilífero das localidades daquela região (ver tópico seguinte), do que os aspectos puramente geológicos, mas sem deixar, obviamente, de inseri-las num contexto dessa natureza. Concordamos, portanto, com o Prof. Manfredo Winge em declarar que paleontologia é indissociável de estratigrafia e sedimentologia, mas, como verificado no formulário submetido, estes últimos têm uma importância secundária no âmbito dos nossos objetivos iniciais. Por esse mesmo motivo, não temos em mente apresentar como sítio uma localidade que seja particularmente didática em termos estratigráficos ou que sirva de referência a parâmetros tipológicos de qualquer natureza. Como já apontado por alguns colegas, há seções que servem muito melhor a tal propósito e.g.: ‘Coluna White’, inclusive no Estado do Paraná (e.g.: ‘Bolo de Noiva’), as quais serão mencionadas na descrição do sítio ora proposto, mas apenas como referência à estratigrafia do mesmo. Mais que isso, fugiria ao escopo inicial de nos restringir a uma determinada área da Serra do Cadeado rica por seu conteúdo fossilífero. Neste contexto, também não é nosso objetivo enfatizar a transição permo-triássica na seção estratigráfica correspondente à área de estudo, por isso o subtítulo do artigo, caso seja incluído, deverá contemplar mais aspectos paleontológicos relevantes da área em questão, do que grandes eventos da história da Terra. Quem sabe, poderia ser algo como: Vertebrados fósseis da Serra do Cadeado, norte do Paraná: importante registro do Permiano Superior sul-americano (nos moldes do sítio 22); ou Sítios paleontológicos da Formação Rio do Rasto na Serra do Cadeado: importante registro do Permiano Superior sul-americano (nos moldes do sítio 09).

É necessário também esclarecer que nenhum de nós, autores proponentes, temos habilitação formal em Geologia. Por isso, desde o início, aventamos a possibilidade de convidar um geólogo que conhecesse em detalhe a região tratada, para colaborar na descrição do sítio. Assim, entramos em contato com a Profª. Dra. Rosemarie Rohn, da UNESP de Rio Claro, cujo mestrado e doutorado versam especificamente sobre aspectos geológicos e paleontológicos do Permiano Superior da Bacia do Paraná, inclusive na área da Serra do Cadeado, e que nos forneceu informações vitais para as recentes descobertas do nosso grupo de pesquisa. Ficamos satisfeitos com o aceite da Profª. Rohn em participar do trabalho na qualidade de co-autora, dando-nos o necessário suporte geológico.

 

2 – Contato com as concessionárias

Os colegas Rodrigo Santucci e William Sallun Filho mencionaram a possibilidade de entrar em contato com as concessionárias das vias em cujas margens ocorrem as localidades referidas na proposta, para fins de preservação. A América Latina Logística (ALL), concessionária da ferrovia, já está ciente do nosso trabalho na região, mas ainda necessita ser informada, assim como a empresa concessionária da rodovia, com respeito a nossas intenções de preservar as localidades mais importantes. Entendemos que cabe a nós sugerir uma co-participação nesse sentido, o que será feito brevemente. Além disso, em nosso último trabalho de campo, tomamos conhecimento da existência de pelo menos uma RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural) na área da Serra do Cadeado, cujo proprietário se mostrou simpático à idéia de colaborar na preservação por meio de ações de educação ambiental.

 

3 – Uma ou várias localidades como sítio?

Referimo-nos aqui à proposta do Prof. Antonio Carlos Fernandes (reforçada pelas diretrizes gerais para caracterização de sítios enumeradas pelo Prof. Winge em correspondência aos membros do SIGEP) de eleger uma localidade principal para a descrição do sítio, utilizando as demais para fins de correlação. Somos de acordo com a idéia de que, ao fazer isso, medidas de proteção tornam-se mais viáveis do que se tivéssemos diversas localidades espalhadas por uma área muito extensa. Entretanto, o conteúdo fossilífero a que pretendemos nos referir na descrição ocorre em vários pontos diferentes, ao longo de c. 15 km de extensão, às margens das vias mencionadas na proposta (i.e., Estrada de Ferro Central do Paraná; Rodovia BR 376). Estas localidades não são unidas por qualquer característica geológica que possa ser mais bem representada por uma delas. A ocorrência de fósseis é esparsa por natureza, podendo ser que uma vez definida uma localidade “tipo” nunca mais um fóssil venha a ser nela coletado (improvável mais possível). Dizemos isso para enfatizar que, se existe uma tipologia litoestratigráfica/paleoambiental principal que se mantém constante nas localidades em questão, esta não é o foco da proposta, e sim os fósseis que lá ocorrem. Outros sítios paleontológicos, já aprovados pela SIGEP, foram descritos de maneira a reunir diversas localidades (no caso também localidades fossilíferas de uma mesma unidade estratigráfica) ao longo de uma ampla extensão geográfica (e.g., sítios 05, 06, 09, 10, 22 e 119). Acreditamos que tal concepção deva ser seguida também para a “Serra do Cadeado”, em função da natureza descontínua de seus afloramentos, todos igualmente importantes para a preservação do patrimônio fossilífero. Fica claro que o sítio proposto não abarcaria toda a área geográfica da serra, mas um restrito segmento da mesma, com as localidades das quais provêm os fósseis mais significativos. As decisões da Comissão são imperativas, mas pedimos que fosse considerada a possibilidade que o sítio proposto englobe mais de uma localidade, não tendo nenhuma destas um status especial.

 

            Esperamos ter dirimido todas as dúvidas. Colocamo-nos à disposição da Comissão para críticas e sugestões adicionais, as quais serão muito bem-vindas. Esperamos também, um posicionamento da mesma em relação às controvérsias acima expostas, especialmente quanto à possibilidade de se estabelecer um sítio com base em uma série de pontos, e não centrado especificamente uma localidade.

 

            Cordialmente,

             Max Langer, Estevan Eltink e Jonathas Bittencourt


De: fernande [mailto:fernande@acd.ufrj.br]
Enviada em: terça-feira, 1 de abril de 2008 16:11
Assunto: Re: ENC: Enc: proposta Serra do Cadeado, PR
Prezado Manfredo e proponentes do sítio,
concordo com os esclarecimentos apresentados e informo que em nenhum momento me posicionei contra a proposta, aprovando-a previamente. Somente apresentei uma sugestão que me parece os proponentes estão, pelo menos em parte, de acordo. Tenho a certeza que os autores farão também os devidos esclarecimentos das extensões dos afloramentos no texto final, evitando equívocos futuros. Atenciosamente,
Antonio Carlos

Representante da SBP na SIGEP


De: Manfredo Winge [mailto:mwinge@terra.com.br]
Enviada em: terça-feira, 1 de abril de 2008 17:26
Para: Rosemarie Rohn Davies (rohn@rc.unesp.br); Estevan Eltink (estevaneltink@yahoo.com.br); Jonathas de Souza Bittencourt (jonathas@pg.ffclrp.usp.br); Max Cardoso Langer (mclanger@ffclrp.usp.br)
Assunto: RES: proposta Serra do Cadeado, PR - VOTO DA SBG - Retirada de restrição

Prezado Max e coproponentes,
ficou claro, com a exposição de vocês, que a nossa restrição referente à multiplicidade de afloramentos fossilíferos não pode ser resolvida com a seleção de um afloramento principal a ser considerado o "sítio-tipo" visto que os vários afloramentos são complementares em conteúdo fossilífero.
Cabe lembrar que este problema também ocorreu com o sítio Peirópolis- Serra da Galga, MG onde se tem afloramentos fossilíferos distantes mais de 8km entre si. Isto considerado, retiro a restrição para a aprovação do sítio, mas recomendo que os autores descrevam cada um dos afloramentos fossilíferos relevantes e os indiquem, claramente, em um mapa geológico atualizado da região e com escala adequada de forma a abarcar a área do sítio e cercanias.
Cordiais saudações
Manfredo Winge
Representante da SBG na SIGEP


De: Celia Regina de Gouveia Souza [mailto:celia@igeologico.sp.gov.br]
Enviada em: terça-feira, 22 de abril de 2008 13:41
Assunto: Re: ENC: Análise e voto de propostas

Aproveito para votar na proposta da Serra do Cadeado: Favorável.
.................
Celia
Representante da ABEQUA


De: Emanuel Teixeira de Queiroz [mailto:emanuel.queiroz@dnpm.gov.br]
Enviada em: sexta-feira, 16 de maio de 2008 15:33
Assunto: RES: AVALIE a nova proposta Serra do Cadeado, PR

 

Repasso a avaliação do colega Rodrigo Santucci, concordando com o mesmo sobre a aprovação da proposta:

 

 Parecer favorável. Os autores conhecem a região e são habilitados para descrever esse importante sítio. Como sugestão, os autores poderiam mudar a segunda parte do título para algo como (registro da transição permo-triássica no norte do Paraná) para chamar a atenção dos leitores sobre esse fato.  Gostaria de saber se já houve algum contato com representantes das concessionárias para saber se estão dispostos a ajudar na conservação do sítio.

 

Emanuel Teixeira de Queiroz e Rodrigo Miloni Santucci

Representantes do DNPM


De: Manfredo Winge [mailto:mwinge@terra.com.br]
Enviada em: sexta-feira, 16 de maio de 2008 17:08
Para: Rosemarie Rohn Davies (rohn@rc.unesp.br); Estevan Eltink (estevaneltink@yahoo.com.br); Jonathas de Souza Bittencourt (jonathas@pg.ffclrp.usp.br); Max Cardoso Langer (mclanger@ffclrp.usp.br)
Assunto: Proposta: Serra do Cadeado,PR - APROVADA
 
Prezados proponentes,
 
seguindo as normas da SIGEP, comunico com satisfação que a proposta de sítio e de compromisso de descrição foram aprovados conforme pode ser visto na página:
http://www.unb.br/ig/sigep/propostas/Serra_do_Cadeado_PR.htm
 
Sugerimos verificar e anotar os comentários e as sugestões dos membros da SIGEP e da comunidade geocientífica disponibilizados na própria página da proposta.
 
Desta forma, o sítio Serra do Cadeado,PR passa a ser relacionado na lista de propostas aprovadas pela SIGEP (http://www.unb.br/ig/sigep/quadro.htm).
Isto considerado, aguardamos a elaboração da minuta em Word e o encaminhamento breve (favor revisarem a data que foi aprazada por vocês); o artigo, assim que aprovado e publcado em pre print, registrará em definitivo o sítio no cadastro da SIGEP, juntamente com o elenco de propostas de preservação como patrimônio geológico, através de sua publicação na Internet (bilingüe) e no volume III de SÍTIOS GEOLÓGICOS E PALEONTOLÓGICOS DO BRASIL.

Solicitamos leitura atenta das instruções para os autores visto que elas sofreram algumas adições e pequenas modificações recentes (ex. gr. especificações quanto à qualidade e resolução de figuras com vistas à futura impressão gráfica, inclusão de breve capítulo sobre SINOPSE SOBRE A ORIGEM, EVOLUÇÃO GEOLÓGICA E IMPORTÂNCIA DO SÍTIO, desdobramento do tópico sobre a Proteção do Sítio, encaminhamento de minicurrículo do autor com foto,..); acessar em: http://www.unb.br/ig/sigep/InstrucoesAutores.htm.

Recomendamos a formulação de um título para o capítulo que dê idéia clara da tipologia do sítio e de sua importância, de acordo com as recomendações das Instruções:
"O título, geralmente já aprovado na fase de proposta pela SIGEP, deve privilegiar nome consagrado e a localização do sítio, sendo o mais conciso possível. Um subtítulo, chamando a atenção para a relevância do sítio, deverá ser proposto pelo(s) autor(es), conforme exemplos que podem ser vistos no sumário do Volume 1: http://www.unb.br/ig/sigep/CapaSumarioVol1.pdf  e nas novas descrições. Não utilizar superlativos (ex. "O maior..", "O mais importante..") no título e somente usar no subtítulo se plenamente justificado.
É interessante que título e subtítulo dêem, também, uma idéia clara da tipologia principal do sítio, indicando, se possível, feições ou aspectos geológicos/paleontológicos que o tornam tão importante."

Qualquer dúvida a respeito favor nos contactar.

Saudações geológicas

Manfredo
p/corpo editorial 
c/c SIGEP

Manfredo Winge
Representante da SBG na SIGEP

AVALIAÇÃO FINAL DE PROPOSTA
DE DESCRIÇÃO DE SÍTIO GEOLÓGICO - PALEOBIOLÓGICO

Nome do Sítio:   Serra do Cadeado: norte do Paraná
Proponentes: 
Max Cardoso Langer; Rosemarie Rohn Davies; Estevan Eltink; Jonathas de Souza Bittencourt

Considerando os pareceres, comentários e réplicas constantes na página da proposta, as instituições membros da SIGEP, assim se pronunciam, através de seus representantes, quanto à proposta em epígrafe

INSTITUIÇÃO PARECER
  Favorável
  Não favorável 
  Abstenção
Em branco: Não se pronunciou
Academia Brasileira de Ciências – ABC  
Associação Brasileira de Estudos do Quaternário – ABEQUA Favorável
Departamento Nacional de Produção Mineral–DNPM Favorável
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE  
Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis– IBAMA  
Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN  
Petróleo Brasileiro SA - PETROBRÁS  
Serviço Geológico do Brasil – CPRM  
Sociedade Brasileira de Espeleologia – SBE

Favorável

Sociedade Brasileira de Geologia – SBG Favorável
Sociedade Brasileira de Paleontologia – SBP Favorável